Arquivo da tag: Gone

( Lista ) 05 séries que todos precisam ler.

Olá amores, como vão? Hoje é dia de lista e a Keth (Parabatai Books), minha parceira no blog e no assunto listas, sugeriu indicar as melhores séries que lemos. Vou focar nas séries com mais de quatro tentando não repetir indicações anteriores (como Harry Potter 😂). Lembrando amores que vocês sempre podem dar sugestõe que vamos trazer sempre que possível. Então vamos lá?

❦────── ❖ ── ✦ ── ❖ ────── ❦

dezesseis luas1. Beautiful CreaturesMargaret Stohl e Kami Garcia.

Popularmente conhecida como Dezesseis Luas, a série Beautiful Creatures é para aqueles que amam uma boa fantasia com uma pitada de romance. São quatro livros ao todo que irão contar a história de narrado por Ethan Wate que se apaixona por Lena, uma Conjuradora a espera de seu aniversário de dezesseis anos onde terá que escolher entre a luz ou as trevas. E apesar de parecer ser uma história bobinha, o livro apresenta um enredo cativante que vai muito além do romance. Os personagens são bem construídos, a história muito bem elaborada e muitas reviravoltas alucinantes, além de uma boa dose de comédia e muitas referências.

 

cidade dos ossos2. Os Instrumentos MortaisCassandra Clare.

Um dos pontos fortes de Os Instrumentos Mortais é que nada é concentrado em um único personagem. Existem várias histórias paralelas a principal que compõem o enredo de forma espetacular. Clare consegue dinamizar os seis livros sem que nada pareça forçado de mais. E além disso, junta em uma mesma fantasia várias classes sobrenaturais que dão uma visão única para a história. Com um universo muito bem explorado, a autora cria uma versão de mundo bastante verossímil aliada à belos plost’s, um romance sensual e cenas de ação de tirar o fôlego.

 

 

a-mediadora-a-terra-das-sombras.jpg3. A MediadoraMeg Cabot.

Foi uma das primeiras séries que eu li e me apaixonei. É uma série mais adolescente que gira em torno de Suzannah uma garota que tem a capacidade de falar e esmurrar os mortos. Uma das coisas mais interessantes sobre essa série é que a Meg não tem uma narrativa enrolada tão comum às séries mais longas. Pelo contrário, a autora consegue dar fluidez ao livro de mod que ele tenha a proporção correta. O que deve acontecer acontece sem procrastinação. E apesar de ser uma série rapida, é cheia de otimas situações e tiradas. Eu recomendo muito, principalmente a todos que querem sair daquela ressaca.

 

o duque e eu4. Os Bridgertons Julia Quinn.

Ahhh Julia Quinn, como não amar. Comecei a ler romances de época por conta dessa autora magnifica, muito embora já houvesse lido alguns antes. Quinn foi a primeira autora que realmente me fez suspirar lendo seus romances. A série Os Bridgertons publicada pela Arqueiro e ainda hoje é minha favorita da autora. Quinn tem uma capacidade extraordinária de criar mundos  e persianagens que fazem a diferença. O bom dessa série é também que você não precisa ler todos os livros para entender o que a autora quer te passar. São livros independentes entre si, mas que juntos tornam-se bem especiais.

 

screenshot_2016-05-22-10-37-28-1.png5. GoneMichael Grant.

Uma das melhores séries de fantasia e ficção cientifica que li em toda minha vida, Gone tem um ritmo intenso que mistura ação,politica e romance. Michael Grant construiu uma série de proporções épicas mesmo lidando quase que exclusivamente com crianças. Em seus seis livros aborda temas como solidão, fome, medo, mentiras, doenças e esperança. O único problema é que só posso indicar essa serie aqueles que buscam fazer leituras em inglês pois o ultimo livro Light nunca foi publicado no Brasil pela editora Record. Mas quem puder leia. Vale muito à pena.

 

❦────── ❖ ── ✦ ── ❖ ────── ❦

 

Então corujinhas, essa foi a lista deste mês, espero que tenham gostado. E vocês? Quais series vocês indicam para mim? Beijos.

Fome – Michael Grant – Série Gone – Livro 02.

Sinopse: Já se passaram três meses desde que todos os menores de quinze anos ficaram presos na bolha conhecida como o LGAR. As coisas só pioraram. A comida está acabando, e as crianças à cada dia estão a desenvolvendo novas habilidades sobrenaturais. Logo ocorrerá tensão entre aqueles com poderes e os sem poderes, e poderá ocorrer uma tragédia indescritível, irrompendo o caos. Normais contra os mutantes, e uma batalha com rumo sangrento. Mas há algo escondido que é mais perigoso. Uma criatura sinistra conhecida como a Escuridão começou a chamar os sobreviventes do LGAR. Ela precisa de seus poderes para sustentar a sua própria. Quando a Escuridão chama, alguém vai responder — com consequências fatais.


Apesar de ter menos ação que Gone, seu antecessor, Fome foi incrivelmente superior em vários quesitos – e olha que eu já tinha dado minhas cinco estrelas para o primeiro livro da série. Desta vez, Michael Grant, com sua leitura incrivelmente viciante e apaixonante dá mais luz à forma política em qual se estrutura o LGAR. Mostrando a principalmente a relação entre os normais e os mutantes – chamados de mubs – que vivem naquela bolha, usando como objeto de partida à Fome e assim mostrando como ela é capaz de modificar o ser humano.

