Arquivo da categoria: Fantasia

O Orfanato Da Senhorita Peregrine Para Crianças Peculiares – Ramson Riggs – Livro Um.

Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas.

image

Eu fiquei super encantada e comprometida com a história desse livro. Ele é bem dinâmico e incapaz de ser deixado de lado. Sem contar que sua diagramação foi bem peculiar mesmo. Nunca tinha visto um livro que usasse de fotos originais ilustrar um enredo que fala justamente do sobrenatural.

Ramson Riggs me surpreendeu pois eu não esperava muito da história. Muito embora eu já tivesse ouvido falar várias vezes que era realmente bom, por esse motivo eu estava apreensiva quanto ao livro. Quer dizer, muitos dos livros que as pessoas me recomendaram com aquele você precisa desse livro foram questionáveis. Mas O Orfanato (kkk não dá para escrever o nome do livro toda hora que é gigante) cumpriu exatamente o papel que tinha prometido e assim me fez ficar apaixonada pela história.

Jacob é um adolescente que apesar de ter tudo que o dinheiro pode comprar sofre por ser incompreendido pelos pais. Fúteis, tenho a impressão que ambos os adultos não entendem o filho porque não se dão ao trabalho de fazer isso já que estão mais preocupados com o que as pessoas ao redor vão dizer. A única pessoa que parecia querer o bem de lo Jacob era seu avô porém o jovem se afastou dele durante muitos anos por não acreditar no que ele dizia até o dia fatídico de sua morte.

Uma das coisas que mais me impressionou nesse livro além de tudo foi como o Jacob ia descobrindo sobre o que seu avô lhe contava e seu passado. Eu esperava que certas coisas acontecessem de cara, porém, elas evoluíram na medida certa deixando um espaço continuo para reflexão. É um livro maravilhoso que valeu muito a pena a leitura.

Titulo Original: Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children
Autor: Ramson Riggs
Ano: 2013
Editora: LeYa
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

A Terra das Sombras – A Mediadora – Livro Um.

Suzannah é uma adolescente aparentemente comum que tem um problema com construções antigas. Não é para menos. Afinal, muitas dessas casas velhas são assombradas. E Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de ver e falar com fantasmas para ajudá-los a descansar em paz. É claro que esse dom lhe traz muitos problemas. Mas nem ela poderia saber da gravidade do que encontraria ao mudar-se para a Califórnia. Além de ir morar numa casa assombrada por um fantasma jovem, bondoso e bonitão, sua escola sofre com a presença maligna de uma adolescente que se matou ao ser desprezada pelo namorado e que agora busca vingança. Meg Cabot, autora da série “O Diário da Princesa”, está de volta ao universo jovem com um livro antológico, que mistura ação, mistério e suspense sobrenatural aos problemas terríveis que atingem todos os adolescentes.

image

Este livro de Meg Cabot é não só incrível como surpreendente, pois achei uma história incrivelmente nova para um tema como fantasmas.

Meg Cabot tem uma das melhores escritas que já presenciei. Ela tem tudo que o leitor gosta: suspense, romance e ação com uma dose inesperada de humor que faz se tornar um dos livros mais fluídos e satisfatórios que li na vida. Isto porque todos os detalhes que precisaram ser fechados foram fechados deixando apenas aquela leve e brecha de curiosidade que te faz querer desesperadamente o livro seguinte.

Suzannah é uma das personagens mais engraçadas, gente boa e verossímeis que já li. Ela sempre foi uma garota durona – dã ela via fantasmas tinha que ser mesmo – mas ao mesmo tempo tem o mesmo desejo de qualquer adolescente de ter seu primeiro amor. Ao mesmo tempo que precisa se adaptar a vida completamente nova. Uma coisa que me encantou na personagem foi a falta do melodramatismo adolescente que é muito presente neste tipo de situação: uma garota que faz birra porque vai deixar tudo que conheceu para trás. Suzannah pelo contrário ela leva quase numa boa, afinal de contas é melhor para a mãe dela assim e sua nova família e a sua felicidade não é a única que importa.

