Arquivo da tag: literario

| ANATOMIA LITERÁRIA | Capa e curiosidades sobre A Culpa É Das Estrelas.

Oii amores, bom dia, tarde ou noite, seja quaisquer hora que vocês estejam lendo este post. Espero que vocês estejam muito bem e que suas leituras venham sendo maravilhosas. No Anatomia Literária de hoje, falarei sobre A Culpa É Das Estrelas de John Green que muito embora não seja um dos meus livros preferido, a estética, referências e quotes dele me chamou tanto a atenção que acabei por gravar na mente algumas partes que hoje irei compartilhar com vocês, muito embora os quotes serão compartilhados no instagram. Além disso, estamos no Novembro Azul que é o mês de prevenção e combate ao câncer de próstata e estou fazendo diversos post, mas sobre a doença em geral. Mas aviso que caso você ainda não tenha lido essa obra esse post conterá spoilers.

image

A Culpa É Das Estrelas conta a história de Hazel Grace, uma jovem que luta contra o câncer de pulmão. Para agradar os pais, Hazel começa a frequentar um grupo de apoio para crianças com câncer onde conhece o jovem Augustus Waters. Embora Hazel não queira se envolver amorosamente com alguém, para não causar danos quando finalmente o câncer a levar, ao lado de Gus cada vez mais ela descobre que o amor não tem medidas e não têm freio. Ele não é uma dádiva que só os saudáveis irão ter. Pois quando amamos e somos amados de volta, até mesmo o menor dos tempos pode se tornar o maior dos infinitos.

A capa do livro é uma das mais legais conceitualmente que já vi, além de ser uma gracinha. O azul do fundo vêm da cor que é a simbólica da esperança. De certa forma é como se a capa fosse um manifesto para que mesmo nos momentos mais difíceis lembremos de ter esperança. Por nós, por nossa família, por nossos amigos… Em relação ao centro da capa, não sei vocês, mas antes eu imaginava que as nuvens eram realmente nuvens do céu (talvez pela composição com o fundo), mas na verdade são nuvens de pensamentos muito utilizadas em quadrinhos ao qual entendo como uma forma de mostrar quantas reflexões o autor nos daria ao produzir o livro. Já o título A Culpa É Das Estrelas, muito embora exista algumas opiniões que é uma referência à um trecho do livro onde um garçom diz ao casal principal que beber uma champanhe é como beber as estrelas, em realidade essa referência é um trocadilho relacionado ao livro Júlio Cesar de William Shakespeare. No texto original, o nobre Cássio diz a Brutus: “A culpa, meu caro Bruto, não é de nossas estrelas; mas de nós mesmos, que consentimos em ser inferiores.” Nesse trecho o termo estrelas é o equivalente a destino. Ao fazer tal trocadilho, John Green discorda de Shakespeare afirmando que as estrelas – o destino – têm sim bastante culpa sobre os fatos da vida pois existem pessoas boas que sofrem desnecessariamente em um mundo injusto e sobre ser ou não possível viver uma vida plena e significativa mesmo que não se chegue a vivê-la num grande palco, como Cássio e Brutus.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
Curiosidades sobre A Culpa É Das Estrelas.
•••°•°°••°°°••°°••°•••°°° •••°•°°••°°°••°°••°•••

** Hazel Grace foi inspirada em uma garota que exisitiu na vida real, chamada Esther Earl e morreu em agosto de 2010, aos 16 anos. Os pais dela criaram a fundação “This Star Won’t Go” (“Essa estrela não se apagará”) para ajudar famílias com crianças com câncer. John Green lançou um livro em homenagem a garota logo após A Culpa É Das Estrelas.

** John Green levou pouco mais de 10 anos para escrever o desfecho do livro.

** O livro Uma Aflição Imperial, bem como o autor Peter Van Houten são frutos da imaginação de John Green. Contudo, eles tem um belo significado além de funcionar como um gancho para continuidade da história. O autor estava tentando criar um reflexo de A culpa é das estrelas, sendo assim Hazel sentiria uma profunda conexão com a história. Seu fascínio com o que acontece com a mãe da personagem Anna é na verdade a vontade de saber o que vai acontecer com sua própria mãe quando ela morrer, e ela vê na ambiguidade do final a mesma ambiguidade de sua vida: Hazel nunca será capaz de ter certeza que sua mãe ficará bem.

** Hazel assiste America’s Next Top Model porque John Green queria mostrar que, apesar de tudo, ela era uma adolescente.

** A famosa frase “Eu me apaixonei da mesma maneira que a gente cai no sono: devagar, e então de uma vez só” foi inspirada em Hemingway.

