Arquivo da tag: booktag

(Tag) E(leitores)

Oi amores, como vão? A TAG de hoje eu vi no blog Caverna Literária e como eu achei super divertida vou trazê-la para vocês. Além disso, do tempo propício para respondê-la, eu percebo que essa TAG também nos faz lembrar do verdadeiro significado das eleições que é o direito a opinião onde muitos de nós temos esquecido disto nos últimos tempos.

Vamos começar?

1. Eleições 2018: O melhor livro e o melhor personagem de 2018 (até o momento)

pequenas grandes mentirasPequenas Grandes Mentiras que li no começo do ano se mostrou insuperável. A narrativa de Liane Moriarty foi sensacional, carregada de personagens reais que não somente me fizeram apaixonar pela obra, como me mostraram o significado de ser mãe e ser mulher em um mundo dominado pela força esmagadora da dependência masculina. entre a culpa e o desejo
E a melhor personagem, sem sombra de dúvidas foi Phillippa Malrbury do livro Entre A Culpa e o Desejo da Sarah MacLean. Sou apaixonada por romances de época, mas principalmente por mocinhas fora do padrão que não estão nem aí para isso. E por Pippa foi exatamente assim e muito mais. Chega ser difícil expressar o quanto sou apaixonada por quem ela é.

2. Promessas vazias: O livro tinha uma capa linda, uma premissa maravilhosa, só recebia elogios, e no entanto… 

jogador numero 01O Jogador N° 1 do Ernest Cline foi bem decepcionante. Engraçado que na época que havia gostado, mas então fui pensando cada vez mais sobre o assunto e percebi que só o que vale nessa obra é a nostalgia. Porque apesar do Ernest ter uma grande história em mãos, ele acabou se perdendo na sua desenvoltura, que se tornou um tanto procrastinada e sem direcionamento certo. De certo modo, foi uma perda de tempo.

3. Essa causa eu apoio! Um livro que aborda uma temática que você acha importante.

antes de casarO livro da Bárbara Machado, Antes De Casar toca em uma das temáticas que eu mais teclo nos últimos tempos. As mulheres, os homens, todos como sociedade vemos entender nossa importância para além de outras pessoas. Devemos pensar primeiramente em quem somos como indivíduos antes de nos vermos em relacionamentos. Ser feliz depende muito mais do amor que temos por nós mesmos que pelas outras pessoas.

4. No meu governo… Qual clichê literário você proibiria na “Constituição dos Autores”?

peça-me o que quiserPeça-me O Quiser de Megan Maxwell. Até hoje não consigo entender como a autora se prestou a escrever um livro tão sem conteúdo. Não é só porque você escreve hot que seu livro inteiro deve ser focado nisso. Mas o pior de tudo foi a mocinha que não tem um pingo de autoestima e se presta a papeis que me davam vergonha alheia de simplesmente estar lendo aquilo. Foi o último livro que li porque havia começado e com certeza essa foi a melhor lição do livro: ler somente aquilo que me faz bem.

5. Voto de confiança: Um livro que você ainda não leu, mas acha que tem grandes chances de favoritar.

os criadores de coincidenciasOs Criadores de Coincidências da Yoav Blum está na minha meta desde o meio do ano quando vi as resenhas sobre ele. Eu não costumo me fixar nas sinopses dos livros, mas se algo me atrai nessa obra e que me faz suspirar de vontade para lê-la é a inovação que parece vir acompanhada nessas páginas. Sendo uma apaixonada por fantasia e com um espírito que adora novidades, tenho certeza que essa obra pode vir a si tornar uma de minhas favoritas.

6. 1% das intenções de voto: Essa é a hora de indicar aquele livro que ninguém conhece, mas você ama.

bentoEu amo os livros do André Vianco e muito embora muitas pessoas tenham ouvido falar dele, a maioria nem sequer leu o que é uma absurdo pois o autor tem um talento incrivel para criar histórias resgatando verdadeiramente o significado das mitologias vampirescas que conhecemos. Os livros da Trilogia Bento são uma prova disso. O primeiro é meu favorito, onde o autor surpreende a cada minuto criando uma história encadeada repleta de emoções.