Falando em família, eu comecei a nutrir um amorzinho especial pelos três irmãos de Suze que ela apelidou de Mestre, Soneca e Dunga. Eles são inteligentes e engraçados e dão a história aquela cara de mundo, onde nem tudo gira em volta da protagonista.

Jesse (que entrou para lista de crushs literários) é um fantasma que de cada nao parece nada camarada, mas que vai se mostrando gentil e mais galante aos poucos cadê meu fantasma homem de época nesse mundo?. Eu tenho uma afeição quase platônica por esse personagem. E alem dele, eu também gosto muito do Padre Dom. Um mediador assim como Suzannah que me lembra muito Alvo Dumbledore, só que beeemm mais sério.

Eu sou apaixonada por esses livros. Tanto que resolvi fazer resenhas deles mesmo tendo lido há vários anos. São livros especialíssimos que todo mundo adulto, adolescente ou criança devia ler.

Titulo: A Terra das Sombras
Serie: A Mediadora – Livro Um.
Autora: Meg Cabot
Ano: 2004
Editora: Galera Record
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Sonhos – Mari Scotti – Nefilins Livro Dois

A vida que Suzanna conhecia ficou para trás e suas escolhas terão consequências desastrosas sobre seu futuro. Um julgamento foi preparado para condenar sua alma Nefilin e nele será revelada a verdadeira face do mal. Estará o anjo disposto a abdicar de sua posição, de sua alma pura, apenas para salvá-la?

image

Quando você pensa que não existe muita coisa para acontecer na vida de Suzanna você descobre que esta redondamente enganado.

No segundo livro da série Nefilins de Mari Scotti, vemos que o mundo de Suzanna esta de cabeça para baixo. Afinal de contas, a moça sem querer – e põe um sem querer nisso – escolheu o inferno quando salvou Arthur – Pierre e agora ela passará por um. julgamento que decidirá o futuro de sua alma. Eu bem que queria falar mais sobre isso, mas acho que vou acabar dando um mega Spoiler. São tantas coisas que ocorrem neste livro que fica meio dificil tentar mostrar um pouquinho mais dele.

De modo que para esta resenha resolvi falar dois pontos diferentes:

A) Religião: Quando eu comecei a ler Insônia, baseado no fato que era um livro envolvendo anjos, tinha a certeza que uma hora ou outra nós teríamos que chegar ao ponto da religião. Mesmo que no primeiro livro da série tenha sido pouco retratado, neste segundo a autora consegui fazer tudo aquilo que eu não esperava. Por por ser um tema de alto grau religioso eu estava buscando crer que teria mais haver com uma religião que com outra. Mas isto não acontece aqui. Na verdade, pude notar que quase não tem nada de especifico. Tudo que Mari colocou no livro vêem dos conhecimentos antes das religiões serem formadas e eu acho isto genial. Pois não diminui nem faz um auterego – acho que esta é a palavra – sobre as fés existentes.

B) Irmãos: Outra coisa que me chama muito a atenção e que eu comentei com fervor em Insônia foi que eu via algo além do triângulo amoroso entre Arthur, Pietro e Suzanna. Durante a leitura de Sonhos eu pude ter ainda mais certeza disso. Quando você entende as histórias do passado, uma em especial, sobre esses dois irmãos e quem haviam protegido antes, é que a verdade por detrás da rivalidade se expressa. E eu não sei porque mas enxergo Arthur um irmão que quer seu melhor amigo de volta e em Pietro um garoto que acha que é melhor sozinho mas que quer desesperamente ter consolo de novo. Talvez eu esteja apenas fantasiando sobre eles, mas sinto muito isso.

A Mari tem um jeito gostoso de escrever que cria um ritmo fácil de acompanhar que te envolve em mistério, romance e aventura. Um livro emocionante com um final melhor ainda. E quando eu digo melhor quero dizer se prepara que lá vem bomba. É um livro fantástico que todos deveriam ler.

