Arquivo da tag: ler

( TAG ) The Big Bang Theory

Oi Corujinhas.

Essa semana foi dia de se despedir de uma das minhas séries favoritas. Com um humor ácido, personagens icônicas e física aplicada de maneira não convencional, The Big Bang Theory é uma das responsáveis por dar aos nerds um espaço no mundo. Após doze temporadas, a sitcom foi finalizada de maneira excepcional. Choramos e nos divertimos, mas muito mais que isso, vimos mais uma vez a importância da amizade.

Para homenagear a séries, escolhi criar e responder uma tag em sua homenagem. Como espero não dar spoilers, vou deixar o livro escolhido e a sinopse. Espero que gostem.

1. Bazinga: Um livro com um personagem ou elemento que te enganou.

terras metalicasSinopse: A Última Guerra lavou a atmosfera com uma massa nuclear, tornando-a incapaz de sustentar a vida. Para continuar sobrevivendo, a humanidade precisou se adaptar, isolando-se numa atmosfera artificial: a Esfera, local onde tem se mantido com o passar das gerações. A utopia da sociedade reinou desde então, com a paz sendo mantida com mão de ferro pela Elite. Mas essa paz pode acabar… Raquel é uma recém-formada em primeiro nível na Academia, que passa seu tempo livre entre Saturno – o parque temático da Esfera – e divagações sobre seu sonho de voar. Ao iniciar uma nova etapa de vida, ela vai encarar a cerimônia de implante que pode tornar esse sonho realidade, se a habilidade dos Túneis lhe for conferida. Mas essa nova etapa também vai levá-la por caminhos perigosos… Raquel descobrirá que o IA, responsável por todos os sistemas de sobrevivência da Esfera, está com os dias contados. Como manter a sanidade sabendo que a vida tal qual você conhece está para acabar? Raquel ainda não tem essa resposta, mas vai precisar encontrá-la. E para isso ela precisará, mais do que nunca, da ajuda de seus amigos… Tashi, Tales, Ângelo, Camila, Liceu, Isabela e Nirvana lhe darão sustentação quando tudo o mais na utópica Esfera estiver ruindo.

2. Toc! toc! toc! Penny: Um livro sobre obsessão. 

O Jardim das BorboletasSinopse: Quando a beleza das borboletas encontra os horrores de uma mente doentia. Um thriller arrebatador, fenômeno no mundo inteiro. Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas… e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente.

3. A loja de quadrinhos: Um livro que mencione ou tenha super-heróis.

eleanor e park

Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

4. O apartamento 4A: Um livro que te faz sentir em casa.

Harry-potter-e-a-pedra-filosofal-livro

Sinopse: Conheça Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas.

5. Star Trek: Um livro que você releria mil vezes se pudesse.

pequenas grandes mentirasSinopse: Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada. Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline. Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade. Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida. Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada. Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

 

Espero que tenham gostado das escolhas Corujinhas.
Beijos.

 

 

( RESENHA ) Sete Pinturas: A Lenda do Fim do Mundo – Landulfo Almeida

Conheci o livro Sete Pinturas: A Lenda do Fim do Mundo no final do ano passado. Como sempre, ignorei a sinopse e olhei diretamente para a capa procurando algo que me chamasse atenção. Pelo título, poderia jurar que se tratava de um livro de romance. Dessa forma, para meu total espanto, quando pus os olhos na imagem de divulgação havia um homem armado, despertando o desejo de entender os aspectos visuais que invocam a obra. E posso dizer que, mesmo tendo demorado mais que o previsto para realizar leitura do livro, valeu a pena cada minuto que passei na Floresta Amazônica.

Título: Sete Pinturas: A Lenda do Fim do Mundo  | Autor: Landulfo Almeida | Publicação independente | Páginas: 408| Ano: 2018 | Avaliação: ⭐ ⭐ ⭐ ⭐ ⭐ ❤| Encontre: Skoob | Amazon

51A-bR7vaYLSinopse: Em um passado distante, estranhas pinturas rupestres são encontradas em uma caverna oculta no coração da Amazônia. Considerado sagrado pelos índios, o local está associado a uma lenda ancestral e a uma descoberta fantástica. Ao longo dos anos o segredo é mantido por uma única família e confere a ela grande poder e fortuna. Nos dias atuais, apenas dois homens, Raphael Roman Dummas e Marcos Cleanfield, têm completo conhecimento sobre a verdadeira natureza da descoberta e ambos têm interpretações diferentes sobre a lenda e suas ramificações. A morte, sem explicação científica, de milhares de pássaros e uma tentativa de assassinato alteram o equilíbrio pacífico de forças sustentado até então por Raphael e Marcos.  Dois amigos, Daniel e Érica, criados em um orfanato como irmãos, sem perceber são catapultados ao epicentro do conflito e se verão cada vez mais embrenhados em uma rede de intrigas e espionagem.  Uma mulher misteriosa, dotada de habilidades incomuns, um inimigo desconhecido, atentados, estranhos eventos naturais, paixões e morte farão com que alianças sejam criadas e destruídas. Dilemas éticos e morais, e a dificuldade de definir onde está a verdade permeiam a história e cada decisão de seus personagens. Na floresta amazônica, durante um confronto repleto de ação, uma revelação aterradora transformará a luta entre Raphael e Marcos em uma batalha pela salvação da humanidade.

