Arquivo da tag: New Adult

(Livrosofia) Românticos

Oi Corujinhas, como vão?

No Livrosofia de hoje vamos continuar na linha dos gêneros literários, mas de uma maneira diferente. Em minhas pesquisas sobre o gênero romance, descobri que não existe um gênero único para representar histórias que tem como foco narrativo a vida de um casal. Contudo, através das semelhanças podemos definir dois grandes blocos. Os romances atuais e os romances de época.

Esse post tem como objetivo focar nos Românticos, mas apenas nessa primeira parte vamos focar nos gêneros mais atuais para em seguida passar para os históricos. É bom ressaltar que muito embora o sobrenatural tenha grande carga amorosa, ele se enquadra bem mais no gênero Fantasia que no romance propriamente dito então ele não entrará em nenhuma dessas postagens.

Os escolhidos de hoje são o Young Adult, New Adult, e Romance Erótico. Tais gêneros têm se tornado populares entre os leitores principalmente através de publicações como da editora Intrínseca e Arqueiro.

┏━━━━━━✧♛✧━━━━━━┓
Young Adult
┗━━━━━━✧♛✧━━━━━━┛

os 13 porquesO Young Adult refere-se a literatura voltada a adolescentes e jovens adultos com idades entre catorze e dezessete anos. Tem uma abordagem abrangente possuindo temas diversos, dependendo também do subgênero ao qual está alinhado como por exemplo a fantasia e o sobrenatural. Mas tem características especificas que o difere dos outros gêneros. Os personagens principais são sempre adolescentes (uma forma de identificação com seus leitores) e trazem temas comuns a idade datada. Dentre eles podemos destacar: Identidade, depressão, bullying, drogas, sexualidade e relacionamento familiar. Nos últimos anos, vem se tratando também e quase que exclusivamente da vida em sociedade, suicídio e status social. Um bom exemplo de Young Adult é a obra Os 13 Porquês de Jay Asher que abarca a maior parte dessas temáticas .

o odio que voce semeiaAlém disto, é comum para o gênero o uso do censo de humor exacerbado em ironias ou frases cômicas, localizações na contemporaneidade, referências a usos dos adolescentes principalmente quanto a escrita ou modo de viver. Normalmente, são livros escritos em primeira pessoa, mas também podem ser encontrados exemplares em terceira. A obra O Ódio Que Você Semeia de Angie Thomas possui quase todas essas características e tem como subgênero o drama.

┏━━━━━━✧♛✧━━━━━━┓
New Adult
┗━━━━━━✧♛✧━━━━━━┛

O New Adult é classificado como literatura para jovens adultos, com idades entre dezoito e trinta anos sendo considerada uma das mais lucrativas. A principal diferença entre o New Adult e o Young Adult é a perspectiva e experiência de vida. Enquanto no segundo a obtenção dessas é a fonte principal do enredo, no NA se mostram como reflexos da vida dos protagonistas, se concentrando em criar novos inícios. Os personagens do New Adult costumam ter mais de dezoito anos e já estão na faculdade. Assim como no YA, abordam temas como identidade, depressão, suicídio, e brigas familiares sejam mas de maneira maneira mais complexa.

Belo desastreFoi mais ou menos em 2012 que o New Adult teve o primeiro aumento expressivo, principalmente através dos da publicação da série Belo Desastre de Jaime McGuire e Slammed da Colleen Hoover. Sua fama veio principalmente da comparação entre o gênero com o Romances Eróticos, pois suas tramas apresentam grande apelo a sexualidade. Contudo, deve-se ter em mente que o foco do NA não é sexo e sim questões a serem levantadas, o que – apesar de ser um sinônimo de romance erótico – não pode ser classificado como tal.

┏━━━━━━✧♛✧━━━━━━┓
Romance Erótico
┗━━━━━━✧♛✧━━━━━━┛

dom quixoteO Romance Erótico ou literatura erótica é – por incrível que pareça – o mais antigo dos gêneros românticos sendo datada desde a Idade Media. Como o nome sugere. utiliza do erotismo na forma narrativa a fim de instruir ou despertar o leitor nas práticas sexuais. Por ser abertamente produzido e altamente detalhado, o romance erótico também é chamado de literatura pornográfica, o que não se enquadra em sua descrição. O termo Erótico vem do grego Eros, e deve ser associado a beleza e ao amor e não a simples prática sexual.