** Os adolescentes que participam do “grupo de apoio” no filme são realmente jovens que lutam contra o câncer.

** O nome Hazel é uma cor de transição e a personagem está no meio de um monte de coisas: entre ser saudável e ser doente, entre a infância e a idade adulta, ao qual John Green demonstra o nome como uma maneira de comunicar a instabilidade e medo.

** Já o nome de Augustus é um nome de imperadores romanos associado a noções tradicionais de grandeza. Mas Gus, seu apelido, é o nome de uma criança. No livro, ele vai da força à fraqueza, que é o oposto da jornada do herói habitual. Ele começa sendo um garoto confiante e pretensioso. E então ele se torna vulnerável. Para Gus, esse é um processo brutal.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

Então amores, esse foi o Anatomia Literária de hoje, em favor do Novembro Azul. Mas à todos as pessoas, fica aqui meu apelo para que façam exames, se previnam e lutem contra essas doença. “A vida é boa” não a perca. Espero que tenham gostado. Beijos.

Anúncios

| LISTA | 05 livros que retratam o câncer.

Oii amores, tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais uma lista em parceria com a Keth (Parabatai Books). Normalmente, há muitas campanhas para a prevenção dos mais variados tipos de câncer. Esse mês é  o Novembro Azul que fala sobre prevenção do câncer de próstata. Mas como o azul é uma cor que evoca esperança, esse mês mostrar livros que falem do câncer em geral pois é sempre bom bater na tecla da prevenção. Então, apesar da cor predominante dos posts, esse mês vai ser pontuado por — entre outras coisas — um manifesto a favor de quem luta contra e para a prevenção do câncer.

Na lista de hoje, escolhi cinco livros que falam sobre o câncer com personagens que me pareceram fortes para lutar contra a doença. Mas são personagens que acima de tudo se mostraram altruísta e sonhadores mesmo com todas as dificuldades que enfrentaram.

Vamos lá?

1. Antes De Partir – Colleen Oakley.

image

Sinopse: Na véspera do que esperava ser uma triunfante comemoração de três anos livre do câncer, Daisy, 27 anos, sofre um golpe devastador: seu médico lhe diz que a doença está de volta, desta vez ainda mais agressiva. Tendo apenas de quatro a seis meses de vida, ela está apavorada com o que será de seu marido, Jack, quando não estiver mais lá para cuidar dele. Esse medo tira seu sono, até que uma solução lhe vem à mente: ela precisa encontrar outra mulher para ele. Com uma determinação singular, Daisy visita parques, cafeterias e sites de relacionamento à procura do par perfeito para Jack. Mas, à medida que ela avança em sua busca, ela se vê forçada a decidir o que é mais importante no curto tempo que lhe resta: a felicidade de seu marido ou a sua própria?

O primeiro livro tem uma história clássica de amor ao próximo e altruísta. A personagem principal, Daisy, me parece porem estar fragilizada pois embora queira estar no controle da situação de seu marido, ela parece perder um pouco de si ao se recusar a olhar para os dois e ver que talvez ele queira ficar perto dela sem se preocupar com o depois. Fico curiosa com o desenrolar de tudo.

2. A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar – Esther Earl, Lori e Wayne Earl.

image

Sinopse: Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa “estrela”, ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte. A estrela que nunca vai se apagar é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujos carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.

Apesar de não ser a maior fã de A Culpa É Das Estrelas, tenho que admitir de que mesmo apenas lendo a sinopse da biografia garota que inspirou o livro me deixa emocionada. A história de Esther é inspiradora e mesmo não curtindo o gênero, quero sim dar uma chance ao livro e conhecer um pouco dessa garota maravilhosa.

3. Como Viver Eternamente – Sally Nicholls

image

Sinopse: Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.

Acho que esse deve ser o livro mas fofo da lista. Por se tratar de um livro sobre uma criança, não deve conter apelos de romance romântico o que me deixa encantada com a premissa do livro. A abordagem da autora é a utilização de problemas comuns à idade do jovem Sam. O que representa o quão normal uma criança pode ser condições.

4. A Mais Pura Verdade -Dan Gemeinhart.

image

Sinopse: A Mais Pura Verdade – Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça. A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

Também narrado em segunda pessoa, a mais pura verdade me tocaria mas por outro motivo. O livro não parece ser leve e sim pautado de emoções mais pesadas como raiva e sofrimento. Mas também é um livro que fala de autoconhecimento onde um garoto utrapassa as barreiras que a sociedade criou para ele.