Posso contar nos dedos quantos livros nacionais realmente me trouxeram leituras impactantes. Muitas dessas obras, são escondidas sob o véu do anonimato. Ou seja, os autores publicam-se de forma independente, e não importa quanto talento possuam, as editoras deixam que o dinheiro fale mais alto. Não cabe a mim julgar, mas posso dizer que Landulfo Almeida é a prova que muitas vezes talento está escondido atrás dos holofotes, ao invés de à frente deles. O autor é dono de uma escrita poderosa, relevante que criam um misto de surpresas incapazes de deixar o leitor desatento às suas páginas. Sete Pinturas é uma pérola da escrita nacional, calcada para ser inesquecível por aqueles que se deixarem ir além das obras mais famosas.

Sete Pinturas é narrado em terceira pessoa e sempre tive um afinco maior com obras das quais os autores prezam por detalhar imagens, sentimentos e consequentemente situações. Landulfo tem uma escrita detalhista, um tanto rebuscada, mas fluida que ajudam e muito na criação do cenário. Mas principalmente, preenchem as lacunas necessárias a construção do enredo, que por sua vez é muito bem intrincado. Inicialmente, parece que nada faz sentido, até que sucessivamente as peças se encaixam para surpreender o leitor  seguindo um caminho longe do esperado.

Mas o ponto alto da obra, foram os personagens e os dilemas morais compatíveis ao da sociedade atual. Os personagens são palpáveis, cheios de dualidade. Não podemos em ambos, Raphael e Marcos separadamente, mas sim nos dois juntos como parte de um todo. Ambos são carismáticos a ponto de envolverem o leitor em um jogo de mocinho e vilão. Poucas vezes, falando da literatura como um todo, vi personagens tão bem elaborados. E muito embora não sejam apenas eles os donos da trama, para mim. todo brilho e louros da obra são direcionados as suas aparições.

Sete Pinturas: A Lenda do Fim do Mundo é uma obra sensacional dotada de peculiaridades que deixaram o leitor de queixo caído. Eu recomendo bastante essa obra, não somente pelo suspense, mas por toda a brasilidade que ele apresenta.

 

( Livrosofia ) Romances

Oi Corujinhas, como vão?

No Livrosofia de hoje vamos dar continuidade a explicação dos gêneros românticos. O post de hoje será voltado aos romances antigos: clássicos, o histórico e  o de época. Embora muitas de vocês já devam saber a diferença básica entre eles, para quem está começando e não quer entender melhor a definição a ideia é ajudar. Espero que gostem do post, afinal, são alguns dos meus gêneros favoritos.

◆══════════●|| [ Romance Histórico ] ||●═══════════◆

segunda-guerra-mundial-historia-causas-e-consequenciasO Romance Histórico é assim definido por se passar antes da guerra do Vietnã ou da Segunda Guerra Mundial variando entre as editoras. O enredo será concentrado no desenvolvimento do herói e heroína, dentro de um cenário histórico popularmente conhecido que deverá surtir um efeito sobre esses personagens. O romance romântico fica caracterizado como uma trama ou uma subtrama a parte central da obra, o historicismo.

Assim sendo, torna-se fácil definir as obras que pertencem a essa categoria, pois o fator histórico é abrangente na trama. Mas para fazer a classificação podemos levar em consideração alguns pontos. O fato histórico deve ser o ponto de partida para a construção da ficção. Os personagens devem apresentar valores éticos e morais da época, ao passo que o autor deve procurar recuperar estruturas sociais, culturais, políticas e estilos referenciais ao passado. A narrativa é construída no tempo passado e as situações factuais devem ser legitimadas através de documentos e referências

a garota que voce deixou para trasA Garota Que Você Deixou Para Trás da escritora britânica JoJo Moyes tem boa parte da obra pertencente à essa categoria, pois tem como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial, onde os personagens tem suas vidas modificadas por tal acontecimento. Os valores sociais da época também estão presentes e é certo afirmar quem sem o historicismo não haveria enredo. Mas é bom ressaltar que essa obra não é considerada do gênero completamente, pois foi combinada ao drama. O Tempo e O Vento de Érico Veríssimo é outro exemplo de romance histórico, pois o Terra-Cambará tem suas vidas e os costumes modificados pelos acontecimentos da guerra do Paraguai contra o Brasil.

◆══════════●|| [ Romance de Época ] ||●═══════════◆

moda feminina 1869O Romance de Época tem uma estrutura única. Não tem afinco com datas e nem faz referências à fatos históricos importantes. Muito menos se preocupa em mostrar como se comportava um povo em determinado momento, para questões além das factuais. Os livros desse gênero – em suma maioria – se destacam por aludirem a sociedade londrina no período vitoriano (de junho de 1837 a janeiro de 1901) valorizando a moda, etiqueta social, passeios comuns como jantares, festas, campos ou teatros.

nove regras a ignorar antes de se apaixonar

Entretanto, muito embora a primeira vista pareçam obras frívolas, essas obras costuma destacar a o casamento por conveniência, as amantes, as diferenças entre as classes sociais – nobres versus plebeus -, mas principalmente a fragilidade feminina que espelha as diretrizes atuais. Os romances da autora estado-unidense Sarah MacLean por exemplo, costumam ter protagonistas firmes que estão além das convenções sociais.