7. Numa democracia, vence a maioria… Mas todos devem ser ouvidos! Deixe aquela sua opinião polêmica sobre o livro que todo mundo gostou, menos você 😉 

a culpa é das estrelasEu sou conhecida popularmente como do contra e é realmente incrível como eu sou capaz de gostar de obras que todo mundo odeia e detestar obras que todo mundo ama. Um bom exemplo disto é o livro A Culpa É das Estrelas do John Green que, apesar de não ter detestado, também não posso dizer que amei ou que me surpreendeu. Na verdade gosto apenas das últimas três páginas. O motivo do meu desamor é que a obra é um tanto resumível. Lê-la toda e ler a carta de Augustus dá no mesmo: a lição aprendida é a mesma. De modo que eu considero o resto bem desnecessário.

8. Quando o horário eleitoral rende boas risadas: Um livro que mais te divertiu do que qualquer outra coisa. 

Em Casa Para o Natal

Comprado em uma promoção das Americanas, Em Casa Para O Natal foi um livro super divertido que eu realmente não esperava rir tanto. A verdade é que tenho problemas com alguns livros que se dizem comédia, mas que quando eu leio fico com uma cara de taxo horrenda de ter lido errado. Mas a obra de Cally Taylor me fez rir a ponto de precisar largar a leitura e respirar. Apesar disso, o livro não pode ser considerado como além de divertido. E por isso ele é apenas divertido acima de qualquer outra coisa.

9. Mandato de 4 anos: Se você fosse obrigado a escolher um único autor para ler nos próximos 4 anos, quem seria? 

Harlan.JPGHarlan Coben hoje, Harlan Coben amanhã e Harlan Coben para sempre! Brincadeiras a parte, do norte-americano sempre figuram entre os mais lidos de um determinado ano para mim. Além disso, poucas são as obras de Harlan que me decepcionaram e já passei da casa dos 20 da leitura de exemplares de sua autoria. Harlan é genial, e eu leria somente suas obras por quatro anos com muito prazer.

10. É golpe! Se um vilão literário tomasse o poder do país, quem você gostaria que fosse e por quê? 

sombra e ossosO Darkling. Primeiro, porque eu sou apaixonada por ele logo seria sua primeira dama (Ha!). Segundo, porque acredito em parte nas suas motivações para querer tomar o poder de sua terra natal. O Darkling, ao contrário de muitos vilões, não é um louco que deseja poder, ele deseja algo mais com aquilo, o que torna sua busca válida, muito embora seja errônea. E terceiro, eu já disse que sou apaixonada pelo Darkling????

11. O discurso perfeito: Parece que esse livro foi feito para me agradar! 

a cidade muradaTentando não citar os mesmos livros de sempre, esse ano li A Cidade Murada da Ryan Graudin e lembro de ficar impressionada pela obra que não me saiu da cabeça pelos dias seguintes. Narrada em contagem regressiva, o livro mostra como seria um mundo sem regras dominado pelo crime. Mas acredito que o que tenha mais me impressionado na obra, foi o fato de se passar em um lugar que existiu de verdade, dando ainda mais força e realidade ao que estava sendo contado.

12. Que debate! Dois personagens de livros diferentes que você gostaria de ver juntos na mesma história. 

Harry-and-Percy-harry-potter-and-percy-jackson-crossovers-34813762-460-500
Artista desconhecido

Como sou nostálgica, eu gostaria de ver um encontro de Harry Potter e Percy Jackson, trabalhando juntos contra forças mágicas e mitológicas. Na verdade esse encontro eu desejo desde que li o livros de ambos e sempre achei que fosse muito possível. E francamente, não deve ser muito difícil promover um encontro assim considerando quem eles são certo?? Harry, aparate e Percy, voe.

