Arquivo da tag: editora novo conceito

| ANATOMIA LITERÁRIA | Capa e curiosidades sobre A Vila dos Pecados.

Oii gente. Tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais um Anatomia Literária e se você quiser ver os posts anteriores basta clicar na aba de mesmo nome procurando aqui ao lado na categoria “Bloguices”. Como é mês de Halloween e estou nessas postagens mais trevosas, nada mais justo que fazer um post relacionado a autora brasileira, Soraya Abuchaim, mais conhecida como Dark Queen que têm ganhado leitores com suas histórias sombrias e de muito mistério. Como também sou apaixonada pelas capas de suas obras, o Anatomia Literária de hoje será sobre A Vila dos Pecados, lançamento 2017 da editora coerência.

Vamos começar??

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
A CAPA
•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
image

A capa de A Vila dos Pecados é uma das mais bonitas que tenho na estante. Além de bela por ser bem feita e planejada, a capa possui elementos simbólicos que trazem a tona alguns artifícios do livro em um primeiro momento. Como não falei com o capista, não tenho certeza se entendi os elementos da forma que deveria, mas como uma boa leitora ao a namorar a capa fiquei imaginando respostas sobre tudo que estava ali presente.

O livro possuí uma cor esverdeada mais morta que traz uma sensação de mistério maior à quem à vê. Além disso, o verde escolhido foi uma cor fria e juntamente com as folhagens representam uma floresta que envolve a vila dando a perspectiva de isolamento tão característica de Ponta Poente. O caminho que leva a vila, por sua vez, não é definido por uma estrada remontando a sensação de que é proibido. O caminho esta manchado de sangue que cresce gradualmente a medida que vai se aproximando do leitor, dando a impressão de que cada vez que você se aproxima de Ponta Poente à descobre e seus pecados se tornam mais evidentes. E por fim, mas não menos importante, a vila no centro é pequena, mas de certa forma inexpugnável. Tanto pela aparência de uma cidade rústica de pedras (que eu diria também ser uma alusão ao século XX que se passa a história) como também a forma comm que as casas estão posicionadas bem coladas dando uma aparência de muralha e reforçando assim, a ideia dos segredos e das alianças contra o padre Alfonso (e ao leitor) que existem dentro da vila.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
CURIOSIDADES.
•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

🔸 A ideia inteira do livro surgiu porque Soraya Abuchaim queria escrever sobre uma vila, ambiente ao qual ela gosta bastante.

🔸 O processo de criação do livro começou com a ideia geral da obra e então partindo para uma esquematização dos capítulos. Mas a autora mudou no meio do caminho de ideia e brinca afirmando que ao finaliza-lo ele jánão tinha mais nada haver com a proposta original.

🔸 A autora colocou no livro alguns elementos relacionados ao clima pois acredita que ele compõe bem a história. Em A Vila dos Pecados sempre que o clima fica mais tenso, mais pesado o clima fica.

🔸 Os elementos importantes na trama são os segredos. Abuchaim disse que gosta de aprofundar sobre o que as pessoas escondem pois isso mexe com ela já que acredita que os seres humanos não são tudo que contam.

🔸 Nesse sentido, Soraya também acredita que o ponto central de seu livro não é o assassino mas sim os fatos que os levaram até ali e suas motivações.

🔸 Soraya Abuchaim disse em uma entrevista (a este blog hehe), que o pecado é relativo. O que pode ser pecado para um, não necessariamente será para outro. De certa forma, cada um sabe o que é ou não proibido.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

Bem gente, esse foi o Anatomia Literária de hoje e eu espero que tenham gostado. Em breve sairão novos posts especialmente para vocês. Beijos.

| RESENHA | O Caminho Do Poço Das Lágrimas – André Vianco.