É interessante perceber que muitas autoras de romances de época utilizam como pano de fundo um mesmo ambiente, de modo que atitudes de um personagem influenciam diretamente na vida de outros. MacLean, por exemplo, escreveu três séries quase que complementares. A série Os Números do Amor se passa dez anos antes de O Clube dos Canalhas (onde duas protagonistas aparecem como coadjuvantes na anterior). que por sua vez se passa um ano antes da série Escândalos e Canalhas, onde uma de suas coadjuvantes devem estar presentes em sua próxima série Barenuckle Bastards.

◆══════════●|| [ Romance Clássico ] ||●═══════════◆

A determinação de um romance como clássico é variável e subjetiva. Sua principal diferença entre os outros gêneros, tanto dos aqui citados como dos demais literatos, é sua capacidade de ser atemporal. Se o romance histórico é assim definido por se passar em uma época anterior a do autor, o romance clássico será aquele que ultrapassa as barreiras do tempo tornando-se atual apesar de sua data de nascimento. Romance clássicos costuma ser celebrados por acadêmicos, críticos e professores, que mesmo se não gostarem da obra em seu cerne principal, as entendem como leituras obrigatórias para qualquer pessoa que pretenda alguma seriedade em relação a literatura e a história que a envolve.

orgulho e preconceitoPor certo, não cabe ao crítico considerar um Clássico superior aos outros, apenas ressaltar qualquer tentativa de esquecê-lo pois esse romance será base para a construção de outros (que podem ou não serem considerados superiores).

Dando um exemplo pessoal de tal entendimento, posso afirmar de modo categórico que não encontrei-me na leitura de Orgulho e Preconceito de Jane Austen. Entretanto, não posso afirmar que tal livro deva ser ignorado pois sua mocinha, Elizabeth Bennet, tem uma personalidade facilmente encontrada como inspiração dentro de outros enredos. Dessa maneira, um romance clássico é um produto de seu próprio tempo e das críticas sociais que seus livros refletem entre a realidades usada para contrapôr um cenário social e político da sociedade de determinada época. Ou seja, a literatura clássica serve para ensinar aos leitores algo a respeito de seu próprio mundo.

◆══════════●

Espero que tenham gostado. Beijos.

 

 

 

(Resenha) Tudo e Todas As Coisas — Nicola Yoon

Em minha última leitura de 2019, Tudo e Todas As Coisas foi um livro surpreendentemente delicado. Apesar de não ter conseguido me apegar profundamente aos personagens do livro, também não posso negar que a história de Nicola Yoon aqueceu meu coração.

Título: Tudo e Todas As Coisas | Título Original: Everything, Everything | Autora: Nicola Yoon | Editora:  Novo Conceito | Ano: 2016 | Páginas: 304 | Avaliação: ⭐️ ⭐️ ⭐️  | Encontre: Skoob | Saraiva | Amazon 

images (11)1273290495..jpg

Sinopse: Primeiro lugar na lista de mais vendidos do The New York Times. “Uma história emocionante que sai da mesmice e explora as esperanças, os sonhos e os riscos inerentes ao amor em todas as suas formas.” – Kirkus Reviews Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua. “A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente ¬da ¬casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly. Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.”

“Às vezes você faz as coisas pelos motivos certos e em outras pelos errados. Há ainda aquelas vezes em que é impossível saber a diferença.”

Tudo e Todas As Coisas é o tipo de livro que você lê em uma sentada. Literalmente, eu peguei o livro e o finalizei em algumas horas. A Nicola Yoon escreve com simplicidade sem fazer dramas além do necessário, muito embora o gênero e o enredo do livro denotasse que poderia haver isso. De certa forma, é como se a autora desejasse que a história de Ollie e Madeline fosse contada por si mesma. Apesar de que a história possui uma grande quantidade de clichês, existem certas surpresas pelo caminho que deixam a leitura de certo modo inesquecível.

Mas ao mesmo tempo que eu gostei da escrita de Yoon, não posso dizer o mesmo da narrativa. As duas coisas não são exatamente sinônimos. Enquanto a escrita envolve a maneira com o qual a autora coloca as palavras a narrativa envolve o enredo e os caminhos que o levam do início à conclusão. E nesse ponto, Yoon deveria ter descartado grande parte de sua simplicidade e fechado a obra com mais “paixão”, por assim dizer. Pois tudo aquilo que o livro trouxe permaneceu aberto dando a impressão que Yoon pensou no plot twist, mas foi incapaz de pensar nas consequências. De modo que o livro se tornou meio genérico, quase que uma cópia de tantos outros.

Entretanto, não posso dizer que a obra em si foi um desperdício do qual se salva apenas a escrita pois a protagonista da obra me fez sorrir de orelha a orelha quase em toda leitura. Madeline é encantadora e traz uma força não comum para as mocinhas de sua idade. Forte, mas nem por isso arrogante, ela tem potencial para conquistar o mundo aludindo ao título da obra.