Título: Sonhos
Série: Nefilins – Livro Dois
Autora: Mari Scotti
Ano: 2015
Editora: Independente
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Sombra e Ossos – Leigh Bardugo – Trilogia Grisha Livro Um

Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza – o apoio de seu melhor amigo, Maly , e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras -, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter. A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas , a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras. Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo.

image

No primeiro livro da Trilogia Grisha eu adimito que fiquei absurdamente impressionada com a capacidade que a autora teve de manipular os meus sentimentos em relação aos personagens do livro. E muito embora eu tenha uma queda – daquelas bem bruscas – pelo vilão, não posso negar que o mocinho também desperta minha empatia.

O livro é, além de tudo bem escrito. Não é exatamente uma coisa nova, mas o contexto sob o qual se apresenta e a maneira com que foi apresentado foram incriveis. Cada personagem, cada lugar tem uma gama de elementos que fazem do livro uma obra completa. Há detalhes diversos sobre emoções e visoes, mas não se torna uma coisa excessiva e desnecessária. E os personagens possuem um quê de humanidade que os tornam tragaveis e apaixonantes.

Alina Starkov – eu simplesmente amo esse nome – é uma garota que busca a sobrevivência. Tanto a sua como de seu melhor amigo. Essa amizade mostra um lado frágil dela: aquele abnegado em que ela seria capaz de tudo para protege-lo o o tornando seu ponto fraco. Alina não é uma personagem chata a ponto de fazer drama e o único problema dela com certeza é a ingenuidade, tanto que o seu maior erro é justamente acreditar naquilo que lhe trará próxima a ruína.

Sombra e Osso é um livro incrível. Cheio de reviravoltas. É um livro que nos torna incapaz de ler e não se tornar fã.

Titulo: Sombra e Ossos
Titulo Original: Shadow And Bone
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Gutemberg
Ano: 2012
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Almanova – Jodi Meadows – Trilogia Incarnate – Livro Um.

Primeiro livro bem impressionante da Trilogia Incarnate. Desde o início do ano eu estava procurando um bom livro de ficção para ler e quando ouvi falar em Almanova fiquei bastante animada para começar a ler os livros. Mas como sempre, quando eu tive a oportunidade de ler a história acabei deixando para depois e depois sempre pegando outro livro no lugar. Até que anteontem peguei o livro para ler e não estou insatisfeita com a escolha.

image

Ana é uma almanova. Por milhares de anos, em Range, as almas reencarnaram em processo contínuo, evolutivo,conservando as memórias e experiência de vidas passadas. Quando Ana nasceu, porém, outra alma desapareceu, e isso se tornou um mistério…

SEM-ALMA

A própria mãe acredita que Ana é uma sem-alma, um presságio de que o pior está por vir, por isso, decidiu afastá-la do convívio social. Para escapar da reclusão e descobrir se reencarnará. Ana partirá em uma jornada até a cidade de Heart.

Contudo, os moradores temem sua presença e o que ela significa. Quando dragões e sílfides atacam a cidade, poderá Ana ser responsabilizada pelo infortúnio?
HEART

Sam acredita que a alma nova de Ana é boa e importante. Quando ele passa a defendê-la, o relacionamento floresce. Mas será que Sam pode amar uma pessoa que viverá apenas uma vida? Será que os inimigos de Ana (seres humanos e criaturas mitológicas) permitirão que fiquem juntos? Ana precisa desvendar o erro que lhe deu a vida de outra pessoa, mas será que essa busca ameaçará a paz de Heart e destruirá a promessa de reencarnação para todos?

image

A leitura de Almanova foi fácil. Do tipo fluído e sem muita enrolação como acontece em vários livros. Sempre havia uma riqueza de detalhes que a autora conseguia expressar muito bem sobre os sentimentos de Ana. Gosto desse tipo de livro mais bem trabalhado na questão do que o personagem tem a dizer sobre o que sente no momento, mas senti um pouco de falta nos detalhes sobre as cenas: lugares e reações dos outros personagens. Isso dificulta um pouco, pelo menos para mim, eu me sentir dentro do livro e vendo a cena se desenrolar na minha frente.

