Arquivo da tag: harry potter

| Personalidades Exemplares | J. K. Rowling.

image

Não tinha como eu começar a falar tão abertamente sobre meus autores favoritos sem que J. K. Rowling figurasse como a primeira. Sem dúvida alguma da autora da Série Harry Potter com certeza é a minha favorita. Foi ela que me iniciou no mundo da leitura voraz. Foi ela que abriu meus horizontes para ler livros que fazem toda a diferença na minha vida. Além disso, Rowling é um exemplo de superação. Ela nos mostra que se você quer alguma coisa, não deve ligar para os nãos, mas para o sim, pois é ele vai vir algum dia.

image

Johanne Rowling nasceu em 31 de Julho de 1965 na cidade de Yates no Reino Unido. Sempre rodeada por histórias e escrituras, Rowling cresceu e se casou com Jorge Arantes com quem teve uma filha chamada Jessica. Em um curto período porém, Jo viu sua mãe morrer e depois passou pelo divórcio. Além disto, Johanne passou por uma crise financeira que quase a levou a falência. Empobrecida e com uma filha para criar, Rowling teve a ideia para escrever sua mais célebre história a caminho de casa dentro de um trem enquanto estava em uma viagem de Manchester para Londres, imaginando um jovem garoto estudando em uma escola de magia. Mas foi somente em 1995 que Johanne finalizou seu primeiro romance Harry Potter e a Pedra Filosofal. Analizado por especialistas em escritos, o livro passou por 12 editora que recusaram o manuscrito. Até que um ano depois, quando a filha de oito anos do editor da Bloomsbury exigiu ao seu pai que lhe entregasse o próximo capítulo, que o editor viu que o livro teria boas chances no mercado decidindo publicar o livro. Mas havia uma condição: Rowling deveria usar apenas as inciais de seu nome porque os garotos não se interessariam pela história de uma mulher. Ela aceitou e adicinou o nome de sua vó Kathleen ao seu, assumindo assim o pseudônimo J. K. Rowling que a tornaria a primeira escritora a se tornar bilionária com seus livros.

De todas as maneiras em que eu posso começar a falar sobre J. K. Rowling vou começar pela mais fácil: seus livros. Durante todos os livros escritos pela autora nos deparamos com situações que nos remetem amor, ódio, felicidade e tristeza. Rowling reflete os sentimentos da vida real em seus personagens. Nos vemos nerds em Hermione, engraçado em Rony, sobrevivente como Harry e pensativos como Dumbledore. Tentamos nos redimir como Snape, mas as vezes podemos ser tão arrogantes como Voldemort e tão enxeridos como Skeeter. Somos anormais como Luna, desajeitados como Neville, protetores como Lílian e cuidadoras como Molly. Poderia falar o dia inteiro sobre cada qualidade que J. K. colocou em seus personagens e em como elas podem ser enxegardas no mundo real. Isso torna sua obra prima porque nos dá um ar de realidade onde mesmo não estando presente fisicamente em Hogwarts o sentimos ao nosso redor. Então como não ver Rowling com a brilhanteza que ela apresenta? Como não sentir o amor presente em cada palavra mesmo que não seja dito de modo explícito? Porque ela não precisava. Johanne conseguiu transmitir à cada ponto do livro os sentimentos que transbordavam. Isso faz dela sensacional.

image

Mas digamos que você nunca tenha lido Harry Potter, Morte Súbita e seu outros livros da autora assinados como Robert Galbraith. Ou digamos que você tenha lido (ou assistido né) e tenha odiado a história o(a) diferentão(ona). Convenha comigo que ainda sim J. K. Rowling é uma sensacional. Não porque ela escreveu a serie mais vendida da história, mas simplesmente porque ela não desistiu depois de tantas negativas. Ela correu atrás mesmo quando as coisas pareciam ser o fundo do poço. Rowling conseguiu vencer até quando tudo estava contra ela.

E ainda, depois de toda a fama e dinheiro, Rowling não deixa nenhum leitor na mão. Na medida do possível, ela responde seus fãs no twitter e nas redes sociais. Porque enquanto houver um fã batendo seu coração por suas obras, elas nunca morreram. Elas serão eternas. Always.

image

| Personalidades Exemplares | Severo Snape – Um homem que fez de tudo por amor.