Tudo e Todas As Coisas é uma obra interessante, com uma ótima premissa, mas um desenvolvimento ruim. Eu recomendo que vocês leiam com calma, sem muitas expectativas. O bom e velho removedor de ressaca literária.

 

(Lista) Cinco livros para ler no inverno

Oi Corujinhas. Finalmente chegou o tempo de chuva que sinceramente é meu favorito. Dias mais frios, noites mais longas e nenhum pingo de suor se espalhando pelo meu rosto (se você é do nordeste, como eu, vai saber o que estou dizendo principalmente). Dessa forma, na lista de hoje, inspirada na minha temporada favorita, vou apresentar cinco livros para vocês lerem nesse inverno.

Vamos começar?


redescrobrindo amélia1. Reconstruindo Amélia – Kimberley McGreith

O suspense é um dos meus gêneros favoritos para ler no inverno. Talvez pelo clima inóspito, mas a verdade é que o suspense parece combinar perfeitamente com a estação. Por isso, Reconstruindo Amélia é minha primeira indicação. Um livro que tem um pouco de drama, grandes personagens e muito mistério envolvendo a morte da personagem título, além de trazer questionamentos interessantes sobre as relações familiares.

para todos os garotos que ja amei2. Para todos os garotos que já amei — Jenny Han

Um dos livros mais amorzinhos de todos os tempos, Para Todos Os Garotos Que Já Amei é aquele tipo de livro que você pega uma xícara de chocolate-quente (ou café 😋), se enrola em uma porção de cobertores e faz leitura em um dia. Lara Jean é um livro aconchegante, além de ter uma história muito bonita sobre aprender a ser autossuficiente e não ter medo do amor. Sei que muitos de vocês já devem ter lido ou visto o filme da Netflix, mas para aqueles que não o fizeram, fica aqui meu apelo: VEJAM E LEIAM!!

a maldiçao do vencedor3. A Maldição do Vencedor – Marie Ruti

Eu não seria eu, se não indicasse para vocês livros de fantasia. Conheço muitas pessoas que não curtem o gênero, mas aqui está uma mistura de tudo, pessoas. Em A Maldição do Vencedor, vamos encontrar uma história de suspense, intrigas, amor e muitas mentiras. Muito embora Kestrel e Arin despertem sentimentos opostos nos leitores, não podemos negar a perfeição que envolve a história de Rutkoski, perfeita para ler em dias chuvosos pelo misticismo que envolve suas páginas.

objetos cortantes4. Objetos Cortantes – Gillian Flynn

Drama, também é um gênero perfeito para ler em tempos de chuva. E muito embora o skoob mantenha a Flynn na aba de suspense, eu acredito que suas obras pertençam muito mais ao drama por trazerem aos leitores situações de vida ao invés de crimes como foco principal. Objetos Cortantes traz a história de Camille e sua busca para se livrar dos fantasmas do passado. Aliada a uma escrita poderosa e personagens singulares, Objetos Cortantes é uma leitura forte sobre temas poucos explorados no meio literário.

5. A Cabana – William P. Young.

Quando tinha uns quatorze anos li A Cabana, por intermédio de um primo. Acreditem em mim quando digo que pensava que o livro era uma espécie de autoajuda mascarado de drama. Mas o que descobri foi uma leitora acolhedora e emocionante, que tem como principal motivação, quebrar com os preconceitos instalados na mente dos homens sobre Nosso Senhor. Mesmo que vocês não sejam religiosos ou cristãos, a mensagem de A Cabana sobre perdão, amor e fé não será perdida. Para deixar ainda mais um gostinho de quero mais, leiam a resenha da Vivi (aqui) que será impossível você não se interessar pelo enredo.


Espero que tenham gostado a lista desse mês, Corujinhas.
Caso desejem uma lista específica, sintam-se a vontade para sugerir nos comentários.
Beijos.

(Motive-se) Percy Jackson e Os Olimpianos – Rick Riordan

Oi Corujinhas. Estava com certa saudade de relembrar séries favoritadas da minha vida. E como nessa semana finalizei minha releitura do primeiro livro da série Percy Jackson e Os Olimpianos, não poderia ter um motive-se melhor para você. Então agora, vou apresentar cinco motivos para vocês lerem uma das melhores séries de fantasia do mundo.

Vamos começar?

1. Mitologia

acampamento meio sangueComo o nome sugere, a série Percy Jackson e Os Olimpianos foi fomentada através da mitologia grega. Um dos pontos mais chamativos dos livros, logo de cara, é a capacidade que o autor teve de mesclar a mitologia com a realidade. As histórias da Grécia Antiga são renovadas para que não somente embalem a série, como também tornam-se mais interessantes. O autor resgata passagens de Homero para criar a névoa, recria a maldade de Hades e transforma Zeus em uma espécie de anti-herói nem tão benevolente assim. Com grande profundidade, Riordan deixa tudo mais atrativo ao leitor.