5. Um Amor Para Recordar – Nicholas Sparks.

image

Sinopse: Cada mês de abril, quando o vento sopra do mar e se mistura com o perfume de violetas, Landon Carter recorda seu último ano na High Beaufort. Isso era 1958, e Landon já tinha namorado uma ou duas meninas. Ele sempre jurou que já tinha se apaixonado antes. Certamente a última pessoa na cidade que pensava em se apaixonar era Jamie Sullivan, a filha do pastor da Igreja Batista da cidade. A menina quieta que carregava sempre uma Bíblia com seus materiais escolares. Jamie parecia contente em viver num mundo diferente dos outros adolescentes. Ela cuidava de seu pai viúvo, salvava os animais machucados, e auxiliava o orfanato local. Nenhum menino havia a convidado para sair. Nem Landon havia sonhado com isso. Em seguida, uma reviravolta do destino fez de Jamie sua parceira para o baile, e a vida de Landon Carter nunca mais foi a mesma.

Um Amor Para Recordar é um dos meus livros favoritos. Ler esse livro foi uma experiência única que somente Nicholas Sparks poderia nos proporcionar.  O autor nos apresenta dois personagens que vão além do simplório mesmo que tenham uma relação cliché de badboy + garota tímida. Mas nesse livro o que esta em jogo é o crescimento que todos os personagens possuem durante esta trajetória.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Bom amores, essa foi a lista de hoje espero que tenham gostado. Não se esqueçam de ver a lista da Keth também.  E caso tenham alguma sugestão de quais listas queira ver aqui no blog fique à vontade para deixar nos comentários. Beijos.

| LIVROSOFIA | Componentes Literários.

Oii amores, tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais um livrosofia. Espero que vocês estejam gostando dos temas das postagens. Hoje, vou livrosofar sobre os componentes da narrativa tão importantes na construção do universo dos livros. Esse post será de longe o mais pessoal da categoria porque tenho certeza que esses integrantes se comportam de maneiras diferentes para os leitores.

Quando comecei a ler, eu tinha quatro anos (viva minha mãe!), mas só me tornei uma uma leitora voraz muito depois quando ganhei meu primeiro smartphone aos dezesseis. Foi quando descobri os livros online e posteriormente os digitais. Naquela época, os livros me ganhavam com facilidade pois eram mundos extremamente novos. Mas a medida que os anos foram passando, eu lia cada vez mais de modo que fui mudando meus conceitos e adquiria maior criticidade com o que estava lendo. Não era mais toda obra que me chamava atenção nem toda que me surpreendia. Resgatando o que falei no mês passado, cresci literariamente e os componentes foram ganhando outra proporção ao passo que criei novos parâmetros sobre o que considerava importante em um livro. Meus componentes literários amadureceram junto comigo.

O primeiro ponto que me faz gostar ou não de um livro é a sua narrativa de um modo geral. Esta tem que conquistar provocando minha vontade de continuar lendo. Hoje em dia não tenho mais problemas em abandonar obras pois como sabem a vida é muito curta para ler livros ruins. Já abandonei um par de livros que pareciam ter uma boa história, mas não fluentes por terem uma narrativa fraca ou repetitiva. Não que eu espere que toda leitura seja fácil, mas se não existe ali um real sentimento de ler não o farei. Sempre procuro ir até o fim de leitoras que me estimulem, afinal de contas se eu não amar o que estiver lendo, não faz o menor sentido continuar. Dentro da narrativa, a maneira com o qual o autor irá conduzir a história em termos de escrita também me influência à continuar lendo o livro. Em uma questão de detalhismo, sou do tipo de leitora que gosta de uma execução mais minimalista ou no quesito ambiente, ou no quesito emoção: quando encontro livros que trazem um trabalho maior detalhes é como se eu fizesse parte da história já que consigo me ver dentro dela.

Se o primeiro ponto é a narrativa, o segundo será com certeza a construção dos personagens. Existem variados tipos de pessoas no mundo, mas a perfeita não é uma delas. Se tem uma coisa que me deixa bastante irritada com um livro é a construção de personagens perfeitos. Em uma consideração de obras que li e percebi essa perfeição, posso dizer que em suma maioria acabei não gostando dos livros. A perfeição tira o credível de qualquer obra, o que — mesmo em ficções — é um ponto chave para uma boa leitura. Se não mergulhamos e não acreditamos no que estamos lendo, não faz muito sentido continuar lendo. Por esse motivo, para personagens, algo que ajuda em sua construção é a pré-história que eles carregam. Se todo leitor tem bagagem, obviamente todo personagem também deve ter a sua que é nada mais nada menos que toda sua trajetória de vida até ali. Não importa se um determinado personagem começa a contar sua história aos cinquenta anos, ele precisa ter nascido e crescido em dados momento para ganhar personalidade, afinal de contas ninguém nasce, cresce e morre com as mesmas ideias. Quanto mais um personagem tem sua história de vida trabalhada mais profundo e plausível ele ficará.