Os personagens, em suma, são oito ou oitenta. Existe aqueles que você gosta de cara como Stef e outros que você detesta como Li. Mas cada um, a sua maneira, apresenta características que os fazem soar reais. Imperfeitos, em pequenos detalhes, que mesmo custando a serem percebidos acabam por dar a eles o toque verossímil tão importante para a construção da história.

Descrito de cabelos escuros, barba por fazer e braços fortes, Sam é um jovem adolescente de cinco mil anos que tem amor pela música e que acredita que Ana é muito mais que um erro ou uma sem-alma. Carismático, Sam não é do tipo que me faz suspirar por ser doce de mais, mas com certeza não fez ter um nojinho básico dele pela mesma razão, isto porque mesmo parecendo em excesso, existe muita verdade embaixo do que ele sente ou no que mostra sentir.

image

Ana é descrita como ruiva (porque sempre ruivas?), cheia de sardas e de corpo mignion, é uma das personagens mais impulsivas que já me deparei e exatamente por isso que não entendo muito por que gosto dela. Sempre fui mais fã de personagens que cauculam tudo a lá Sherlock Holmes, mas de alguma forma, Ana ser tão fechada e impulsiva a sua maneira de ver a vida, faz que não só eu goste dela como eu a entenda e internamente a incentive.

Ana é extremamente desconfiada por ter sido maltratada por sua mãe a vida inteira. Li não só a maltratava como lhe ridicularizava, fazendo com que sempre esteja com um pé atrás não em relação a se proteger fisicamente como se proteger mentalmente das pessoas. Sempre esperando que elas rissem ou zombassem dela.

“Talvez me observar fosse como observar um gatinho recém-nascido, cego e miando, pedindo ajuda, comida e amor. Bonitinho, mas inútil. Pequenas vitórias, como encontrar o leite da mãe, recebiam elogios.”

image

Ana também tem medos e curiosidades sobre Heart relacionados não só as pessoas mas também a própria cidade. Coisas que ela não entende do porque, mas que estão lá mesmo que não haja examente uma explicação. Um exemplo disso é o templo no meio da cidade considerado por todos reconfortante, mas que dá a ela sensação de medo.

“Eu odiava o templo. Por causa do meu instinto, desde a primeira vez que o vi e senti que estava olhando para mim, e depois quando senti a pulsação através dos muros da cidade. Uma pedra não deveria ter um coração batendo.”

Almanova é um livro muito interessante e novo. Especialmente novo. Tenho certeza que para Almanegra e Infinita (próximos volumes da série) muitos segredos me aguardam. Livros que estou maluca para ler.

Título: Almanova.
Titulo original: Incarnate.
Autora: Jodi Meadows.
Editora: Valentina.
Ano: 2013
Tempo de leitura: Dois dias.
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

Feitiço – Saga Encantadas – Livro Dois.

image

Feitiço – Cuidado com o que você deseja!

Para fãs de Once Upon a Time e Grimm, a série Encantadas prova que contos de fadas são para adultos! Você se lembra da história da Cinderela, com sua linda fada madrinha, suas irmãs feias e um príncipe encantado? Então esqueça essa história, pois nesta releitura de Sarah Pinborough ninguém é o que parece. Em um reino próximo, a realeza anuncia um baile que encontrará uma noiva para o príncipe e parece que o desejo de Cinderela irá ganhar aliados peculiares para ser realizado. Contudo, não será fácil: ela não é a aposta de sua família para esse casamento real, e sua fada madrinha precisa de um favorzinho em troca de transformar essa pobre coitada em uma diva real. Enquanto isso, parece que Lilith não está muito contente com os últimos acontecimentos e, ao mesmo tempo em que seu reino parece sucumbir ao frio, ela resolve usar sua magia para satisfazer suas vontades. Feitiço é o segundo volume da trilogia iniciada com Veneno, um best-seller inglês clássico e moderno ao mesmo tempo em que recria as personagens mais famosas dos irmãos Grimm com personalidade forte, uma queda por aventuras e, eventualmente, uma sina por encrencas. Princesas, rainhas, reis, caçadores e criaturas da floresta: não acredite na inocência de nenhum deles!
Palavra da editora: Nada é o que parece no segundo volume da saga encantadas! Em Feitiço, Cinderela, com seu desejo desmensurado de fazer parte da realeza, fará qualquer coisa para obter atenção do príncipe. Mas seria mesmo este um final feliz? – Mariana Rolier

No segundo livro da saga Encantadas de Sarah Pinborough nos deparamos com uma mimada e egoísta Cinderela de cabelos ruivos. Pois é. Ruivos.