2. Enredo.

coleco-percy-jackson-os-olimpianos-nova-capa-5-livros--D_NQ_NP_21999-MLB20221227429_012015-F

Eu diria, que o enredo principal gira em torno do Oráculo de Delfos. Uma profecia feita antes de Percy descobri que é meio-sangue, guia todos os livros pois ela vai se cumprindo a medida que as histórias passam. Contudo, a profecia só é revelada no último livro. Enquanto isso, a cada obra pequenas profecias vão sendo feitas e realizadas que culminam no final. A construção do enredo, dessa forma é bem-elaborada ao extremo, onde todas as peças se encaixam. Se você é como eu e gosta de livros repletos de explicações, acredite quando lhe digo que não irá se arrepender da leitura.

3. Personagens

xxxxxxx

De todos os pontos que consigo citar, os personagens de Percy Jackson são meus favoritos. Pode parecer estranho, mas uma fato que descobri sobre mim em leituras, é que dou mais valor à um personagem bem feito do que à um enredo super bem elaborado. Enredos sem personagens são facilmente esquecíveis (por exemplo, A Seleção que tem um bom enredo, mas não conseguiu me marcar com personagens). Por outro lado, quanto mais forte for o personagem melhor o livro é para mim (O Jardim das Borboletas por exemplo tem uma grande falha, mas pelos personagens favoritei o livro.

Então, imaginem como eu não sou feliz com as leituras de Percy Jackson, que não só tem um enredo fantástico, como também personagens maravilhosos? A questão é que Riordan, muito embora siga alguns esteriótipos da fantasia (a inteligente, o herói e o engraçado), consegue dar personalidade à eles, para que sejam trabalhados não supérfluos aos livros. Cada personagem tem sua história, independente do protagonista. É como se cada um tivesse vida fora do livro que deixa tudo ainda mais interessante.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.jpg

4. Escrita

304e37dd22581cc424a277021501d63e
Fanart by Viria

A escrita de Rick Riordan é, sem dúvida alguma uma das melhores que eu conheço. Muito disso, se deve ao equilíbrio que o autor têm e a crescimento gradual da história. Riordan não se mantém no clássico do gênero, pois não é nem tão dramático, nem tão ativo e nem tão engraçado. Na verdade, ele equilibra bem as cenas de ação tornando a leitura mais prazerosa e nenhum um pouco cansativa. Além disso, é notável como a narrativa cresce a medida que os livros avanços. Se os dois primeiros livros devem ser considerados infantos-juvenis, o últimos três são literatura adolescentes, e eu diria que o último tem uma pegada quase que adulta. Isso causa ainda mais motivação ao ler, pois demonstra a renovação do autor e a falta de mesmices.

5. Reviravoltas

Annabeth_Chase-Viria
Fanart by Viria

Por fim, mas não menos importantes, as grandes reviravoltas. Lembram-se que que disse que o enredo gira em torno das profecias do Oráculos de Delfos? As profecias, muito embora se cumpram, não seguem caminhos certos e quase sempre tem duplo sentido. Então, na maior parte das vezes Rick te apresenta um sol azul para te fazer crer que ele é rosa, até que finalmente te mostra que o céu era realmente azul. A leitura é emocionante e cheias de acontecimentos.


A série Percy Jackson e os Olimpianos sempre será uma das minhas favoritas da vida. Muito embora seja famosa pelos filmes (que aconselho com todas as letras NÃO ASSISTAM), a história tem profundidade muito vasta valendo muito à pena. Não creio já ter encontrado livros de mitologia, ficção melhores. E te incentivo muito a leitura.

Espero que tenham gostado. Beijos.

( TAG ) Moda e Literatura BookTag

Oii gente. Hoje é dia de mais uma tag para vocês e esta eu vi no blog da Juh do Nuvem Literária. Como estava caçando algumas tags diferentes, achei esta super divertida e fiquei com vontade de responder. Como podem perceber a tag gira em torno de moda e de livros, duas coisas que amo. Espero que gostem.

Vamos começar?

 

transferir

1) Um “livro pretinho básico”
Um livro que em qualquer época, todo mundo leu/ tem e se não leu tem que ler.

Todo mundo que eu conheço parece ou ter, ou querer ou ter lido Orgulho e Preconceito de Jane Austen. Eu mesma realizei leitura no ano de 2014 e gostei apesar de não ser um dos meus clássicos da vida. Mas sim, é uma leitura que vale à pena pela força que a Elizabeth apresenta na trama e os desafios que ela e Darcy enfrentam para ficarem juntos. Uma das coisas que mais gostei no livro, foram esses desafios e as inverdades que surgiram no caminho deles.

 

transferir (1)

2. Um “livro alta-costura”
Um livro pelo qual vale pagar caro; pela qualidade literário e/ou editorial.

Eu não tenho (infelizmente) o livro Os Miseráveis, mas já tive contato com suas edições e francamente, elas são maravilhosas com M maiúsculo. Além disso, a história apesar da enormidade é linda e várias vezes durante sua leitura fiquei emocionada com a forma com o qual Victor Hugo conduz sua história. Quem não leu, eu indico. É uma obra sensacional.