Seguramente, a narrativa volta à ser o foco principal dessa discussão quando penso nos motivos do autor. Se todo livro tem uma coisa em comum é que todos têm um motivo para serem escritos. Não estou falando aqui da moral da história ou o ensinamento que o autor quer passar ao fim de tudo — já que considero estas apenas consequências de uma boa narrativa do que algo feito de caso pensado; bons livros falam por si só —, mas sim daquele enorme xis da questão. (Dando um exemplo de um clássico: Qual motivo de Peter Pan? Um(a) autor(a) criou um mundo para falar sobre o medo de se perder a inocência com a chegada da maturidade). Dessa forma, se eu disser que o motivo da história é importante seria um eufemismo. O xis da questão é normalmente uma base que vai guiar todo o caminho traçado pelo autor. É o ponto inicial que vai definir os caminhos com os quais a história poderá ser desenvolvida.

Partindo disso, chegamos então ao ponto crucial de toda obra. Aquele momento que simplesmente vai definir se eu realmente gostei da obra ou não. Afinal, se toda obra tem os motivos que irão definir o caminho traçado, então todo livro deverá ter um bom porquê para lhe dar fundamento à sua argumentação. O caminho traçado pelo autor ao fim de tudo terá que fazer sentido quando ele enfim juntar todas perguntas que nos fazemos ao ler uma obra (Porquê o casal resolveu ficar junto ou não; porquê aquele personagem decidiu cometer um crime). O porquê de um livro é o ponto onde vamos decidir se aquela obra valeu a pena. Se todo caminho percorrido do começo ao fim fez sentido.

Os componentes literários não são moldes que se adequam a todos os livros. Não posso dizer que a falta de uma ou outra coisa influenciem completamente em minhas leituras. Mas estes são pontos de partida para eu analisar o impacto que aquela obra teve sobre mim em seus mais variados aspectos. Dessa maneira, gosto de pensar que livros são como roupas. Um autor irá desenha-la, planeja-la, corta-la e custurar ela da maneira com o qual achar melhor. Mas ao fim de tudo, será o leitor que escolherá se a aquela obra serviu-lhe ou não.

•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•

Bem amores, esse foi o Livrosofia de hoje. Espero tenham gostado. Mês que vem vou trazer um pouco de História para vocês sobre os gêneros e sua classificação. Lembrando que vocês podem ver os outros posts da categoria através da aba aqui do lado. Mas enquanto isso, deixem comentários sobre os seus componentes literários. Eu ia amar saber o que conquista vocês livros.

Mil beijos. Até o próximo.

| LIVROSOFIA | Amadurecimento literário.

Oii gente, tudo bom com vocês?! Hoje é dia de mais um livrosofia, segundo post dessa série e admito que tenho me segurado para não ir postando tudo de uma vez. Já tive maravilhosas ideias minhas e de amigos para construção de postagens e por isso sei que esta série vai ter uma longa vida. Além disso, de vez em quando vou postar alguns trabalhos das minhas aulas de literatura aplicada da faculdade, pois já que somos leitores e nossa good vibes é literatura, nada mais justo que compartilhar com vocês algumas coisinhas sobre gêneros e quem sabe discussões sobre os papéis dos personagens e da própria literatura em contextos humanos. Então, como recadinho se vocês tiverem alguma ideia de discussões para essa aba, fiquem a vontade para comentar ou mandar um email. Eu adoraria saber mais um pouco sobre o que vocês gostariam de ver aqui no blog.

image

Na semana passada falei um pouco sobre indicações literárias e como cada leitura é diferente para cada pessoa. Por isso, o livrsofia de hoje será sobre a bagagem que o leitor carrega e que vai aumentando com as situações ao longo do tempo. Mais especificamente será sobre o amadurecimento literário que todos nós temos a medida que vamos mergulhando cada vez mais no mundo dos livros.

Em todas as fazes de nossa vida, a medida que passamos por diversas situações, vamos aprendendo e evoluindo com elas. No mundo literário as coisas funcionam da mesma maneira, onde, através de cada obra, nossas formas de ver os livros vão mudando e se reinventando. Os leitores, principalmente os de longa data, podem perceber que certos tipos de obras não são mais tão prazerosas ou significativas como poderiam ter sido se houvesse sido lidas em uma época passada ou mesmo em uma futura. Os livros que lemos por obrigação nos tempos de escola não nos dizem muita coisa talvez pelo simples fatos de não estarmos preparados para eles. E os livros menos trabalhados, que não chegam a trazer uma história realmente bem construída as vezes parecem deixar uma sensação de nostalgia onde sentimos saudades de uma época onde sabemos que esta história funcionaria melhor. Não que isto se aplique a todas as obras, mas em parte delas, naquelas em que não conseguimos sentir seu impacto porque não estamos mais ou não chegamos ao momento de entender elas em sua plenitude.