Ao olhar a situação como um todo percebi que eu fiquei com muita raiva dos normais e totalmente a favor dos mutantes. Talvez isso, porque eu consegui perceber que muito desses mubs não tem noção dos seus poderes e nem mesmo os quer. E os normais tem, acima de tudo, inveja do que são capazes de fazer e como são capazes de fazer. Assim as pequenas coisas se tornam grandes (um pássaro que um mub conseguiu caçar usando seu poder se torna um indício de que eles tem as melhores coisas e que os normais vão ser deixados de lado…) e foram tornando-se uma bola de neve que ficava cada vez maior, até que por um erro e por um falso desejo de vingança usado apenas para atiçar a população se faz do estopim para a uma guerra que pode destruir e piorar ainda mais a situação do LGAR.

No centro desse grave problema é que está Sam, que aparenta cada vez mais cansaço de ter que lidar com os problemas de outras pessoas além dos dele. Afinal o próprio garoto só tem quinze anos e já foi impelido a assumir tanta responsabilidade. Sinto uma certa pena de Sam já que quase todas as crianças do LGAR o veêm como o “adulto” responsável que vai resolver todos os seus problemas. E quando eu digo todos, realmente são todos desde à discussão para o nome de um cachorro, para o problema da escassez de alimentos até a ameaça iminente de Cane voltar a atacar Praia Perdida. Por isso é notável durante todo o livro o nível de stress e de culpa pelas mortes que aconteceram e que vem ocorrendo para o rapaz.

Fome foi uma leitura muito espetacular. Capaz de fazer pensar, gritar, enraveicer e nos fazer torcer em cada pedacinho do livro. Há vários pontos na história que nos deixam de queixo caído e que só não menciono para não dar spoiler. Porque tudo se transforma em algo maior o qur me faz já ficar louca para começar o terceiro livro.

Título: Fome
Título Original: Hunger
Serie: Gone
Autor: Michael Grant
Ano: 2011
Editora: Galera Record
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Gone – Michael Grant – Serie Gone 01

image
Ido em tradução literal

Só restam os mais jovens: adolescentes e crianças. Nenhum adulto. Não existem mais professores, nem policiais, nem médicos, nem pais. E de repente, também não há telefones, nem internet, nem televisão. Não há como descobrir o que aconteceu. Nem como conseguir ajuda. A fome é uma ameaça. Os valentões tentam dominar todos os outros. Uma criatura sinistra está à espreita. Os animais estão sofrendo mutações, e os próprios jovens estão mudando, desenvolvendo novos talentos — poderes inimagináveis, perigosos, mortais —, que ficam mais evidentes a cada dia. É um mundo novo e aterrorizante. Cada um terá de escolher seu lado para a batalha que se aproxima. Os moradores locais contra os riquinhos de um internato nos arredores. Os fortes contra os fracos. As aberrações contra os normais. E o tempo está acabando: no dia do seu aniversário, você também pode desaparecer, como todos os outros.

Num piscar de olhos, todos desaparecem. Somem.

Estou chocada com esse livro. Ele foi incrivel do começo ao fim. Cada detalhe foi colocado no lugar certo e tudo se encaixou divinamente bem no final. Fiquei extramente surpresa com o desenrolar dos fatos e tenho a impressão que esta saga pode se tornar uma das minhas favoritas.

Apesar de não ser uma justificativa nova para uma história (Sob A Redoma foi a primeira que tinha ouvido falar), os elementos que dão vazão a história tornam ela única no tema. E o que mais me impressionou foi como o livro é sangrento e como isto, de certa forma, dá uma brilhante estrutura e realidade a história. Vemos como as pessoas realmente mudam por terem poderes e o que somos capazes de fazer para sobreviver.

— Eu machuquei meu padrasto. Machuquei o Drake. Posso ter matado o Drake. Não sei. E não sei o que vai acontecer agora. Mas sei o seguinte: quando machuco alguém, isso cria uma marca em mim. Como uma espécie de cicatriz. É que nem… — Ele procurou as palavras e ela o abraçou com força. — É como o meu joelho, quando Drake atirou emmim. Está totalmente curado, graças a Lana, como se aquilo nunca tivesse acontecido. Mas quando eu queimei Drake, sabe? A coisa está dentro de mim, na minha cabeça, e Lana não curou isso.

Os personagens de Gone também são uma profunda marca no livro. Tem uns que você gosta de cara e aqueles que você sabe que dali não vai sair coisa boa. Mas há uma característica comum neles: todos se mostram através do medo, as mascaras caem e a verdadeira natureza das pessoas aparecem e no fim das contas, isto nos lembramos que ninguem ali, por mais forte ou imperativo que tente ser, é mais do que uma criança.

Gone expressa muito o sentimento do que vamos nos tornar se o mundo que conhecemos mudar. Afinal de contas todos nós queremos sobreviver e sempre há o egoísmo que nos levará a atitudes impensáveis. É um livro impactante que nos faz refletir sobre muitas coisas.

Titulo Original: Gone
Serie: Gone Livro Um.
Autor: Michael Grant
Editora: Galera Record
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