 

 

Divergente

3. Um “livro Fast-fashion”
Leu quando estava todo mundo lendo e gostou; mas hoje já não leria.

Divergente foi uma das trilogias que mais amei na época que bombou no Brasil e que o gêneroe esta em alta, mas eu com certeza não entraria na leitura. Me decepcionei com o final arrastado e mal elaborado da autora, muito embora na época tenha achado razoável. Mas sabe como é? Você termina um livro, acha bom, fica pensando nele e no fim das contas percebe que não foi tão bom assim.

 

 

screenshot_2017-08-05-20-41-41-1.png

 

4. Um “livro calça jeans”
Um livro descontraído que agrada todos os estilos de leitores.

Simon Vs A Agenda do Homosapiens parece ser modinha, mas a realidade é que este é um livro encaixavel em qualquer situação. Mesmo quem não gosta de temas LGBTS, vai se identificar com a história pois Simon é antes de tudo um garoto apaixonado. Um dos motivos para eu gostar tanto deste livro é o fato que a autora não se prende ao esteriótipo ao homosexual, assim o livro é super descontraído.

 

transferir

5. Um “livro Scarpin bico fino”=
Um livro muito bom mas que foi difícil de ler. Pode ter te causado desconforto pela forma de escrita/narrativa ou por algum detalhe da historia. Mesmo assim, você leria outras vezes!

Não posso dizer que O Oceano No Fim do Caminho foi uma leitura super complicada, mas houve momentos que precisei parar para respirar. Assim como em Coraline, Neil Gaiman escreve para adultos através dos olhos inocentes de uma criança. Tal artifico faz um duplo sentido na narrativa de nós leitores enterdemos, o que as crianças não entendem. Assim é um livro complicado, pelo trato imaginário que o autor coloca em dualidade na obra.

 

Então amores. Essa foi a tag de hoje, espero que tenham gostado. Já leu algum desses livros?? Beijos.

| TAG | Estelar.

Oii amores. Tudo bom com vocês? Hoje é dia de tag nova aqui no blog que é de minha autoria e espero muito que vocês gostem. Vou tentar responder com livros que li esse ano e que já tenha feito resenha para que vocês possam conferir ou que virão a ter resenha em breve. Então vamos lá?

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°••
image

1. Estrela Polar.
— Um livro que te ensinou novos caminhos.

Livros que contém ensinamentos são os melhores. É muito boa a sensação de ler um livro e em um dado momento parar a leitura e perceber que estamos lendo algo extraordinário. Uma obra que me causou estremecimento esse ano foi A Resposta de Kathryn Stockett. Um livro que me ensinou muito mais do que só o preconceito, mas também sobre o respeito e coragem e como isso falta aos seres humanos.

image

2. Ursa Maior.

— O maior livro que você já leu.

Esse mês eu tive o prazer de ler It – A Coisa do Stephen King e finalmente entendi o porque dele tem a necessidade de escrever para lá de mil páginas. Ao ler It – A Coisa eu admito que esperava algo extremamente assustador pela monstruosidade de Pennywhise. Contudo o que encontrei foi sintomas da própria humanidade se deteriorando. Foi um livro que me fez enxergar todas as faces do seres humanos, mas principalmente todos os tipos de coragem que devemos ter. Esse livro não foi somente o maior livro em páginas que já li, mas também um dos de maior significado pessoal na minha vida.

.
image

3. As Três Marias.
— Uma trilogia que conquistou seu coração

Apesar de ainda não ter lido todos, A Maldição do Vencedor tem tudo para conquistar meu coração. Seus elementos, desde sua narrativa como seus personagens, fazem meu coração palpitar. Já conquistou meu coração no primeiro livro e deve me arrebatar nos próximo

 

 

.
image

4. Estrela solar.

— O livro mais forte desse ano

Quando eu penso em livros que são bastante fortes, penso também em livros que farão parte da minha vida de algum modo. Eu sofri com o bullying durante algum tempo e toda vez que leio um livro sobre o assunto fico profundamente mexida. A Lista Negra de Jennifer Brown me tocou tão profundamente que chorei, me revoltei, critiquei e me apaixonei por seus personagens durante a história. Ler esse livro me mostrou dois lados de uma mesma moeda, mas como tudo é superável mesmo que não seja esquecido.

image

5. Constelação
— Série que começou e que parece maravilhosamente bem construída.

Me rendi ao charme e a beleza de Corte de Espinhos e Rosas de modo irreparável. Apesar de só ter colocado os pés nas cortes de Prythian, com certeza sei que vou amar a série criada por Sarah J. Maas. É um mundo novo com detalhes que o tornam um dos livros mais bem construídos que eu já li. As descrições são ricas e o personagens bem trabalhados.

 
image

6. Buraco Negro.
— Um livro que quando acabou te deixou destruído(a).

Os Treze Porquês de Jay Asher me deixou destruída com toda a certeza. Quando finalmente (ou infelizmente) finalizei a leitura, me senti órfã e ao mesmo tempo impotente. Como se eu mesma não pudesse ter ajudado Hannah. Como se eu fosse um dos seu motivos.

 

 
image

7. Estrela cadente.

— Um livro que cruzou o seu caminho por acaso.