O amadurecimento literário ocorre gradualmente sem ao menos nós percebemos. A medida que os componentes literários das obras vão se tornando mais importantes passamos a ter uma maior criticidade com o que estamos lendo. Assim, vamos ganhando personalidade crescendo em nossas leituras reconhecendo o novo do que já havia sido dito. Dessa forma, ao pensar que existe variados tipos de livros pois existem variados tipos de pessoas, inserimos aqui que existem variados tipos de leitores porque quando eles amadureceram literariamente o fizeram de modo diferente um dos outros.
image

Essa evolução gradual ocorre porquê o leitor começa a sentir necessidade de uma maior construção na história tanto a favor de seu enredo como também de seus personagens. Não que busquemos isso arduamente, mas sim sendo algo que simplesmente acontece com todos porque nossa mente se torna mais complexa e para nos manter interessados também precisamos de livros mais complexos.

Amadurecer é tornar-se mais desenvolvido e complexo. É criar uma identidade, ser mais crítico e ponderado. No mundo literário, crescer é muito mais que começar a ler obras “intelectuais” ou mundialmente conhecidas. É principalmente discernir o que nos fazia feliz na literatura do início do que nos faz feliz hoje. É se tornar crítico não para os padrões da sociedade, mas aos nossos próprios criando assim autenticidade e reconhecimento sobre nossas leituras.

| DESAFIO | Literário Cultura.

Ooi amores, tudo bem com vocês?

Mês passado junto com a Mih (Eu Sou Um Pouco de Cada Livro Que li), Fernanda (Conduta Literária), Janini (Palavras Imaginárias) e Paula (Obras Nacionais), começamos no instagram a cumprir os pontos do Desafio Literário da Livraria Cultura. Para quem não sabe, um tempo atrás a cultura lançou um trio de marcadores com desafios literários para que nós leitores tenhamos a oportunidade de ler livros que saiam da nossa zona de conforto. Cada marcador possuí uma cor diferente com desafios temáticos diferentes.

image

No marcador cor de rosa temos o tema “Livros para se apaixonar” com os seguintes tópicos:

🌹 Um livro com um triângulo amoroso.
🌹 Um livro que o protagonista foge.
🌹 Um livro narrado em mais de um ponto de vista.
🌹 Uma história de amor baseada em fatos.
🌹 Um livro que se passa em um lugar que você sempre quis visitar.
🌹 Um livro que contém um triângulo amoroso.
🌹 Um livro que virou filme.
image

No marcador laranja temos o tema “Livros para serem eternizados” com os seguintes tópicos:

🍂Um livro ganhador do prêmio Pulitzer.
🍂Um livro com mais de 500 páginas.
🍂Um livro de um autor latino-americano.
🍂Um livro que foi proibido de ser lançado.
🍂Um livro escrito antes de 1900.
🍂Um livro que virou musical.
🍂Um livro lançado no dia que você nasceu.
🍂Um livro que tem no título o nome do protagonista.
image

No marcador cor de azul temos o tema “Livros para viajar por outros mundos” com os seguintes tópicos:

❄ Um livro com uma aventura em alto mar.
❄ Um livro que tem animais falantes.
❄ Um livro que passa-se em diferentes reinos.
❄ Um livro que tem um dragão na capa.
❄ Um livro em que foi criado uma nova língua.
❄ Um livro que tem um portal para outro mundo.

Como foi dito, o desafio ja começou. Ele terá uma duração longa onde vai praticamente até o fim do ano. Afinal a meta é ler um livro por semana até o fim do ano. No meu instagram Fantástica Ficção e nos das meninas (redirecionados a cima) temos postado as fotos das nossas escolhas aos quais vocês podem acompanha pela hashtag #5x3desafiocultura. E partir do mês que vem vou postar aqui no blog as resenhas desse livros para vocês. Nas primeiras semanas vou postar duas a duas até chegar a semana da vez.

Se você não viu o post do instagram e quer participar basta postar fotos com a tag tanto aqui no blog quanto no instagram. E assim faremos das nossas leituras ainda mais perfeitas neste ano.

Beijos. Até breve.

| LISTA | 05 Livros Para Ler No Verão

Oii gente. Eu e a Keth (Parabatai Books) estamos de volta com as listas para vocês depois desse longo mês de recesso. Agora ao invés de sair nos dias 30 de cada mês, para ficar mais organizado decidimos deixa-las na segunda sexta feira de cada mês. Nesse mês, vamos fazer listas opostas. A Keth vai trazer no post dela livros para ler no inverno e eu no verão, já que estamos nesse chove/calor. Espero que gostem.

Vamos começar?

01 👑 O Teorema Katherine

image

Muitas pessoas não gostam desse livro, mas eu o considero um dos melhores livros de romance levinhos do Young Adult para se ler. É uma história simples e bem contada sobre nada mais nada menos que o término de um namoro. Além do fato que Colin, Hassan e Lindsay são hilários.