Assim como Veneno, Feitiço vai nos contar a mesma história até certo ponto com personagens de caracteristicas diferentes. Mas então, teremos uma reviravolta que pode nos levar ou não ao destino que esperamos. Fiquei feliz com o desenvimento apresentado por Sarah. Não é aquele tipo de livro que faz você suar pincas ou se emocionar para caramba e nem acho que a autora queria que fosse, mas é o tipo de livro que te faz querer chegar lá no final para descobrir que fim vai levar tudo.

Sarah tem um jeito único de escrever. Não sendo um livro de muitos diálogos, a autora deixa um espaço para os sentimentos e pensamentos do personagem narrante. Um livro feito desse modo, soa para mim, muito mais bem construído e interessante. Poucas página em uma gama infinita de elementos.

Cinderela é uma das personagens mais antipáticas e cinicas que já conheci. Mas mesmo assim, sinto uma coisa por ela que não é… como eu posso dizer… ruim. Por mais que ela seja antipática tenho certa afeição pela personagem porque isso a torna próxima do humano. Personagens como Cinderela, por errarem feio ou serem gananciosas de mais simboliza o mesmo tipo de pessoas que você pode encontrar na esquina. O que me faz amar ainda mais esse livro. Essa capacidade de Sarah de tirar o que nós achamos que sabemos sobre um determinado personagem e transformar ele em outra completamente diferente.

Impressionante e bem estruturado, Feitiço de Sarah Pinborough é um livro engenhoso que todo mundo que tenha um pouco de luxuria e sagacidade deve ler.

Título: Feitiço – Encantadas – Livro 2.
Titulo Original: Charm – Enchanteds – Book 2.
Autora: Sarah Pinborough
Editora: Única
Ano: 2013
Tempo de Leitura: 4h
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Veneno – Sarah Pinborough – Saga Encantadas – Livro 01

image

“Sexy, sarcástico e de prender a respiração! Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são para adultos! Não existe “Felizes para sempre”! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que príncipes não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativam por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria “um final feliz” pode se tornar o pior dos pesadelos! Veneno é o primeiro livro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia!”.

Realmente me fez repensar em meus vilões. “Veneno” da saga Encantadas de Sara Pinborough foi uma leitura fantástica. Repleta de reviravoltas e personagens bem diferentes do imaginado.

O livro de Pinborough é no mínino bem escrito. Um livro em que cada palavrinha, cada virgula, cada expressão que se encaixava perfeitamente no proposto pela autora. Não é um livro que tenha muitos diálogos em suas parginas. Ha mais daquele texto cru que procura mostras que as palavras ditas não são necessariamente as pensadas.

Lilith, a rainha má, é de longe a personagem que mais gostei. A descrição dela me lembra muito a da personagem de Charlize Theron em Branca de Neve e o Caçador, mas com toda certeza é só isso.

“Ela era linda. Seus cabelos eram como o gelo nas paredesíngremes dos Montes Ermos. Seus lábios em forma de coração eram como os botões de rosa dos ramos mais altos da roseira, e os olhos eram tão azuis e frios que doía só de olhar para eles.”

Mas o mais impressionante era que a megera não é exatamente uma megera. Mas sim uma jovem mulher infeliz que usa da beleza para conseguir poder e que fica aterrorizada com a ideia de que uma mais bela tenha mais desse poder que ela.