Caso ainda não tenha lido ou assistido a saga Harry Potter, este post conterá spoiler.

image

Existem variados tipos de personagens. Os heróis, os vilões e os coadjuvantes. Existem personagens que você sente ódio revoltoso ou que você ama piegasmente. Severo Snape é um personagem capaz de fazer você sentir tudo isso e mais um pouco. Afinal de contas ele foi o herói ao fim da saga. Mas antes era um vilão do sexto livro e praticamente coadjuvante nas outras obras. Snape causou um ódio que aumentava gradualmente culminando assim que assassinou um dos personagens mais queridos pelos leitores. Para no fim entendermos que não foi bem assim existindo muito mais caroço naquele angu que podíamos ver.

Snape não parecia ter mais de nove ou dez anos, malicento, pequeno, rijo. Havia uma inegável cobiça em seu rosto magro ao espiar a mais jovem das meninas que se balançava mais alto do que a irmã.
– As Relíquias da Morte.

image

Filho mestiço de Eileen Prince e Tobias Snape, Severo Snape era um garoto pobre que sempre via a mãe bruxa ser espacanda pelo pai trouxa. Aos dez anos de idade conheceu aquela que seria para sempre o amor da sua vida, Lílian Evans. Por um ano lhe explicou o que era ser bruxa e como funcionava o mundo da magia, e, aos onze anos foram chamados para estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Severo foi selecionado para a casa Sonserina e Lílian para a Grifinória. Na escola, mesmo apaixonado por Lílian sem que esta tivesse conhecimento do seu amor, pelos caminhos escolhidos por ambos, se afastaram.

– Não… escute… eu não quis…
– Me chamar de sangue ruim? Mas você chama de sangue ruim todos que nasceram como eu, Severo. Por que eu seria diferente?
Ele se debateu, prestes a responder, mas com um olhar de desprezo, Lílian lhe deus as costas e atravessou o buraco do retrato…
– As Relíquias Da Morte.

image

Snape se tornou um Comensal da Morte. Lílian casou-se com Tiago Potter e juntos tiveram um filho a quem nomearam de Harry. Uma noite, um ano após o nascimento do pequeno Potter, Severo ouviu parte de uma profecia que dizia que mencionava um menino nascido no fim de julho. Após contar ao Lorde das Trevas, que acreditava que a profecia se referia ao filho de Lílian, e implorar que Voldemort salvasse pelo menos a mãe, Severo entrou em desepero pelo Lorde não ter aceitado. Correu para a sua única esperança, Alvo Dumbledore, a quem prometeu qualquer coisa se ele ajudasse a escondê-los. Dumbledore aceitou, mas o plano não deu certo. Por culpa de Rabicho, fiel do segredo imposto pelo feitiço Fidelius, Voldemort alcançou os Potter e matou-os. A excessão de Harry que conseguiu escapar quase ileso. Deste modo, uma nova promessa foi feita. Snape ajudaria Dumbledore a proteger o pequeno Potter.

– Você sabe como e porque ela morreu. Empenhe-se para que não tenha sido em vão. Ajude-me a proteger o filho de Lílian.
– Ele não precisa de proteção. O Lorde das Trevas se foi…
– … O Lorde das Trevas retornará, e Harry correra um risco terrível quando isto ocorrer.
Fez-se uma longa pausa e lentamente Snape recuperou o controle, normalizou sua respiração. Por fim, disse:
– Muito bem. Muito bem. Mas jamais, jamais revele isso, Dumbledore! Isto deve ficar entre nós! Jure! Não posso suportar… particularmente com o filho de Potter… Quero sua palavra!
– Dou minha palavra, Severo, de que jamais revelarei o que você tem de melhor.
– As Relíquias da Morte.

image

A seguir daí, dez anos mais tarde, Snape, ocultamente ajudou como pôde Harry Potter. Ao mesmo tempo, destilava palavras de ódio contra o garoto, pois sua aparência e jeito o lembravam constantemente de suas duas perdas: Lílian ter se casado com outro homem e sua morte pelo filho. Seu único consolo era saber que estaria sempre protegendo o filho de sua amada que carregava consigo os olhos dela.