Sinopse: O Caminho Do Poço Das Lágrimas conta a história de um pai que está preocupado com o bem estar de seus filhos. Jonas viajava com os filhos Ingrid e Bosco por uma estrada escura. De repente os três adormecem e, quando acordam, depois de muitos sonhos agitados, se dão conta de que estão em um vasto campo verde. O carro em que viajavam desapareceu e a única saída daquele campo é um caminho formado por pedras justapostas… é O Caminho do Poço das Lágrimas. Orientados para não saírem do caminho, a tarefa parece impossível. Ingrid tem curiosidade, Bosco tem sede e Jonas tem medo. Para onde os levará esse caminho? Que mistérios e perigos os esperam?

image

Emprestado pelo meu primo/melhor-amigo Kristhian, O Caminho do Poço das Lágrimas de André Vianco foi uma leitura que me surpreendeu por ao mesmo tempo ser simples e bem trabalhada. Pode parecer confuso dizer algo do tipo mas a verdade é que o livro de André Vianco apesar da história aparentemente simples e infantil, ele na verdade tem bastantes pontos que me deixaram sem palavras. Nas palavras de Kristhian, você vê que o céu é azul, André Vianco te convence que o céu é verde, para no fim você descobrir que estava certo desde do início. Confuso? Imagina a surpresa quando estava lendo.

O livro é reflexivo sobre a vida e a morte e os impactos que elas trazem em nossos corações. André Vianco fez uma pausa nos seus livros vampirescos, para nos trazer um significado maior. Pois apesar do terror e do suspense que fazerem parte desta história, o foco é tambem as lembranças que se enraizam nos perigos encontrados pela família. Jonas com o passar do tempo se aproxima mais dos filhos a quem tinha se afastado pelas obrigações da vida, tornando a história mais emocionante ao passar de suas páginas.

Eu amei este livro e apesar de ter lido em 2014, as memórias dele ainda estão em minha mente, pois André nos mostra que por mais que temamos a morte, todos um dia vamos passar por ela e devemos ter a consciência de que tivemos uma vida plena e feliz.

Título: O Caminho do Poço das Lágrimas
Autor: André Vianco
Ilustrações: Lese Pierre
Editora: Novo Século
Edição: 2008
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟⭐

image

Estilhaça-Me – Tahereh Mafi

Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal. Nunca foi como as outras meninas de sua idade. O motivo: ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar. Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela. Todo dia era escuro e igual para Juliette até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo. Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos. “Estilhaça-me” é um romance fantástico, que intriga, angustia e prende o leitor até a última página com uma história surreal que mistura amor, medo, aventura e mistério e traz um desfecho surpreendente.

image

Descobri Estilhaça-Me em um grupo no Whatsapp e apesar da capa deste livro ser bem feinha ele me chamou muito atenção pela sinopse que possuía. Embora eu já estivesse acostumada com o esquema de publicação que uns anos atrás esteve tão na moda (trilogia/distópica e que ainda esta meio na moda), eu estava procurando um novo tipo de contexto e passei por alguns livros bem decepcionantes até chegar neste. E apesar de ter achado o final da trilogia um pouco forçoso eu fiquei abismada com o conteúdo e as “perguntas” deixadas pela autora durante a história.

Juliette é uma personagem, eu diria, um pouco típica de mais de enredos distópicos. Ela de cara apresenta fraqueza mais vai evoluindo conforme a história fica mais forte. Porém também é uma moça de atitude que chega a raiar a inconsequência. De menininha fragil posso perceber que aos poucos ela caminha para se tornar uma mulher forte que seus poderes podem transforma-la.

Admito que fiquei bastante perplexa com a complexidade da história que, não só por ser uma trilogia, me deixa com a sensação de que existe muito mais entre as linhas do que a autora deixa aparecer. E isso me motiva a um dia quem sabe dar prosseguimento a trilogia, que por ter sido tão decepcionante no final não me deu gás para continuar. Mas quem sabe um dia…

Título: Estilhaça-me
Título Original: Shater-me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

image
2ª capa publicada com base na orginal

Olho Por Olho – Jenny Han e Shiobian Vivian – Trilogia Olho Por Olho Livro Um.

image

Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena… Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar com muitos dos sentimentos de Kat, Lillia e Mary em Olho por Olho… No entanto, de um exercício de malícia, de uma simples brincadeira adolescente, o jogo do “aqui se faz, aqui se paga” poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos. Deixe-se levar por uma genuína história sobre o certo e o errado, o justo e o injustificável e procure entender — se possível — os verdadeiros motivos que transformaram estas três meninas. Dramático, honesto e fascinante, este é um livro que ultrapassa todas as expectativas!