02 👑 Nove Regras A Ignorar Antes de Se Apaixonar

image

Mais ou menos há dois meses eu li o primeiro livro da série da Os Números Do Amor da Sarah MacLean e fiquei absolutamente encantada por ele. Foi o melhor da trilogia e além de ser um livro leve e divertido é também quente combinando perfeitamente com esta época do ano.

03 👑 Simon Vs A Agenda do Homo Sapiens

image

O livro de Becky Albertalli conta a história de um garoto gay que ainda não conseguiu contar as pessoas sobre isso, mas que um dia o ser chantageado com este segredo Simon começa a pensar em se libertar das amarras. Este livro foi de certa forma, uma grata surpresa. Já havia lido um livro com o tema de homossexualismo antes e o achado bem estereotipado. Mas Simon Vs A Agenda do Homo Sapiens foi interessante e promissor.

04 👑 A Noiva Devota

image

Acho que em quase todas as listas que dê margem a romance ou comédia eu vou acabar por citar um livro da Mari Scotti. É uma das minhas autoras favoritas e o livro de Rosalina está no top cinco dos meus favoritos da autora. Leve e apaixonante, foi bem diferente perceber como a autora desenvolveu a história de modo nenhum pouco convencional.

05 👑 O Diário da Princesa

image

Todo mundo já assistiu Anne Hathaway como Mia e ficou apaixonado pela princesa de Genóvia. Imagine ler o diário da princesa e entrar em sua cabeça? Esse livro foi maravilhoso e de certa forma surpreendente. Muita coisa das telonas é bem diferente da obra, mas nem por isso os livros são inferiores. Com uma narrativa simples, Meg Cabot encanta.

⁝⁞⁝⁞⁝⁞⁝⁝⁝⁞⁝⁞⁝⁞⁝⁝⁝⁞⁝⁞⁝⁞⁝

Então é isso. Espero que tenha gostado da lista e sentido vontade de ler uma dessas obras. Até a próxima. Beijos.

| RESENHA | Garota Online – Zoé Sugg – Série Garota Online – Livro Um

Título: Garota Online
Título Original: Girl Online
Série: Garota Online – Livro Um
Autora: Zoe Sugg
Editora: Verus
Avaliação: 🌟🌟🌟
Onde Comprar:

image

Sinopse: Garota Online – Penny tem um segredo. Com o nickname Garota Online, ela escreve um blog no qual desabafa seus sentimentos mais íntimos sobre amizade, meninos, os dramas do colégio, sua família maluca e os ataques de pânico que começaram a dominar sua vida. Quando as coisas vão de mal a pior, sua família a leva para Nova York, onde ela conhece Noah, um garoto lindo que toca guitarra, e com quem ela parece ter muito em comum.  De repente, Penny percebe que está se apaixonando — e escreve sobre cada momento dessa história em seu blog, de maneira anônima. Só que Noah também tem um segredo, que ameaça arruinar o disfarce de Penny para sempre. Garota Online é um livro encantador, que traduz exatamente o que significa crescer e se apaixonar na era digital.

Quando você chora na frente de alguém, quando mostra seu lado mais vulnerável, demonstra que realmente confia na pessoa.

Quando eu comecei a ler Garota Online sabia que ia ser um livro que me causaria uma sensação nostálgica. Do tipo em que somos jovens (ainda sou jovem, mas não mais teen) e amamos aquele livro ao qual a personagem principal meio que nos representa, pois 90% dos adolescentes já se sentiu desengonçado como se estivesse sempre no lugar errado e na hora errada. Penny lembra exatamante essa garota. Uma garota que tem o talento nata para se meter em confusão e se sentir como um peixe fora do aquário. Por isto, apesar da história ser bobinha e previsível,  ela foi  bem gostosa e divertida de ler.

Mas depois me perguntei se, às vezes, as amizades não são como roupas, e quando começam a causar desconforto, não é porque fizemos alguma coisa errada. Significa que crescemos, e elas não servem mais para a gente.

Penny é o tipo de personagem que em outra ocasião eu não gostaria. Ela é insegura de uma maneira que as vezes eu possuía aquela vontade básica de entrar no livro só para dar uns tapas na cara dela. Mas lembrando de mim mesma como adolescente percebo que muito de mim era como Penny. As vezes eu levava coisas pequenas à sério de mais e fazia logo um dilúvio em uma tampinha de xarope. Mas acho que grande parte de nós já passou por isso. A adolescência é aquela fase em que tudo é exagerado. E a personagem principal de Garota Online me lembrou justamente isso.

Existem pessoas que você se apaixona oficialmente segundos depois de conhecer.

