Arquivo da tag: George Martin

(Anatomia Literária) Capa e Curiosidades Sobre a Série Game Of Thrones

Oi Amores. Como foi o fim de semana prolongado? Eu fiz algumas leituras e estou muito satisfeita com o tipo de conteúdo que venho produzindo para o blog. Espero que vocês gostem das novidades que vem nos próximos meses, principalmente para 2019.

Mas deixando as novidades de lado, hoje vamos à mais um Anatomia Literária. sobre a série As Crônicas de Gelo e Fogo do George R. R. Martin, conhecida popularmente como Game Of Thrones. Assim como os anatomias anteriores, eu vou focar apenas nas capas da série principal. Como a série ainda não está finalizada, pode rolar uma parte dois desse anatomia então nele irei inserir os outros livros da série.

Vamos começar?

┌──────── ∘°❉°∘ ────────┐
Capas
└──────── °∘❉∘° ────────┘

As Crônicas de Gelo e Fogo ou simplesmente Game Of Thrones ganhou popularidade em 2011 com o lançamento da série produzida pela HGBO. A história volta-se para o continente de Westeros e os países para-lá-do-mar-estreito, com dois desenvolvimentos ao mesmo tempo: o primeiro, é direcionado ao Trono de Ferro e a luta dos candidatos que desejam tomar Os Sete Reinos; e o segundo, é direcionado a guerra dos humanos contra Os Outros. A série é composta com cinco livros e diversos spin-offs, e pode ser encaixada nos gêneros dramático – pela carga política – e fantástico – pelo uso de criaturas sobre humanas.

A Guerra dos Tronos traz como pano de fundo a imagem da muralha, localizada ao norte dos sete reinos que cumpre o papel de separar o país do terreno dos selvagens. Trabalhada em tons escuros, demonstra as paisagens do norte que sempre são cobertas de neve e os terrores que se escondem além da muralha. Além disto, é possível observar homens logo abaixo do título, que estão montados a cavalo. Eles representam os soldados que da Patrulha da Noite. E temos também os corvos que são os mensagens oficiais de Westeros. Em termos mais subliminares, a capa representa muito bem os medos que estão por vi através da neve e a família Stark através da muralha (Stark significa forte em inglês) que tem papel fundamental nesse primeiro livro. O título é um prenúncio da guerra que acontecerá no reino. 

O segundo livro, intitulado A Fúria dos Reis, é uma alusão a batalha dos cinco reis que se inicia após a morte do rei Robert. Na capa, temos a representação da capital d’Os Sete Reinos, Porto Real, sendo velada por um anão. Deve-se notar que não há imagem do castelo, mas sim das vielas do lugar aludindo ao jogo dos Tronos: um jogo perigoso onde nada é o que parece. O anão é Tyrion Lannister que nesse livro figura como conselheiro real, a Mão do Rei. Tyrion traja um gibão e um cajado que representam seu papel como governante não reconhecido. Mas o principal ponto a se ressaltar é a forma com que a sombra de Tyrion se estende no chão, maior que ele, que revela o poder e a influência que muitos não observam.

Em A Tormenta das Espadas, a representação está voltada quase que completamente as guerras que estão acontecendo dentro de Westeros. Pode parecer estranho, mas deve-se notar que o foco da capa é mostrar uma floresta em um emaranhado. O soldado faz-se presente como se estivesse fugindo de algo, mas suas maiores ameaças são as faias da floresta que representam o perigo do inesperado. Dessa forma, o medo é daquilo que ele pode ver mas que compreende e mas não pode deixar para trás. O título, A Tormenta das Espadas, significa tempestade de guerra, pois a chuva violenta chama-se Tormenta.

O Festim dos Corvos tem uma mudança significativa no contexto da capa. Dessa vez temos uma locação do livro, assim como no primeiro, mas que a primeira vista não parece ser tão contextualizada. Trata-se do castelo de Pyke, onde os homens de ferro habitam. O motivo é que esse segundo livro tem um apelo maior as outra Casas principalmente as Ilhas de Ferro. Além disso, a ponte corrediça demonstra o desiquilíbrio dos mais poderosos do reino e o rio de lama (segredos) que se espreita por baixo. O título significa as mortes que voam sobre os habitantes, e as notícias que as aves trazem de todos os lugares.

Por fim, A Dança dos Dragões também foge do padrão das capas apresentando cores mais vivas que nos seus anteriores. Considerando a leitura do livro, diria que a mudança se trata da esperança que se abre no horizonte. Daenerys Targeryen se tornou uma peça principal no Jogo dos Tronos, muito embora ainda esteja longe de Westeros. Contudo ela ainda não controla seus dragões, tanto que Drogon está lhe “peitando” na capa. E para se tornar a rainha que deseja, Danny precisa apreender a controlar seu dragão e, principalmente, aprender a Dança dos Dragões, ou seja, o jogo dos tronos.

┌──────── ∘°❉°∘ ────────┐
Curiosidades
└──────── °∘❉∘° ────────┘

 

1. George R. R. Martin disse em uma entrevista que se inspirou em suas tartarugas para escrever a série.
2. Sua maior inspiração foi Stan Lee e os quadrinhos o quarteto fantástico.
3. Livros das Crônicas de Gelo e Fogo têm juntos 12.012.000 caracteres.
4. Martin se inspirou em uma muralha real para escrever a série. De acordo com ele, sua imaginação via seres obscuros vindo para além da muralha.
5. O linguista David Peterson criou a língua Dothraki que consiste em mais de 3000 palavras.

Então é isso Corujinhas. Espero que tenham gostado das curiosidades que trouxe para vocês. Deixem dicas para os próximos Anatomias se quiserem algo especial. Beijos.