Incrivelmente profundo, esse livro de Han e Vivian me tocou de uma forma que eu não consigo expressar. Qualquer pessoa que de certa forma tenha passado por algum trauma ou humilhação na escola, sabe exatamente o que essas três meninas passam e qual o sentimento que a levou a essa vingança tripla. Todos os personagens apresentados, tanto os mocinhos quanto os vilões tem uma gama de personalidade e carga passada muito grande. Todos representam uma espécie de face do que os adolescentes sentem durante a vida na escola.

Tudo esta encaixado ao redor de Lillia principalmente. Pois ela que está mais perto das pessoas que as meninas querem vingança. O que leva Lillia a buscar vingança contra um dos seus “melhores amigos” é o sentimento de traição que está enraizado a sua irmã mais nova Nadia e a ela própria. Mesmo tendo quase dezoito anos, Lillia é muito ingênua ao que pode acontecer e quem ela era por deixar ser controlada com facilidade por seus “amigos”. Acho incrível ver sua transformação, ou sua meia transformação, quando ela aprende a dizer não a partir das coisas que essas pessoas lhe fizeram passar.

A história de Mary é a que mais me emociona. Quando eu estava lendo o livro, percebi as variadas semelhanças entre nós duas. Não que eu tenha sido gorda e sofrido com isso (pelo contrário eu era um palito. OK ainda sou!), mas pelo tipo de piada humilhante que as pessoas fazem com ela e principalmente daquele que de certa forma estava se tornando seu amigo. Esse tipo de traição é a mais profunda porque não fere superficialmente, as palavras ditas por pessoas próximas conseguem deixar cicatrizes fundas que nunca realmente deixa de sangrar. É por isso que de todas as garotas, a vingança de Mary é a que mais me deixa próxima dela. Por que essa necessidade eu entendo (e até me sinto meio vingada também).

Kat é uma personagem durona que aguentou tudo quase numa boa dando apenas algumas pequenas respostas afiadas sem nunca realmente se dar ao trabalho de responder e mudar o que se falava dela. Antes Kat era melhor de Lillia, e principalmente de Rennie. Quando a amizade acabou, Ren espalhou vários boatos sobre Kat que se expalharam pela escola e a perseguiram desde então. Kat nunca se importou o que eu acho incrível da parte dela. Diferente de Mary (e de mim) ela não se escondia ou chorava pelo, apenas seguia em frente. Porém as coisas mudam por causa de Alex, que a faz sentir alguma coisa e depois a descarta. Kat então, bem tardiamente, decide iniciar a vingança. Só que sua mira vai para Rennie que só fez destruir a sua vida desde pequena.

Quanto aos personagens que são o alvo da vingança dessas três meninas, Alex por Lillia, Rennie por Kat e Reeve por Mary, eu consigo distinguir entre eles o egoismo.   O tipo de sentimento que infelizmente está dentro de muitas pessoas. Nenhum dos três, principalmente Rennie e Reeve, tem algum pudor em fazer o que é necessário ou passar por cima de alguém para conseguir alguma coisa. São pessoas mesquinhas e cruéis que são incapazes de olhar para os outros além de si mesmos.

Eu gostei muito desse livro. Me senti próxima dos personagens em várias vezes. Não acho que tenha falhas que seja necessário comentar porque não influência no final do livro. Ele é espetacular e já estou devorando o próximo livro.

Título: Olho Por Olho
Título Original: Bum For Bum
Autor: Jenny Han & Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Semana Híbrida – Segundo dia.

Oii gente.

Hoje é o segundo dia da semana Híbrida de Mari Scotti e para animar as coisas lá vem TAG com estilo de personagens. Eu amo fazer tags e esta é perfeita. Espero que gostem que eu pensei em cada livro com muito carinho para vocês.