Sabe quando você tem um amigo que te presenteia com um livro maravilhoso, mas que: a) vocês nunca tinham ouvido falar dele e b) se você visse em uma livraria passaria direto. Até Você Ser Minha da Samantha Hayes segue esse prospecto. Ganhei de presente da minha amiga Keth, mas nunca tinha o visto e com certeza não o compraria pela capa. E mesmo assim se tonou uma ótima leitura que tenho orgulho de ter na estante.

image

8. Vênus: Estrela Dalva.
— Um livro que parecia ser uma coisa de longe, mas que de perto foi totalmente diferente.

Antes Que Eu Vá da Lauren Oliver, apesar de ainda querer um epílogo, foi um dos melhores livros que li esse ano. Narrado em primeira pessoa, este livro conseguiu mexer com meu coração pelo simples fato de ter sido diferente de tudo que eu esperava para ele. Pelo título eu imaginava um livro muito sessão da tarde. Contudo a obra se mostrou muito mais do que isso com um intricamento de acontecimentos que fazem tudo fazer sentido e não ser resumido à uma única pessoa.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

Essa foi a tag de hoje. Espero que tenham gostado. Se quiser repetir no seu blog/instagram/canal fiquem a vontade. Beijos. Até a próxima.

| LIVROSOFIA | Porque é difícil indicar um livro?

Oii gente, como vão? Hoje é dia de post novo no blog que vem recheado de novidades para os próximos meses. No “Livrosofia”, como o próprio nome sugere, vou filosofar um pouco sobre os livros, leituras e leitores todo esse universo mágico que amamos! Serão posts que vão falar de tudo um pouquinho: desde a história de como foi surgindo os livros e o poder que eles tem, até as curiosidades mais loucas passando também pelas dificuldades, desafios e manias dos leitores. Espero que todos vocês gostem desses posts novos e se divirtam conosco.

image

Para iniciar, vou começar com um tópico que a primeira vista parece bem estranho: dificuldades em indicar livros. Apesar quando sempre somos perguntados a famosa frase me indica um bom livro? temos uma obra na ponta da língua, é difícil saber ao certo se a pessoa se interessou ou não, ou se ela gostou ou não gostou mesmo modo que a gente. A não ser que você conheça bem os gostos de alguém, indicar é sempre um desafio, pois ficamos sempre pensando em que tipo de obra agrada aquela pessoa. Afinal de contas, todo mundo pensa diferente e gosta de coisas variadas (essa é a graça da vida, certo?).

Existem livros diferentes porque existem diferentes tipos de pessoa. A não ser que alguém seja um mundo de ecleticidade, ela não vai gostar de tudo que põe as mãos e os olhos. Os pontos que compõe o livro têm uma função diferente para cada leitor. Seja gênero, desenvolvimento, personagens e moral da história, cada um desses ítens irá ter um papel fundamental para a concepção do que é um livro bom ou não. A exemplo disto, pode-se afirmar que nem todos os leitores que gostam do gênero suspense suspense vão gostar de todas as obras que lêem. Pois, um leitor que gosta de um suspense que tenha bastantes ações a nível de periculosidade, dificilmente irá gostar de um suspense mais dramático onde a narração além de mais pesada é concentrada nos personagens e em seus sentimentos. Além disto, quem nunca encontrou aquele leitor que diz não gostar de uma obra famosíssima e ficou chocado por isso? Como alguém pode não gostar daquela obra que amamos com todo o coração?

image

Cada um pensa de uma maneira diferente e ninguém é obrigado a seguir a regra da maioria e gostar de algo que esta fazendo sucesso. Nós somos formadores de nossa própria opinião pois é nosso cérebro e coração que estão trabalhando arduamente para entender os rumos de uma história. Mesmo que alguém nos indique uma obra fantástica, não significa dizer que precisamos gostar dela. Significa apenas que temos personalidade para ir contra a opinião. E a pessoa que indica o livro precisa saber que o receptor da indicação tem suas próprias nuances aceitando sua concepção final.

Dessa maneira, indicar um livro é uma tarefa ao mesmo tempo simples e complicada. Dizer o nome de uma obra boa é fácil, mas fazer com que ela surta o efeito esperado é difícil. Não digo que devemos deixar de indicar livros ou parar de pedir indicação, afinal de contas é isso que eu mesma faço neste blog para todos meus amigos. Mas informo que cabe aos que desejam uma indicação filtrar as palavras dos indicadores, para que encontre seu livro perfeito e não sofra decepções.

Bem gente. O post de hoje foi este, espro que tenham gostado, mês que vem tem mais um Livrosofia e em breve vou deixar a categoria clicável para vocês. Beijos!

| TAG | Tag Literária de A à Z.

Oii gente, tudo bom com vocês? Andando à procura de tags literárias nos blogs e vlogs que eu curto encontrei um vídeo da Ju Cirqueira do Nuvem Literária com a Tag Literária de A à Z. Achei-a super divertida e vou deixar o link clicável aqui para que vocês possam ver as respostas dela também. Espero que gostem.

image

Vamos começar?

━━━━━━◆❃◆━━━━━━◆

utor favorito.

A J. K. Rowling será sempre minha favorita. Das 09 obras que tive o prazer de ler da autora eu gostei de todas. Ela arrasa.

ebida favorita durante a leitura.

