Arquivo da tag: sem

( LISTA ) 05 livros com capas bonitos e conteúdos feios.

Oi Corujinhas. Hoje é dia de mais uma lista aqui no blog em parceria com a Keth (Parabatai Books). Nessa ano vamos fazer listas metadinhas, que se completam a medida que vocês lerem ambos os posts. Deve rolar boas listas por aqui então fiquem de olho nos dois blogs. A primeira lista será espelhada, pois enquanto eu farei uma livros com capas bonitas e conteúdos feios, a Keth fará o inverso, então não deixem de conferir a lista dela.

O objetivo dessa lista será falarmos de livros que tem aquelas capas lindas, mas o conteúdo não agrada tanto assim. Muito embora eu acredite que alguns escolhidos podem causar revolta, devo dizer que será uma lista de conteúdo mais pessoal, de modo que vocês estão livres e desimpedidos para descordar da minha pessoa. Aliás, também gostaria de pedir que vocês deixassem nos comentários livros que vocês compraram pela capa, mas a hora de ler foi aquela decepção.

Vamos começar?

nao pare1. Não Pare – FML Pepper.

A capa de Não Pare é uma das minhas favoritas. Muito embora não goste tanto de obras com fotografias, por certo que todas as referências presentes na capa do livro de FML Pepper, fazem dela bem atrativa. Mas é uma pena que o conteúdo da obra não seja tão bom assim.

O que mais me irrita no livro de Pepper é o looping eterno que a autora coloca entre os protagonistas. Muito embora seja uma história com um baita potencial, o romance é o que lhe estragam, pois sempre corremos em círculos: Nina confia em Richard > Nina descobre que Richard lhe enganou > Nina foge> Richard vai atras de Nina > Nina descobre que Richard fez tudo para lhe salvar > Nina confia em Richard. Ah e isso não é spoiler. Vai ocorrer a cada 60 páginas.

2. A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard.transferir (2)

A Rainha Vermelha, muito embora desperte muitas opiniões diversas, é uma capa que unanimemente é considerada bela. Entretanto, muitos também – inclusive eu – consideram esse livro uma cópia de muitos outros (Sombra e Osso e A Seleção), além de ter umas das piores protagonistas da história.

Um fato entre os livros de fantasia da qual muitos autores parecem não dispostos a crer é que uma mocinha empoderada é diferente de uma mocinha arrogante. No caso de Mare, ela se aproxima muito do segundo módulo, e se não contarmos uma grande enrolação da parte da autora para os acontecimentos, o livro fica enjoativo por conta da personagem.

A Seleção3. A Seleção – Kiera Cass.

Todas as capas da trilogia A Seleção são realmente muito lindas. A ideia das garotas se vestirem iguais enquanto uma delas se destaca combina perfeitamente com o livro. Mas acontece que para mim, nessa história aconteceu o maior clássico dos livros de fantasia: a autora focou no romance e esqueceu de todo o resto.

Não tenho absolutamente nada contra romances, mas quando um livro apresenta uma proposta além costumo esperar um pouco mais da história. Kiera Cass criou uma ótima base para sua distopia, mas tudo aquilo que a envolve não foi elaborado, pois a autora focou-se tanto no romance que esqueceu do restante.

quando a noite cai4. Quando A Noite Cai – Carina Rissi

Eu sempre gosto das capas dos livros da Carina Rissi, principalmente quando se trata de livros independentes. Muito embora seja bem simples, essa capa têm tanto significado em suas particularidades que é uma das minhas favoritas.