13. Voto é secreto! Mas eu sei que tu quer contar o spoiler daquele livro pra todo mundo! hahaha Mostre o livro e nos conte, mas seja discreto e não esqueça de deixar a LETRA EM BRANCO, ok?

corte de asas e ruinaComentário sobre uma das cenas finais de Corte de Asas e Ruína. Selecione a entre os emojis para ver ➡ Sabe Sarah, se você não ia realmente matar o Rhysand não precisava daquela coisa toda. Quer dizer, todo mundo sabia que ele não ia morrer e com certeza você poderia encontrar uma cena diferente para mostrar o arrependimento do Tamlin. Sendo sincera, foi clichê do modo ruim e eu senti uma certa vergonha alheia. Mas tudo bem! Acontece!!! ⬅ Que desabafo, obrigado tag pela oportunidade de fazer isso.

 

Então amores, essa foi a tag de hoje. Espero que tenham gostado. Em breve trarei mais algumas.

Beijos.

 

 

( TAG ) Moda e Literatura BookTag

Oii gente. Hoje é dia de mais uma tag para vocês e esta eu vi no blog da Juh do Nuvem Literária. Como estava caçando algumas tags diferentes, achei esta super divertida e fiquei com vontade de responder. Como podem perceber a tag gira em torno de moda e de livros, duas coisas que amo. Espero que gostem.

Vamos começar?

 

transferir

1) Um “livro pretinho básico”
Um livro que em qualquer época, todo mundo leu/ tem e se não leu tem que ler.

Todo mundo que eu conheço parece ou ter, ou querer ou ter lido Orgulho e Preconceito de Jane Austen. Eu mesma realizei leitura no ano de 2014 e gostei apesar de não ser um dos meus clássicos da vida. Mas sim, é uma leitura que vale à pena pela força que a Elizabeth apresenta na trama e os desafios que ela e Darcy enfrentam para ficarem juntos. Uma das coisas que mais gostei no livro, foram esses desafios e as inverdades que surgiram no caminho deles.

 

transferir (1)

2. Um “livro alta-costura”
Um livro pelo qual vale pagar caro; pela qualidade literário e/ou editorial.

Eu não tenho (infelizmente) o livro Os Miseráveis, mas já tive contato com suas edições e francamente, elas são maravilhosas com M maiúsculo. Além disso, a história apesar da enormidade é linda e várias vezes durante sua leitura fiquei emocionada com a forma com o qual Victor Hugo conduz sua história. Quem não leu, eu indico. É uma obra sensacional.

 

 

Divergente

3. Um “livro Fast-fashion”
Leu quando estava todo mundo lendo e gostou; mas hoje já não leria.

Divergente foi uma das trilogias que mais amei na época que bombou no Brasil e que o gêneroe esta em alta, mas eu com certeza não entraria na leitura. Me decepcionei com o final arrastado e mal elaborado da autora, muito embora na época tenha achado razoável. Mas sabe como é? Você termina um livro, acha bom, fica pensando nele e no fim das contas percebe que não foi tão bom assim.

 

 

screenshot_2017-08-05-20-41-41-1.png

 

4. Um “livro calça jeans”
Um livro descontraído que agrada todos os estilos de leitores.

Simon Vs A Agenda do Homosapiens parece ser modinha, mas a realidade é que este é um livro encaixavel em qualquer situação. Mesmo quem não gosta de temas LGBTS, vai se identificar com a história pois Simon é antes de tudo um garoto apaixonado. Um dos motivos para eu gostar tanto deste livro é o fato que a autora não se prende ao esteriótipo ao homosexual, assim o livro é super descontraído.

 

transferir

5. Um “livro Scarpin bico fino”=
Um livro muito bom mas que foi difícil de ler. Pode ter te causado desconforto pela forma de escrita/narrativa ou por algum detalhe da historia. Mesmo assim, você leria outras vezes!

Não posso dizer que O Oceano No Fim do Caminho foi uma leitura super complicada, mas houve momentos que precisei parar para respirar. Assim como em Coraline, Neil Gaiman escreve para adultos através dos olhos inocentes de uma criança. Tal artifico faz um duplo sentido na narrativa de nós leitores enterdemos, o que as crianças não entendem. Assim é um livro complicado, pelo trato imaginário que o autor coloca em dualidade na obra.

 

Então amores. Essa foi a tag de hoje, espero que tenham gostado. Já leu algum desses livros?? Beijos.