“Em menos de quinze minutos, Lilith, com toda sua grande beleza, tinha sido esquecida, e ela se retirou discretamente e aliviada, forçando-se amanter o passo firme em vez de começar a correr assim que atravessasse as portas”

Já a Branca de Neve não foi e ainda não é uma personagem que eu goste muito embora ela seja melhor do que as outras personagens que figuraram no cinema ou nos livros como ela ou levando seu apelido. Branca, aqui, é uma jovem cheia de vida e selvagem. Mas não é uma personagem no raiar da inocência. Dá para ver malícia em seus gesto. Tanto para o lado malvado da coisa quanto para a sensualidade envolvida na questão.

“Ele ainda não estava pronto para falar sobre ela, seu charme selvagem, sua habilidade sobreum cavalo, o jeito como nadava livre e nua no lago.”

Um livro surpreendente e sagaz, “Veneno” foi tudo aquelo que eu não esperava. Um clássico como Branca de Neve quando transformardo normalmente nos mostra a garotinha ingênua e indefesa que se transforma na heroína que vai ser a salvadora de geral. Mas quando Sarah escreveu esse livro provavelmente ela tinha em mente esse pressuposto. E então retirou de mim tudo que eu achava que sabia que acontecer e me deu um grande tapa na cara dizendo “OTÁRIA.”

Um livro inesquecivel que com toda certeza me deixou com um sabor irresistível de quero mais.

Título: Veneno – Encantadas – Livro Um.
Título Original: Pouison – Enchanteds – Book One.
Autora: Sarah Pinborough.
Ano: 2013
Editora: Única.
Tipo: Ficção.
Tempo de Leitura: 3h30 aproximadamente.
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟

Dezesseis Luas – Margareth Stoll e Kamy Garcia – Livro Um

“Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece… Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona.”

image

Bem diferente do que eu havia imaginado, Dezesseis Luas me fez voltar a me apaixonar por livros de adolescente e misticidade. Estava tão acostumada ao clichê que ler o livro foi bem emocionante, divertido e sagaz. A cada página ficava mais presa a história e definitivamente não existe arrependimento de ter lido tal livro.

Ethan Wate é um personagem que me apaixonei. Ele é leve e sabe o que esta fazendo e o que quer. Tem um tom bem humorado e suas reflexões são bonitas e adequadas para o momento. Já Lena Duchannes não fez meu estilo. Na verdade ela passou bem longe disso. Dramática e impulsiva de mais para meu gosto, Lena se torna chata e cansativa. Puxa! Eu sei que você tem problemas e tal, mas desnecessário fazer o pobre Ethan ficar amargurado por isso também.

Além deles dois, outros personagens secundários me chamaram muita atenção pela verossimidade de suas características com o que é real:

🔹Link, o melhor amigo de Ethan, super engraçado capaz de tirar a tensão nas horas mais improváveis;

🔹Amma, que é praticamente sua mãe postica e que lembra muito minha própria mãe;

🔹Macon, tio de Lena, sereno e perspicarz. Impossível de se esquecer.

E por aí vai. Dezenas de personagens (incluindo a Mansão Ravenwood) que torna Dezesseis Luas um livro completo e maravilhoso der lido.

Serie: Beatiful Creatures – 01.
Título: Dezesseis Luas.
Autor: Margareth Stohl e Kami. Garcia
Ano: 2010.
Editora: Galera Record.
Páginas: 488
Avaliação: 🌟🌟🌟🌟

Insônia – Mari Scotti

Suzanna foi a única sobrevivente do acidente que matou seus pais, salva por alguém que ninguém acredita existir. Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer envolvendo este homem misterioso. Dois rapazes surgem em sua vida, que parecem saber muito mais sobre ela do que revelam.
O que ela desconhece é que uma simples escolha poderá alterar o destino de sua alma.

image

Impressionante. Quando ouvi falar a primeira vez da série Nefilins de Mari Scotti não tinha prestado muita atenção por causa da coisa do sobrenatural.  Até que li uma resenha fantástica a Keth e pensei que precisava muito ler um livro. Naquele velha sensação: pra ontem!! Então cerca de dois meses dois meses depois, cá estou boquiaberta com com a história de Mari. Porque não foi nada do que eu esperava e não tem coisa melhor que te surpreenderem assim.