Entretanto, esse livro foi uma decepção. Por ser fã da autora e pela premissa da obra, eu esperava algo que não tivesse tanto cara de mais do mesmo. Mas a obra de Rissi foi semelhante a assistir um filme bem sessão da tarde: você sabe o que está por vir, mas nem por isso fica animada. É o pior tipo de clichê: o que enrola mais que o raio.

the kiss of deception5. The Kiss Of Deception – Mary E. Pearson

The Kiss Of Deception era uma leitura que eu esperava muito. Muito disso, se deve a capa da obra que vamos combinar, é uma das mais lindas da Darkside. Entretanto, acabei tendo vários problemas com a leitura. Uma delas, foi a escrita de Pearson que achei muito lenta. Mas a principal ressalva se aplica a protagonista e sua personalidade de aspectos infantis e um tanto ingênuos de mais. Houve um momento do livro que eu quis dar uns tapas nela e dizer: sério, minha filha? Tu realmente não achava que tuas ações resultariam nisso?

Não dá!


Então é isso Corujinhas. Espero que tenham gostado do post. Não esqueçam de conferir o da Keth. Beijos.

| RESENHA | Ponto Sem Retorno – Gabriela Simões.

Oii gente, como vão? Mês passado a autora portuguesa Gabriela Simões me enviou um livro para leitura. Por conta das aulas e tudo mais acabei atrasando bastante aqui no blog assim como minhas leituras. Mas hoje finalmente trago a resenha deste livro bem legal da autora cheio de mistério, romance e ficção.

image

Título: Ponto Sem Retorno
Autora: Gabriela Simões
Editora: Vieira Da Silva
Ano: 2017.
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟
Onde encontrar: Skoob

Sinopse: Giselle Levy é meio-bruxa e vive isolada do mundo com o seu avô, escondida do olhar do rei. É cuidadosa e astuta, contudo, numa tentativa de sobreviver, foi apanhada e chantageada por um dos príncipes de Kendrad, Cristian, que promete não a entregar, se ela for trabalhar para o palácio. Num dilema, ela coloca em perigo a sua identidade e passa a trabalhar no palácio, onde terá de lidar com as constantes tentativas de sedução do príncipe Cristian, os misteriosos olhares de príncipe Eli, os encontros escondidos com o seu melhor e único amigo, Rylan, e um rei desumano com segredos obscuros. Giselle vive numa constante incerteza e angústia de ser descoberta, amargurada pelo facto de não poder ser livre, encontra uma misteriosa sala, com um poderoso encantamento que poderá mudar tudo. Assertiva, inteligente e defensiva, irá deparar-se com uma escolha que mudará para sempre a sua vida e a ideia que tem si própria.

Um dos meus estilo de livro favoritos é, com toda a certeza, a ficção fantástica. Acho emocionante a maneira com o qual os autores conseguem criar um novo mundo e dar cordas as nossa imaginação a medida que vamos lendo. O livro de Gabriela Simões me deixou com água na boca e ansiando pelo próximo. Foi um livro um tanto surpreende já que o percurso traçado por Giselle que de primeira parecia tão clichê, de uma guinada e me deixou estupefata. E apesar de triângulos amorosos não serem o meu forte, gostei bastante da forma que a convivência de Giselly com os príncipes suscederam. Isto porque os diálogos foram super bem escritos tornando a leitura fluída. A autora soube intercarlar os diálogos com as descrições e eu me vi dentro da história. Não existe nada melhor que isto.

Os únicos pontos fracos na história foram as expressões portuguesas e também a personalidade de Giselle. Na parte das expressões entendo que não é culpa da autora, mas isto tornou em algumas ocasiões uma desconexão para mim. Eu ficava com aquela cara de não entendi bulhufas ainda porque as expressões brasileiras são bem diferentes. Em relação a personagem principal achei-a bastante impulsiva e infantil. Usando bastante da ironia e do sarcasmo, Giselle me deixou frustada as vezes porque acho que existe um limite entre a sinceridade e a arrogância e a personagem várias vezes passou dele. Ela é bastante presunçosa o que é algo que não gosto nada-nada.

Mas críticas a parte, o livro de Gabriela Simões foi uma ótima surpresa. Fiquei surpresa com o gancho do final para o próximo livro e estou ansiosa para descobrir como a trama irá se desenvolver.