Acho que o único ponto que realmente me incomoda no livro de Zoe é a falta de algo mais para a história. Todo livro que leio, independente do que se trata, para me fazer simplesmente ama-lo, precisa de uma abordagem diferente dentro daquilo esperado para ele. E Garota Online não me surpreende nem me chama atenção nesse quesito. A linguagem que autora uza é sim engraçada e leve, mas os fatos do desenrolar é tão sessão da tarde que é impossível não descobrir livro durante todo o livro. E muito embora eu tenha demorado apenas sete horas para finalizar a história, não posso negar que isto me deixou as vezes entediada com a leitura onde várias vezes empurrei com a barriga.

Às vezes você precisa encarar seus medos, para perceber que eles não são reais.

Por esses motivos considero Garota Online uma boa leitura. Não é surpreendente e com certeza não é algo completamente novo. Mas mesmo assim é uma leitura fluída e gostava de uma tarde e que traz a nostalgia de volta.

| L.I.S.T.A. | 05 Livros Para Ler Este Ano

Oi gente! Como vão? Vou finalmente retornar as listas com cinco livros para ler esse ano. Aqueles livros que temos necessidade de ler seja porque vai no cinema ou mesmpo que desejamos muito contemplar a leitura. Essa lista tem muita cara de janeiro, mas como eu sou universitária meu ano literário começa nas férias e por isso vou aproveitar para ler bastante.

Confira as respostas abaixo.

1. Corte de Espinho e Rosas da Sarah J. Maas.

Esse é um livro que tenho enrolado para ler porque queria ler ele físico. Porém deste ano não passa! Preciso ser ele e consequentemente seu sucessor Névoa e Fúria.

image

Sinopse: Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

2. The Kiss Of Deception de Mary E. Pearson.

Outro livro que tenho bastante vontade de ler e que está na lista desse ano é este da série As Crônicas de Amor e Ódio que me parece ser um ótimo livro, ainda mais agora que descobri que o livro não é tão romântico quanto aparenta.

image

Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro.

3. Loney de Andrew Michael Hurley.

Esse livro eu descobri no blog da Cris (Platarforma 9¾) e desde então me pego querendo ler ele. Finalmente, esse ano, vou realizar essa leitura que deve ser incrível.

image

Sinopse: Quando os restos mortais de uma criança são descobertos durante uma tempestade de inverno numa extensão da sombria costa da Inglaterra conhecida como Loney, Smith é obrigado a confrontar acontecimentos terríveis e misteriosos ocorridos quarenta anos antes, quando ainda era criança e visitou o lugar. À época, a mãe de Smith arrastou a família para aquela região numa peregrinação de Páscoa com o padre Bernard, cujo antecessor, Wilfred, morrera pouco tempo antes. Cabia ao jovem sacerdote liderar a comunidade até um antigo santuário, onde a obstinada sra. Smith crê que irá encontrar a cura para o filho mais velho, um garoto mudo e com problemas de aprendizagem. O grupo se instala na Moorings, uma casa fria e antiga, repleta de segredos. O clima é hostil, os moradores do lugar, ameaçadores, e uma aura de mistério cerca os desconhecidos ocupantes de Coldbarrow, uma faixa de terra pouco acessível, diariamente alagada na alta da maré. A vida dos irmãos acaba se entrelaçando à dos excêntricos vizinhos com intensidade e complexidade tão imperativas quanto a fé que os levou ao Loney, e o que acontece a partir daí se torna um fardo que Smith carrega pelo resto da vida, a verdade que ele vai sustentar a qualquer preço.

4. O Silêncio dos Inocentes de Thomas Harris.

Meu gênero favorito é o suspense. A maioria dos meus livros são de suspense. E mesmo assim, eu nunca li esse livro. Dá para acreditar? Esse ano eu mudo isso.

image

Sinopse: Cinco mulheres são brutalmente assassinadas em diferentes localidades dos Estados Unidos. Para chegar até o sanguinário assassino, uma jovem treinada pelo FBI entrevista o Dr. Hannibal Lecter, um brilhante psiquiatra, cuja mente está perigosamente voltada para o crime. Ao seguir as pistas apontadas por Lecter, a jovem se vê envolvida numa teia mortífera e surpreendente.

