Arquivo da tag: garota

| Resenha | A Garota Que Você Deixou Para Trás – JoJo Moyes

Oii Corujinhas, espero que esteja tudo numa boa com cada um de vocês e que as o leituras estejam sendo maravilhosas. Recentemente, uma amiga da faculdade me indicou o livro A Garota Que Você Deixou Para Trás da JoJo Moyes afirmando que era o melhor livro da autora. Depois de ler Como Eu Era Antes de Você e O Som do Amor e ter abandonado A Última Carta de Amor da autora, não estava nos meus planos ler nada mais da autora tão cedo. Mas peguei o livro despretensiosamente em um sábado e quando o domingo chegou e finalizei a leitura. E tenho que dizer ão houve como não ficar mais do que satisfeita por ter dado uma chance à obra.

image

Título: A Garota Que Você Deixou Para Trás.
Título original: The Girl You Left Behind.
Autor: JoJo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Páginas: 384
Avaliação: 👑 👑 👑 👑 👑 ❤
Encontre: Skoob || Saraiva || Amazon

Sinopse: Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Comecei a ler A Garota Que Você Deixou Para Trás por indicação de uma amiga da faculdade. Depois de tanto ouvir falar dela que este era o melhor livro da JoJo Moyes comecei a pensar: porque não? Dito isso, ao iniciar o livro possuía altas expectativas que estavam mescladas ao temor de acabar não gostando do livro mesmo assim. Mas a poética e emocionante história fez meu coração bater mais forte sem me deixar largar a leitura por um instante.

Primeiramente tenho que admitir que não consigo achar a escrita de Moyes fluente. Pelo contrário, acho-a exaustiva pois tenho a impressão que quanto mais eu leio, menos passo as páginas. Assim costumo demorar mais do que o usual para finalizar seus livros. Mas, graças ao deus dos livros, o “A Garota…” foi uma leitura bem rápida apesar de eu ter demorado para pegar o ritmo. Foi algo que me pegou desprevinida pela clareza com o qual os sentimentos foram expostos além de todo o mistério envolvendo a trama.

O mais legal de ler livros dos quais não sabemos quase nada sobre eles é o quão mais fácil você consegue se surpreender pela qualidade da história. JoJo Moyes criou uma obra que me deixou abismada e ao mesmo tempo extasiada com o que se passava. Em variados momentos eu me vi torcendo pelos personagens emocionada por sua trajetória. Neste livro, a escrita da JoJo Moyes bem como a maneira com o qual ela conduziu o enredo foram mais que suficientes: foram extraordinárias.

As personagens principais da trama são, com toda certeza o ponto mais alto do livro. É um eufemismo dizer o quão carismática suas duas mulheres foram fazendo parte da lista das personagens que mais me deixaram apegadas à sua trajetória. Em primeiro plano, Sophie foi uma mulher cheia de coragem, mas também de dúvidas. Consegui enxergar com clareza as atitudes que ela tomava e seu único desejo de rever seu marido, mesmo sempre que tentando manter sua família sã e salva. Já Liv, mesmo sentindo raiva dela por diversas vezes, me cativou pelo mesmo motivo que Sophie: vi verdade no que ela fazia mesmo que não concordasse com tudo.

Além de suas personagens principais, devo ressaltar o mistério muito bem construído proposto por JoJo que me deixou à ponto de arrancar os cabelos. Foi maravilhoso ver o mistério em torno do quadro, mas principalmente o ensinamento que o objeto deixou para trás. O ponto de união dessas duas histórias foi justamente esse ensinamento que fez com que tanto Sophie, quanto Liv percebessem que não eram mais “as garotas deixadas par trás” mas algo à mais que elas.

A Garota Que Você Deixou Para Trás é um livro que inspira coragem e amadurecimento. Apesar de não ter chorado, o livro me tocou pelas verdades de suas palavras. Vencer e ter não é o essencial, mas sim deixar ser levado pelas coisas boas que a vida pode nos trazer.