O livro, em primeiro lugar, não é arrastado pessoas. Sabe aquele livro que você tem a velha sensação de que não vai acabar mais? Pois isso não ocorre aqui. O livro flui. Porque mesmo que contado em primeira pessoa (não tenho preferência por essa linguagem), ele não sai cheio de “meio-mundo” de pensamentos desnecessários que transformam o livro em um mar de exaustão. Pelo contrário, ele ganha ritmo seguindo um compasso próprio.
Seus personagens são únicos. Suzanna não é o tipo de personagem que eu caio de amores. Não que ela seja chata ou impertinente de mais. Apenas personagens bobinhas como ela não ganham minha simpatia, embora a mesma evolua durante a história. Já os rapazes, Pietro e Arthur  são como chocolate e coxinha. Amamos os dois de maneiras diferentes mesmo que não se misturem. Embora eu não tenha tido dificuldades na descoberta quem era o mais malvado a principio(quando você lê muito suspense acaba criando um talento para esse lado detetive), a pergunta do “porquê?” ainda ficou presente até o final do livro. E mesmo assim, ainda tenho uma dúvida brincando na minha cabeça se um ou outro são realmente o que parecem ser.

E mais ainda, um fato que percebi era que os três juntos não eram só um triângulo amoroso complicado. Havia um desejo ali, não relacionados a ela, mas relacionados a eles, os rapazes.

É um livro que realmente vale muito a pena. Pela diferença da história.  Não o tema de anjos que temos muitos por aí . Mas o modo como ela foi contada e transformada para ser magnífica e estonteante aos olhos famintos do leitor.

A Desconstrução de Mara Dyer – Michelle Hodkin

Hoje vou começar as resenhas sobre a trilogia Mara Dyer. As próximas vão vir nos próximos dias conforme eu for acabando as leituras.Se você gosta deixe seu comentário e curta a resenha. Não se esqueça de seguir o blog para ter as notificações de novas resenhas. Então vamos lá…

Um grupo de amigos… Uma tábua ouija… Um presságio de morte. Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue. Parecia uma simples piada de mau gosto… até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? A resposta parece estar perdida na mente pertubada de Mara. Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz. Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. Ainda mais com as alucinações – ou seriam premonições? – Os corpos e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la…

image

No primeiro livro da trilogia Mara Dyer, a loucura parece ser a única explicação para os surtos da personagem. Diferente de tudo que vamos lendo ultimantemente – distopia e escolas “para jovens especiais” – Michelle Hodkin nos trás um mundo onde a mente é a maior das protagonistas.
Quando eu comecei a ler o livro, poucas explicações vieram em minha cabeça. Afinal, Mara tem alucinações o tempo todo e sonhos que não revelam aos poucos o que há de errado com a garota.
Mara se sente sozinha e com medo, não só da loucura, mas também da atração inevitável que sente pelo enigmático Noha.

Mara é uma personagem atípica e com quê de humanidade. Aquele tipo de personagem verossímil. Não perfeito, pelo contrário, uma personagem que mente e engana para conseguir o que quer e fugir quando a situação fica complicada de mais para si. Mara também é reclusa a si mesma. Não tem tendência a conversa de seus problemas com os outros – mesmo com uma mãe terapeuta – o que dá, pra entender já que a garota pode ser internada em uma clínica psiquiatra por fantasiar com seus amigos mortos e com atos que tecnicamente não haveria como ter culpa.

Noha também é um personagem verossímil. Ele, assim como Mara mente. Mas também sente raiva pelo abono familiar de seu pai e dor pela morte de sua mãe. Noha é misterioso. Seus pensamentos são confusos e antagônicos. As vezes tenho dúvida de quem ele é de verdade. Se ele realmente quer ajudá-la ou se esta atrás de alguma coisa relacionada a ela.

De todo modo, não tenho algo a dizer contra o livro. Ele é bem escrito e estou criando uma grande espectativa para o próximo livro da trilogia.