5. Brooklyn de Cólm Tóibín.

Esse livro possuí um filme que nunca assisti. Mas através de um trailer presente no meu DVD de Jogos Vorazes – A Esperança – Parte Dois, eu conheci o livro que dizia que tinha base no filme homônimo. Desde então tenho muita vontade de ler a obra.

image

Sinopse: No início dos anos 1950, a Irlanda não oferece futuro para jovens como Eilis Lacey. Sem encontrar emprego, ela vive na pequena Enniscorthy com a mãe viúva e a irmã Rose. Mas eis que o padre Flood lhe faz uma oferta de trabalho e moradia no Brooklyn, Estados Unidos. De início apavorada com a ideia de sair do ninho familiar, ela acaba partindo rumo à América. Triste e solitária em seu novo mundo, a tímida Eilis acaba por estabelecer uma rotina de trabalho diurno e estudo noturno na faculdade de contabilidade. No baile semanal da paróquia, conhece um jovem de origem italiana que aos poucos entra em sua vida. Mas quando começa a se sentir mais livre e segura, Eilis é obrigada a voltar, por algumas semanas, para Enniscorthy. E ali ela se vê, mais uma vez, diante de uma escolha que poderá modificar sua vida.

︻︼︻︼︻ ︻︼︻︼︻ ︻︼︻︼︻

Gostaram?

Não vou marcar nenhum blog para fazer, mas adoraria ver as respostas de vocês caso façam. Então se for fazer deixa um comentário. Mil beijos.

| RESENHA | O Caminho Do Poço Das Lágrimas – André Vianco.

Sinopse: O Caminho Do Poço Das Lágrimas conta a história de um pai que está preocupado com o bem estar de seus filhos. Jonas viajava com os filhos Ingrid e Bosco por uma estrada escura. De repente os três adormecem e, quando acordam, depois de muitos sonhos agitados, se dão conta de que estão em um vasto campo verde. O carro em que viajavam desapareceu e a única saída daquele campo é um caminho formado por pedras justapostas… é O Caminho do Poço das Lágrimas. Orientados para não saírem do caminho, a tarefa parece impossível. Ingrid tem curiosidade, Bosco tem sede e Jonas tem medo. Para onde os levará esse caminho? Que mistérios e perigos os esperam?

image

Emprestado pelo meu primo/melhor-amigo Kristhian, O Caminho do Poço das Lágrimas de André Vianco foi uma leitura que me surpreendeu por ao mesmo tempo ser simples e bem trabalhada. Pode parecer confuso dizer algo do tipo mas a verdade é que o livro de André Vianco apesar da história aparentemente simples e infantil, ele na verdade tem bastantes pontos que me deixaram sem palavras. Nas palavras de Kristhian, você vê que o céu é azul, André Vianco te convence que o céu é verde, para no fim você descobrir que estava certo desde do início. Confuso? Imagina a surpresa quando estava lendo.

O livro é reflexivo sobre a vida e a morte e os impactos que elas trazem em nossos corações. André Vianco fez uma pausa nos seus livros vampirescos, para nos trazer um significado maior. Pois apesar do terror e do suspense que fazerem parte desta história, o foco é tambem as lembranças que se enraizam nos perigos encontrados pela família. Jonas com o passar do tempo se aproxima mais dos filhos a quem tinha se afastado pelas obrigações da vida, tornando a história mais emocionante ao passar de suas páginas.

Eu amei este livro e apesar de ter lido em 2014, as memórias dele ainda estão em minha mente, pois André nos mostra que por mais que temamos a morte, todos um dia vamos passar por ela e devemos ter a consciência de que tivemos uma vida plena e feliz.

Título: O Caminho do Poço das Lágrimas
Autor: André Vianco
Ilustrações: Lese Pierre
Editora: Novo Século
Edição: 2008
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟⭐

image

O Oceano No Fim do Caminho – Neil Gaiman

Um homem volta a sua cidade natal para um funeral. No caminho ele para em uma fazenda que o faz lembrar dos perigos e dos desafios que ee viveu na infância. 
Há quarenta anos, um homem cometeu suícidio dentro do carro do pai de um menino, que em seguida vê seu mundo virar de cabeça para baixo. Fatos em série vão ocorrendo e apenas Lettie Hempstock parece poder ajudá-lo. 
Ela o leva para os fundos de sua fazenda e mostra a ele um lago  – a qual chama de oceano – para resolver o problema. Mas nessa aventura, algo frio e perigoso vai ser despertado e juntos eles precisam mandar a coisa de volta para as profundezas.
Neil Gaiman trás muita sabedoria para O oeano no fim do caminho, um livro que nos mostra que os perigos que enfrentamos na infância ficaram conosco até a vida adulta.




Ao começar a ler o Oceano No Fim do Caminho eu não imaginava que me surpreenderia tanto com o livro. Muitas vezes ameaçador e atordoante, Neil Gaiman me fez sonhar com esse oceano e analizar o meu passado. As coisas vão se encaixando perfeitamente. Cada fato sucede á um outro numa narrativa impressionante e de tirar o folêgo. Mesmo que contado aos olhos de uma criança, é possível enxergar o mundo adulto: Nas coisas boas e nas coisas ruins. O Oceano No Fim do Caminho é um livro que além de tudo mostra a genialidade de Neil Gaiman.