Anúncios

| RESENHA | Garota Online – Zoé Sugg – Série Garota Online – Livro Um

Título: Garota Online
Título Original: Girl Online
Série: Garota Online – Livro Um
Autora: Zoe Sugg
Editora: Verus
Avaliação: 🌟🌟🌟
Onde Comprar:

image

Sinopse: Garota Online – Penny tem um segredo. Com o nickname Garota Online, ela escreve um blog no qual desabafa seus sentimentos mais íntimos sobre amizade, meninos, os dramas do colégio, sua família maluca e os ataques de pânico que começaram a dominar sua vida. Quando as coisas vão de mal a pior, sua família a leva para Nova York, onde ela conhece Noah, um garoto lindo que toca guitarra, e com quem ela parece ter muito em comum.  De repente, Penny percebe que está se apaixonando — e escreve sobre cada momento dessa história em seu blog, de maneira anônima. Só que Noah também tem um segredo, que ameaça arruinar o disfarce de Penny para sempre. Garota Online é um livro encantador, que traduz exatamente o que significa crescer e se apaixonar na era digital.

Quando você chora na frente de alguém, quando mostra seu lado mais vulnerável, demonstra que realmente confia na pessoa.

Quando eu comecei a ler Garota Online sabia que ia ser um livro que me causaria uma sensação nostálgica. Do tipo em que somos jovens (ainda sou jovem, mas não mais teen) e amamos aquele livro ao qual a personagem principal meio que nos representa, pois 90% dos adolescentes já se sentiu desengonçado como se estivesse sempre no lugar errado e na hora errada. Penny lembra exatamante essa garota. Uma garota que tem o talento nata para se meter em confusão e se sentir como um peixe fora do aquário. Por isto, apesar da história ser bobinha e previsível,  ela foi  bem gostosa e divertida de ler.

Mas depois me perguntei se, às vezes, as amizades não são como roupas, e quando começam a causar desconforto, não é porque fizemos alguma coisa errada. Significa que crescemos, e elas não servem mais para a gente.

Penny é o tipo de personagem que em outra ocasião eu não gostaria. Ela é insegura de uma maneira que as vezes eu possuía aquela vontade básica de entrar no livro só para dar uns tapas na cara dela. Mas lembrando de mim mesma como adolescente percebo que muito de mim era como Penny. As vezes eu levava coisas pequenas à sério de mais e fazia logo um dilúvio em uma tampinha de xarope. Mas acho que grande parte de nós já passou por isso. A adolescência é aquela fase em que tudo é exagerado. E a personagem principal de Garota Online me lembrou justamente isso.

Existem pessoas que você se apaixona oficialmente segundos depois de conhecer.

Acho que o único ponto que realmente me incomoda no livro de Zoe é a falta de algo mais para a história. Todo livro que leio, independente do que se trata, para me fazer simplesmente ama-lo, precisa de uma abordagem diferente dentro daquilo esperado para ele. E Garota Online não me surpreende nem me chama atenção nesse quesito. A linguagem que autora uza é sim engraçada e leve, mas os fatos do desenrolar é tão sessão da tarde que é impossível não descobrir livro durante todo o livro. E muito embora eu tenha demorado apenas sete horas para finalizar a história, não posso negar que isto me deixou as vezes entediada com a leitura onde várias vezes empurrei com a barriga.

Às vezes você precisa encarar seus medos, para perceber que eles não são reais.

Por esses motivos considero Garota Online uma boa leitura. Não é surpreendente e com certeza não é algo completamente novo. Mas mesmo assim é uma leitura fluída e gostava de uma tarde e que traz a nostalgia de volta.

Quando Uma Garota Entra Em Um Bar – Helena S. Paige.