A TAG consiste em indicar um livro de acordo com a personalidade dos personagens. Pode ser respondido por escrito, vídeo, instagram, como desejarem e com livros lidos, desejados ou odiados, de acordo com o seu gosto. Marque três blogs ou amigos para participar da TAG também!

Elizabeth: Um livro que você leu (emprestado ou alugado) e nunca mais achou outro exemplar.

🔹Tem um livro da época que estava no fundamental da escola e que toda vez que eu ia na biblioteca tomava ele nas mãos e lia minha parte favorita. Chama-se A Bela Ou A Fera e ele me dava muito do que eu sentia na época. A personagem principal tinha aquelas duvidas que temos aos treze aos, mas que achamos que não existe uma pessoa que nos entenda. Eu tenho um amorzinho especial por este livro, mas nunca o encontrei novamente em livrarias.

image

Ellene: Um livro que você estava indeciso se seria uma boa leitura, mas foi até o fim para descobrir.

🔹As Vantagens de Ser Invisivel com certeza. Muitas pessoas me recomendaram este livro mas eu tinha dúvidas se ele realmente seria bom como diziam. Já tinha passado por não gostar tanto de A Culpa É Das Estrelas do John Green e admito que tinha certo preconceito com o livro por ser escrito atraves de cartas. Mas no final da contas, o livro foi excelente e eu não me arrependo em nada de tê-lo lido.

image

Heidy: Um livro com um vilão que você detestou e torceu para que ele morresse.

🔹É muito raro eu ter um livro que o vilão seja realmente odioso porque na maioria das vezes eu sempre gosto mais dos vilões do que do personagem principal: acho eles sexys e misteriosos no qual eu nutro um fascínio absoluto por vários. Mas se tem um vilão que eu realmente odiei e quis que morresse foi o Joffrey Baratheon d’As Cronicas de Gelo e Fogo. Sujeitinho mimado e repulsivo que via na maldade um jeito para fazer as pessoas fazerem o que ele queria.

image

Nicolae: Um livro com um personagem secundário importante para a trama e de quem você não sabia se confiava ou não.

🔹Quando eu comecei a ler Reiniciados a maior parte das pessoas me davam arrepios. O livro é muito bem escrito e tem uma capacidade manipulatoria bastante elavada. Todos os personagens da trama levantavam suspeitas. A doutora Lisander com certeza foi o meu maior desafio de desvendar seus mistérios e mesmo assim só consegui entender coisas a seu respeito no último livro Fragmentada.

image

Milosh: Um livro com um protagonista destemido, porém depressivo.

🔹No livro Objetos Cortantes de Gillian Flynn eu tinha certa raiva da protagonista Camille por ela ser totalmente depreciativa consigo mesma. Muito embora a proposta do livro seja essa, as vezes eu queria entrar dentro da história e dar uma bela sacudida na personagem.

image

Jacó: Um livro com um irmão mais velho ciumento.

🔹Em O Duque e Eu Anthony Bridgerton se mostrou bem ciumento a sua irmã Daphne. O que era engraçado é que Anthony era extramente libertino, mas que por ser o mais velho, deveria por ordem na família e manter a honra das irmãs.

image

Carol: Um livro que te deixou curioso e você deseja ler em breve.

🔹Hibrida da Mari. Conhecendo melhor a obra da Mari eu com certeza quero ler em breve o livro dela. Estou realmente curiosa para conhecer Ellene e desvendar seus mistérios.

image

Tomás: Um livro que você amou e te decepcionou no final.

🔹Na verdade foi uma série de livros que eu perdia o fôlego durante a leituras que no final, por falta de expressão melhor, eu brochei. Foram os livros de Maze Runner. O primeiro livro foi ótimo. O segundo maravilhoso. Mas o terceiro, o qual terminava a história de Thomas, foi ridiculamente ruim comparado ao nível dos seus antecessores. Assim como o quarto livro que foi péssimo também. Mas deles, o mais decepcionante foi A Cura Mortal porque tudo que eu esperava saber ou queria que viesse a tona caiu por terra ou simplesmente não apareceu. Fiquei extramente decepcionada com o final da história que tinha tudo para ser perfeita.

image

Continuar lendo Semana Híbrida – Segundo dia.