– Tem os olhos dela, exatamente os mesmos. Você certamente se lembra da forma e da cor dos olhos de Lílian Evans, não?
– As Relíquias da Morte (Alvo Dumbledore)

image

Deste modo, constantemente protegendo e menosprezando, Severo atingiu o ápice do ódio direcionado à si pelos leitores anos mais tarde. Assassinou Alvo Dumbledore e se tornou o senhor da Varinhas das Varinhas, ganhando de vez a confiança de Lorde Voldemort. Foi assassinado no ano seguinte pelo bruxo que queria se tornar o senhor da relíquia, onde, em seu leito de morte, entregou ao filho de Lílian todas as suas memórias sobre o passado com sua mãe e a última revelação de Alvo Dumbledore. Nos pensamentos, Snape mostrou a Harry como sempre o protegeu. Que havia matado Alvo, em virtude de sua promessa ao bruxo em lhe dar qualque coisa que este quisesse.

– Olhe… para… mim… – sussurrou o bruxo.
Os olhos verdes encontraram os negros, mas em um segundo, alguma coisa no fundo dos olhos de Snape pareceu sumir, deixando-os fixos, inexpressiveis e vazios. A mão que segurava Harry bateu no chão e Snape não se mexeu mais.
– As Relíquias da Morte.

Muitas pessoas se perguntam porque vários potterheads amam tanto Snape, sendo que a revelação de seu ato amor por Lilían Potter apareceu apenas no último livro e durante os seis primeiros Snape figurou como um dos personagens mais odiados da série. Mas entender o que faz de Snape tão especial é entender sua história. Não é justificável o que Severo fez ao se tornar como comensal da morte. Seus atos, muito pouco revelados, foram bastante desprezíveis. Palavras de preconceito, revelações ao Lorde das Trevas e o pedido de salvar apenas Lílian demonstram a figura mesquinha que ele era. Porém, devemos perceber que este homem alcançou a redenção. De certa forma, apesar de que em uma pequena parcela, Snape abriu mão de seu ressentimento pelo rumo que as coisas tomaram deixando que o amor que sempre sentiu por Lílian abraçasse seu filho, como uma forma de dar sentido ao que ela se sacrificou.

image

Por esse motivo, Severo Snape sempre estará figurando entre os personagens que mais me marcaram como leitora. Ele me mostrou que existe sim a possibilidade de se tornar melhor por conta do amor. Que ninguém, por mais que tente demonstrar, é uma ilha. Snape provou que o amor não tem limites e consegue transformar até as almas que parecem perdidas.

– A ele? – gritou Snape. – Expecto Patronum!
Da ponta de sua varinha irrompeu a corça prateada; ela pousou, correu pelo soalho do gabinete e saiu voando pela janela. Dumbledore observou-a se afastando pelos ares e, quando seu brilho prateado se dissipou, ele se dirigiu a Snape e seus olhos estavam cheios de lágrimas.
– Depois de todo esse tempo?
– Sempre. – respondeu Snape.
– As Relíquias da Morte.

Espero que tenham gostado deste post. O próximo de personagens, se tudo der certo, sai mês que vem. Beijos.

| TAG O.R.I.G.I.N.A.L | Psiquiatria Literária.

Oi gente, como vão? Sei que o blog anda parado mas tenho andado preocupada com várias coisas e fiquei completamente desanimada nesses últimos dias. Mas um bom jeito de melhorar meu humor é falar sobre livros, por isso hoje finalmente vou publicar uma tag original que criei em janeiro aqui no blog.

Como nome explica, a tag consiste em associar estados da psiquiatria aos livros em desafios especiais. Eu pensei nela enquanto lia alguns livros de suspense, porque muitos desses estados tem haver com o meus sentimento pelo livro citado.
Então sem mais enrolação vamos lá.