“Então você se arrumou toda para uma noite de amigas, daquelas onde só as mulheres participam, mas suas amigas mudaram de planos sem avisar e, agora, você está sozinha em um bar superbacana, arrumada e perfumada, e sem saber bem para onde ir… O que você faz? Aproveita que já está por ali, pede uma tequila e dá uma boa olhada no yuppie que está na mesa ao lado? Ou pede uma cerveja e vai pra perto do palco arrebatar o baterista? Pode ser que você prefira uma paquera com o rapaz de botas de bico fino e músculos trabalhados que está encostado à parede. Ou, quem sabe, tomar um café com o bombeiro que está cuidando da segurança dos clientes e que, neste instante, está verificando o funcionamento do extintor… E isso tudo só pra começar! A escolha é sua — e você tem um mundo de possibilidades nesta noite que parecia começar mal! Só não espere que esta experiência seja como outra qualquer, porque esta noite ficará definitivamente marcada em sua memória de erotismo e paixão. Divirta-se com esta definitiva experiência sensual onde você, e só você, terá o controle de seu próprio prazer!”

image

Eu não sei dizer exatamente o que esperava para este livro mas com certeza não era isso. Embora o subtítulo tenha um conteúdo claro, não foi exatamente eu que decidi como a noite terminou pois algumas de minhas escolhas não me levaram aonde eu queria. Ou melhor, eu escolhi, mas os pensamentos da personagem (que ironicamente deveriam ser meus já que o livro é narrado em segunda pessoa) teoricamente me fizeram mudar de escolha, ou seja, não decidi porcaria nenhuma.

O livro tem personagens interessantes que por quesito de personalidade se diferenciam entre si, mas fazendo vista grossa, percebi que faltarou desenvolvimentos em muitos lugares que acabaram por deixar um espaço gigantesco no conteúdo do livro. Porque muitas das vezes eu tive a sensação parecida com um déjà vu, em que com certeza eu já tinha visto tudo aquilo antes. E no final houve uma falha muito grande da autora em relação a escrita do último capítulo. Porque há uma quebra nas conexões que as escolhas que fizemos para um fechamento digno delas. Como se um pedaço do livro que eu escolhi nunca tivesse acontecido. Assim torna a leitura desconexa.

Quando Uma Garota Entra Em Um Bar é um livro diferente e uma ideia espetacular, mas que porém deveria ter sido melhor pensado e melhor escrito. Porque o final é imutável, independente do caminho que se tenha escolhido passar.

Titulo: Quando Uma Garota Entra Em Um Bar.
Título Original: A Girls Walks Indo A Bar
Autora: Helena S. Paige
Ano: 2013
Editora: Novo Conceito
Avaliação: 🌟🌟

A Garota No Trem – Paula Hawkins

“Todos os dias, Rachel faz uma viagem de trem e observa um casal. Ela, que está com a vida destruída pela traição e divórcio do marido, sempre passa pela sua antiga rua onde morava com o ex Tom – e onde ele ainda mora com a atual Anna -, uma casa onde visualiza um casal imaginando a vida deles perfeita e chamando eles intimamente de Jess e Jason.  Mas um dia, Rachel vê uma notícia no jornal que uma mulher desapareceu. E que essa mulher é Jess cujo o nome verdadeiro é Megan. Rachel fica chocada com a informação tanto por ser sua Jess, como por que ela estivera ali na mesma noite, mas não se lembra de nada.  Rachel então decide partilhe o que ‘sabe’ de Jess e Jason para a polícia, se envolvendo numa trama que pode lhe tirar a vida”

image

Primeiro livro que leio da autora e com certeza me faz querer ler mais dela. Embora minha teoria de quem teria sumido com Megan estivessem corretos, os motivos para tal coisa foram errados. 

O livro tem um enredo muito bem construído e mesmo que o vilão seja óbvio a pergunta do porque é tão dificil de ser respondida que tornar o livro fantástico. Ele mistura passado presente e futuro, com uma grande maestria combinando com um suspense de tirar o fôlego. A escrita de Hawkins é meio pesada. Não é um livro com muitas falas, mas com muitos pensamentos que em inúmeras vezes são atordoantes. 