A Ficção Erótica sempre foi considerada uma ficção de tabu, desde início das eras o sexo é tido como algo vergonhoso. Contudo, muitos autores representaram o sexo em suas obras como Miguel Cervantes em Dom Quixote e o livro Fanny Hill de John Cleland já na Era Vitoriana. Na mesma era, os romances tinham modelos parecidos que incluíam o sexo em modelos de estratificação-social, orgasmos delirantes e sado-masoquismo, sendo a maioria pertencente a categoria novelas ou contos, publicadas de forma anônima. 50 tons de cinza

No século XX e XXI, os romances eróticos eram populares apenas nas publicações de banca, em coleções como a série Momentos Íntimos dando notoriedade a autores como Nora Roberts. Mas foi apenas no século com a publicação do best-seller mundial Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James que o romance erótico ganhou fama e passou a ser publicado em massa, dando margem a outros autores do gênero como Sylvia Day e Tessa Dare.

✧♛✧

O romance é o gênero literário mais popular e abrangente. Muito embora suas obras não sejam apreciadas por todos, sempre existe algo no romance que chama atenção dos leitores. Espero que vocês tenham gostado da primeira parte dos românticos, e no próximo Livrosofia vamos falar ainda mais do romance.

(Resenha) Meu Romeu – Leisa Rayven – Livro 01

Nunca fui o tipo de pessoa que gosta de New Adult, mas Meu Romeu me chamou atenção desde o princípio e nada disso tem haver com a prerrogativa Shakespeariana que traz em seu título. Três anos depois do meu primeiro contato com a obra, posso dizer que a história foi sim excelente muito embora não tenha alcançado minhas expectativas.

Título: Meu Romeu | Título Original: Bad Romeu | Autor: Leisa Rayven| Editora: Globo Alt | Ano  2015| Páginas: | Avaliação: ⭐⭐⭐| Encontre: Skoob| Saraiva | Amazon

meu romeu

Sinopse: Cassie está prestes a realizar o grande sonho: estrelar um espetáculo na Broadway. O que ela não esperava era ter que enfrentar o reencontro com o ex-namorado, que será novamente protagonista ao seu lado, em uma peça cheia de romance e cenas quentes. Trabalhar com Ethan traz o passado à tona, e lembra a Cassie que o que existe entre eles vai muito além de simples química.

O amor não pode ser encontrado onde ele não existe, nem pode ser escondido onde ele realmente está.

Leisa Raven tem uma escrita boa, porém um livro mediano. Com poucas descrições físicas, muito sentimentalismo e grandes personagens, Leisa não consegue o principal que é a manutenção de um bom enredo. O maior ponto do livro e pior, paradoxalmente, é a escrita versus narrativa da autora. Muito embora Rayven consiga deixar o leitor atento as necessidades de suas personagens, na hora de criar o principal (o enredo) a autora se perde na superficialidade do erotismo.  Assim, apesar da escrita se excelente para nos fazer crer nos sentimentos dos personagens, o enredo torna-se fútil.

Querida Cassandra, às vezes, não é questão de consertar o que está quebrado. Às vezes, é questão de recomeçar e construir algo novo. Algo melhor

A história se desenrola em passado e presente para que entendamos como Cassie e Ethan foram modificados pelas suas trajetórias. Cassie foi minha personagem favorita por todas nuances que a personagem conseguiu trazer. Sem se perder no estereotropismo típico demais (personagens com sentimentos excessivos), Cassie tem a dose certa de timidez no passado e de amargura no presente. A garota foi construída para se tornar independente das amarras sociais, ao mesmo tempo que não consegue se desvencilhar dos medos de não ser aceita. Os motivos de Cassie são aprofundados e muito antes de uma personagem, enxergamos à nós ou as nossas amigas.

Infelizmente, o mesmo não pode ser dito de Ethan. Nunca gostei de personagens que fazem o esteriótipo bad-boy com bom coração e para Ethan isso não foi diferente. O engraçado é que se Rayven consegue revelar os segredos sentimentais de Cassie à luz do existencial, com Ethan a coisa não flui o personagem se torna só mais um exemplar masculino do gênero. Não consegui acreditar nas suas emoções e muito entender os motivos que pareceram infantis.

Uma opinião não precisa ser verdade para mais ninguém no mundo além de você. Para de tentar agradar a porra de todo mundo e diga o que você pensa.

Meu Romeu tem uma proposta interessante, mas um desenvolvimento que deixa a desejar. Muito embora não descarte a possibilidade de ler os próximos livros da trilogia, tenho que admitir que minhas intenções estão em baixa. Leisa Rayven tinha um mundo brilhante é uma pena que os seus reflexos não conseguiram chegar até os recantos mais profundos da obra.