Café hoje, café amanhã, café pra sempre. Eu tomo café como quem toma água.

itação literária favorita.

No momento (sou dessas que vive mudando) é: O espírito sem limites é o maior tesouro do homem. Inscrição do Diadema de Rowena Ravenclaw.

etestas-te ler.

Não existem muitos livros que detestei ler, mas sim aqueles que me decepcionei muito. Peça-me O Que Quiser é um desses livros. A história ficou esdruxula porque simplesmente não existe. É o maior besteirol.

stás à ler.

Talvez eu já tenha acabado quando este post vir ao ar, mas no momento estou lendo O Resgate de Maria Metálica de Lorena Rocque.

eliz por teres dado uma oportunidade.

Hmmm… A Série Millenium do Stieg Larsson foi uma brilhante surpresa. Eu nunca tinha prestado atenção na trilogia, mas pelo preço de uns 25 reais comprei na leitura. Hoje em dia não sei como passei 16 anos da minha vida sem ter conhecido o livro.

ênero literário que não lê.

Auto-ajuda. Já tentei várias vezes, mas simplesmente não chama minha atenção. E olha que tem livro de auto-ajuda para todas as áreas.

ard cover ou Paper back?

Capa dura ou brochura? Logicamente eu deveria escolher a capa dura, mas algumas edições em brochuras são magníficas. Então escolho brochura.

nternet ou livrarias físicas.

Livraria física para compra e para garimpo. Eu gosto de entrar em livrarias e ficar naquele mar de livros, mas o preço não vale a pena.

ulgas um livro pela capa?

Claro que sim. Quando vemos bolos nas padarias escolhemos os mais bonitos porque parecem mais gostosos. A mesma coisa para livros.

obo ou kindle.

Nunca tive nenhum dos dois e não tenho menor vondade, com os aplicativos certo a leitura de ebooks em pdf ou epub podem ser incrivelmente deliciosas.

ivro mais longo que já lestes.

No momento estou lendo It – A Coisa do Stephen King e será o maior livro que eu já li. Por enquanto A Tormenta das Espadas tem esse lugar nos meus lidos.

omento mais importante na tua vida literária.

Quando eu passei para Letras na universidade estadual do meu estado. Para minha vida privada significa mais chances de futuro. Para minha vida literária eu fico mais próxima de conseguir realizar meus sonhos de escrever e ser editora.

úmero de estantes que possui.

Apenas uma. Não tenho tantos livros assim para ter várias estantes.

bsessão literária.

As clássicas. Cheirar livros. Admirar a capa. Olhar para estante de vinte em vinte minutos quando estou perto dela. Por aí vai.

ersonagem que provavelmente terias namorado durante a escola.

Na minha época de escola eu sonhei com inúmeros personagens, mas meu coração foi ganhado por Will Herondale de As Peças Infernais.

uantos livros têm por ler?

Hehê!! Produção eu tenho mesmo que conferir??? Eu nunca vou dar conta de ler todos os livros que nescessito. Nem em um milhão de anos. Vamos dizer infinito e deixar por isto mesmo.

essaca literária: Quando foi tua última?

Minha última ressaca… Hmmm… Acho que depois que terminei de ler A Lista Negra de Jennifer Brown eu fiquei bem desentusiasmada com as leituras. O livro é bem forte e demorei um pouco para retormar o ritmo depois dele. Hoje em dia eu sofro por Ressaca Universitária mesmo.

érie que começas-tes e precisas terminar?

Série Gone do Michael Grant. Estou lendo devagar, mas preciso terminar essa série ainda esse ano. Preciso saber o que está por vir. Se a galera record colaborasse e lançasse o último livro seria bom também.

rês dos livros favoritos de sempre.

1. O Sol É Para Todos de Harper Lee.
2. Harry Potter e A Ordem da Fenix da J. K. Rowling.
3. Garota Exemplar de Gyllian Flynn.

ltimo livro que lestes.

As Últimas Palavra de Uma Carta de Amor. Foi bem confuso, diga-se de passagem.

oltarás à ler?

Não. Quer dizer, dos livros que eu já abandonei, 90% deles não pretendo voltar a ler. A vida é muito curta para ler livros ruins, certo?

ish list literária: último livro que adicionastes.

O Príncipe Corvo. Parece ser excelente.

(Marca o lugar) – Qual 24ª livro da sua estante.

Começando de cima, A Fúria dos Reis de George R. R. Martim.

oung adult ou new adult.

New Adult. Costuma ser menos dramático e eu gosto disto. Sem contar que no Young as personagens costumam ser infantis até dizer chega.

zz – Qual último livro que te manteve acordado até tarde.

Cidade dos Etéreos de Ramson Riggs foi sensacional. Eu só parei porque tinha que ir para faculdade e não dormi direito pensando nele. Foi maisss….

◆━━━━━━◆❃◆━━━━━━◆

image

Então gente, esas foram as minhas respostas a tag. Achei-a super divertida e eu espero que vocês tenham gostado também.

Vou deixar alguns blogs marcados para responderem também:

Parabatai Books
Blog O Senhor dos Livros
Crônicas de Eloise
Palavras Imaginárias
Literarte
Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li
Conduta Literária

Beijos. Até a próxima.