Tenho que dizer que de cara eu senti muita pena de Rachel. A mulher alcoólica tem problemas suficientes para fazer qualquer um  desistir. O marido Tom a deixou por outra mulher, Anna e ela recentemente perdeu o emprego. Rachel é humilhada e penalizada por sua situação e a maneira com que os outros personagens falam ou lidam com ela me deixa zangada. Ela realmente não merecia. Seu ex-marido Tom, por exemplo, a trata como se ela fosse uma desiquilibrada e como se ele não tivesse nada haver com isso.  Megan, conta sua história no passado. Sobre como se sentia em relação ao marido, ao seu passado sombrio e ao irmão morto. Megan, é uma personagem que assim como Rachel precisa de ajuda e apoio, mas que não tem coragem de pedir.

Eu gostei muito do livro e recomendo. Foi um bom suspense quase nada a desejar. Eu super recomendo.

Título: A Garota No Trem
Título Original: The Girls On The Train
Autora: Paula Hawkins
Editora: Record
Ano: 2015
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

Objetos Cortantes – Gillian Flynn.

Oii gente.

Passei um tempo não dando postagens por causa de novidades que vão rolar no blog a partir de segunda feira no quesito organização, mas estou de volta e para tanto resolvi falar sobre um livro quatro estrelas que eu li recentemente. Objetos Cortantes da autora espetacular Gillian Flynn.

image

Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

image
Amy Adams fará Camille Preaker na série

O livro, assim como os outros da autora, é super bem escrito. Tem uma cadência que realmente faz com que nos sintamos como a personagem e nos mostra como o passado influencia o nosso futuro. Este livro em especial, me fez entender o que eu julgava: a necessidade que algumas pessoas tem de marcar a própria pela a faca. Flynn, nos dá toda uma gama de pensamentos no qual a dor de se auto mutilar parece ser a única solução para a personagem se livrar de suas aflições.

Quando eu iniciei o livro, fui num ritmo lento e demorei um pouco para pegar a vibe do escritora. Quando eu consegui, o livro fluiu. Muito embora ele seja mais drama que suspense, a história apresenta uma base muito bem elaborada, mesmo que no fim das contas, não tenha sido muito dificil descobrir quem eram os vilões. Mas o porque de tudo que foi realmente um grande mistério e eu não tinha ideia, pelo menos na maior parte, do motivo da maldade com as garotas.

Camille é uma personagem que no mínimo pode ser considerada perturbada. Sempre foi desprezada pela mãe e ao voltar para casa, ainda tem que aturar os surtos da meia irmã Amma que tem tendência a fazer de tudo para atormenta-la. A cada página, Gillian Flynn nos da um sentido para o afundamento de Camille na bebida e nas auto-multilações.

Adora é uma das personagens mais odiosas que já me deparei nessa vida de leitora. Acredita que tudo ao seu redor deve ser perfeito desde a sua casa – maníaca por limpeza – às filhas. Tem uma necessidade de ser amada por todos, de ser considerada perfeita e exemplar e é exatamente essa característica que passou para sua filha mais nova Amma.

Metida e enjoada, Amma é mimada ao extremo que é uma santinha perto da mãe e o verdadeiro demônio quando solta sua franga pela cidade. Sem escrúpulos, Amma é capaz de tudo para conseguir o que quer incluindo se mostrar quase nua para o garoto que está afim, sendo que tem apenas treze anos.

Objetos Cortantes só pecou onde a personagem Camille chega a ser bem irritante em relação a sua família. Tão condescendente e a falta de surpresa sobre a pessoa má. Mesmo assim é um livro digno de ser livro incapaz de não levar emoção as pessoas.

Título: Objetos Cortantes
Título Original: Sharp Objects
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrisica.
Ano: 2006
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