1. Transtorno Psicopata.
Um livro pelo qual você não sentiu afeição pelo mocinho.

Existem vários livros que não sinto afeição nenhuma pelo mocinho. Sejam eles por serem bonzinhos de mais ou por serem sempre os donos da verdade. Mas, nesse caso escolhi um personagem qur não senti nem amor nem afeição pelo personagem. Apenas apatia. E foi o caso de um livro que li recentemente ao pensar em Ella Harper de Princesa de Papel e que, além de alguma pena em certas situações eu não consegui gostar da personagem. Também não consigo explicar direito o porque. Apenas que a personalidade dela não me agradou de forma alguma, muito embora tenha gostado da obra.
image

02. TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo.
Um livro que você não conseguiu largar de jeito nenhum.

Pensar no tanto de livros que vieram me conquistando com o passar dos anos e que li de maneira voraz é uma tarefa difícil. Existem muitos que se encaixam nessa descrição. O que escolhi para representar o TOC foi o livro Feita de Fumaça e Osso de Laini Taylor. Para quem nunca leu, eu super recomendo a leitura. Esse livro é maravilhoso.
image

03. Transtorno Bipolar.
Um livro em que suas emoções foram do amor ao ódio em poucas páginas.

Não Pare da escritora brasileira FML Pepper é o melhor livro pra descrever emoções no melhor estilo montanha russa. Eu fiquei com o ódio e com o amor oscilando como uma montanha russa durante quase toda a leitura. É um livro que pode matar qualquer um do coração.
nao pare

04. Sindrome de Estolcomo.
Um livro que fez voce se apaixonar pelo vilão.

Ler Sombra E Ossos da escritora Leigh Bardugo foi uma aventura e tanto. E tenho que admitir que o vilão deste livro faz parte da lista interminável dos meus crushs literários. Caramba, ele é completamente apaixonante de várias maneiras. O fato de eu me apaixonar por bad boys também ajuda eu acho.
image

05. Transtorno Psicotico.
Um livro que fez você se enxergar dentro do seu universo.

Livros que nos fazem pular e nos ver dentro do seu próprio mundo são os melhores com certeza. Ainda mais se são de ficção. O livro que recentemente me fez mergulhar de cabeça em seu mundo foi o livro Perdão Mortal de Robin LaFevers. É um livro pequeno, mas tão bem detalhado que é muito fácil se perder em suas páginas e se ver dentro da história.
image

06. Transtorno Amnésticos.
Um livro que você queria esquecer para se surpreender ou se emocionar mais uma vez.

Não tem como pensar ou mesmo por outro livro, porque se existisse um chá de amnésia ou um remédio de esquecimento ou algo do tipo eu com certeza o tomaria para esquecer as aventuras do Harry Potter. Esquecer tudo e reviver outra vez realmenre faz parte dos meus sonhos.
image

07. Transtorno Depressivo.
Um livro que te fez chorar rios de lágrimas.

Na semana passada li um livro que enrolei durante muito tempo, mas que quando finalmente me rendi as suas páginas me apaixonei e me emocionei piamente com sua história. A Lista Negra de Jennifer Brown é um relato triste e ao mesmo tempo verossímil sobre o mal que o bullying pode causar. Foi perfeito e me fez chorar bastante durante suas páginas.
image

08. TDAH – Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade.
Um livro que você não conseguiu se concentrar direito e acabou abandonando.

Tem vários livros que venho abandonando ao longo dos meses. Isto porque percebi que a vida é pequena de mais para ler livros ruins. Um livro que suas páginas me deixavam super aéreas e que acabei por abandonar foi O Ladrão de Almas da escritora Alma Katsu. Muito embora tenha chegado até a página 200, a leitura simplesmente não fluiu mais e então o deixei de lado não esperando retornar a leitura.
image

09. Transtorno Esquizofrênico.
Um livro assustador ou que te deu bastante agonia.

Lido recentemente e bastante agoniante é o livro Caixa de Pássaros do escritor Josh Malerman. Não chegou a ser assustador, mas foi realmente incrível como o autor conseguiu fazer com que cada página fosse um tormento, pois o sofrimento de não abrir os olhos é angustiante.
image

10. Transtorno Paranóide.
Um que você só se sentiu seguro na última página.

Livros do Harlan Coben são os principais nesses sentido. Cada obra dele tem como projeto não ter um fim realmente até sua última palavra. Por isso um livro que se encaixa exatamente nesse ponto é o livro Desaparecido Para Sempre do autor que já mencionei outras vezes, mas que por ter sido tão surpreendente e tão eletrizante não tem como escolher outro.
image

Então gente essa foi a tag de hoje. Espero que tenham gostado. Eu amei criar ela e também vou fazer umas novas ao decorrer desse ano. Quem quiser fazer fica a vontade, mas me avisa okay? Para conferir suas respostas e opinar sobre elas.

Beijos. Até a próxima.