( Algo À Ver ) Inacreditável – Susannah Grant

Recentemente, comecei uma temporada de assistir séries. Apesar de não ser fã do estilo, percebi que — após ter esgotado as possibilidades de filmes que me interessam — as séries curtas são uma boa alternativa de entretenimento. Assim sendo, tenho me dedicando a assistir minisséries ou séries de no máximo 04 temporadas.

Foi através dessa ideia que comecei a assistir várias pequenas produções. Uma delas foi a minissérie Inacreditável lançada no segundo semestre pela Netflix.

Aviso de gatilho: este artigo fala sobre estupro e agressões sexuais.
images (4)2041067865..jpgTítulo: Inacreditável | Distribuição: Netflix | Elenco: Merriti Wever, Toni Collete, Kaitlyn Dever| Ano: 2019 | Avaliação: ⭐⭐⭐⭐

Baseada em eventos reais, Inacreditável busca demonstrar o descaso das autoridades ao tratar vitimas de estupros. Em primeiro plano, a série apresenta a jovem Marie Adler (Kaitlyn Adler) que é violentada em sua casa. Ao chamar a polícia, Marie precisa recontar sua história várias vezes a medida que a investigação caminha. A medida que o tempo passa, Marie abalada com a situação, confunde-se com alguns detalhes. Os depoimentos a demonstram como narcisista e logo Marie passa a ser tratada como uma vitima. Os investigadores a pressionam para mudar sua história e “admitir” que o estupro não passou de uma invenção de sua mente. Com medo, a jovem aceita e vê sua vida desmoronar. A família acusa, os pais se afastam e ela até mesmo perde o emprego. Três anos mais tarde, as investigadoras Karin Duvall (Merriti Wever) e Grace Rasmussen (Toni Collette) ao se depararem com dois casos parecidos, percebem que se trata de um estuprador em série e passam a correr contra o tempo antes que ele ataque novamente.

11559798-16x9-xlarge
Kaitlyn Dever como Marie Adler Foto: Reprodução Netflix

Inacreditável lidar com muito mais que uma investigação criminal. Muito embora a maioria das séries do gênero foquem no culpado e na apuração policial, a minissérie de Susannah Grant foca nas vitimas e na sua dor. Não cria versões chamativas, de mulheres nuas dominadas, mas os reflexos que esse tipo de violência causa na mente perturbada das vitimas.

Torna-se doloroso ouvir cada uma delas dizer o quão suas vidas foram mudadas ou perceber que nós, mulheres, não estamos seguras em mundo dominado por homens. Por mais que queiramos pensar em todas as coisas boas, em todos os as vantagens de se viver, sempre estamos aprisionadas em nossas mentes que foram levadas a supervisão constante que estamos fazendo.

20190911200110726324i
Merrit Dever como Karin Duvall e Toni Collette como Grace Rasmussen. Foto: Reprodução Netflix.

Com personagens bem amarradas, eu diria que a unica falha da série é a ficionalização extrema de seus personagens, chegando até mesmo a usar esteriótipos para fundamentar, principalmente as detetives do caso. Grace e Karin fazem o estilo policial bom versus policial mal que se rodeiam de clichês.

Entretanto, a série ainda sim tem seus méritos por construir personagens femininas fortes. Com uma pegada feminista, a série dá espaço a visão das mulheres sobre casos de violência e machismo. Fato constatado ao percebermos que o abusador nunca terá fala, nunca terá foco. Não existe seu lado da história e sim a visão que as vitimas tem dele.

Inacreditável é dura de se ver, mas necessária. Busca dar enfoque a vitima e suplica a sociedade que parem de questionar as vitimas ou mesmo culpá-las. Propaga um sentimento de revolta para o machismo dentro da polícia, mas principalmente a sororidade para que nós, mulheres, permanecermos unidas. 

13 comentários sobre “( Algo À Ver ) Inacreditável – Susannah Grant

  1. AMEI a dica, sempre me surpreendo com o conteúdo da Netflix e esse com certeza é mais um caso deles, uma série forte, com muitas mensagens importantes e atuais,com certeza irei assistir!

    Curtir

  2. Oie, também estou nessa vibe de séries mais curtas e de filmes. Não conhecia essa série, fiquei imensamente curiosa para conferir, achei muito interessante o foco nas vítimas e em como isso as marcou. Obrigada pela dica. Beijos.

    Curtir

  3. Eu adoro série e tenho percebido que tem aumentado as minisséries e eu estou gostando desse estilo mais curto.
    Outro dia passando pela Netflix e eu vi essa e anotei mentalmente entre as próximas para assistir. Gostei muito de saber um pouquinho, ainda mais por se tratar de fatos reais e de ter o foco nas vítimas. Creio que vou chocar com muitas coisas.
    Outra coisa que amei foi a Toni Collette no elenco.

    bjs

    Curtir

  4. Olá, Jessica.
    Eu não conhecia essa série ainda, mas fiquei muito interessada. É triste ver que depois de sofrer nas mãos do agressor a vítima ainda tem que passar por tudo isso nas mãos da policia, que deveria ser o porto seguro das vítimas. E é algo que vai marcar para sempre a vida dessas mulheres. Assim que der vou assistir.

    Prefácio

    Curtir

  5. A última série que vi me decepcionou tanto que acabei dando a maior desanimada do mundo. Já não sou muito fã do estilo, preferindo livros e filmes e admito que a assisti sabendo que não gostaria mas mesmo assim insisti e me arrependo. Foi aquela do Netflix chamada Insatiable. Tudo errado ali rs
    Gosto muito da Toni Collete e cheguei a ver sobre a série por conta dela mas não cheguei a assistir a mesma. Bom saber que foca um pouco mais as vítimas e não na investigação em si. Ela chega a ser um gatilho?

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Larissa.
      Também prefiro filmes,mas ultimamente até que tenho vontade de ver.
      Não diria que a série seja gatilho porque ela não é sensacionalista. Não tem imagens das mulheres sendo violentadas ou algo no estilo, mas pelo tema, para quem tem uma sensibilidade grande ao assunto não recomento mesmo assim
      Beijos.

      Curtir

  6. Oi, Jessica como vai? Eu assisti a essa série e minha visão é praticamente a mesma que você tem em relação ao seriado. Eu o achei muito bom, muito embora, às vezes possa ser demasiadamente “pesado” para algumas pessoas. De qualquer forma é preciso mostrar o lado ruim de parte do ser humano, infelizmente. Sua indicação é bastante interessante, principalmente para aquelas pessoas que gostam do tema. Um abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    Curtido por 1 pessoa

  7. Oi Jessica,
    Depois de ter assistido Booksmart e ter simpatizado bastante com a Kaitlyn, fiquei ainda mais ansiosa pra acompanhar essa série e todas os caminhos que desenrola na investigação. Achei muito bacana a forma como aponta as falhas. Séries assim são muito necessárias, mesmo que seja difícil de assistir.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    Curtir

Deixe um comentário. Ele será sempre bem vindo e respondido. Caso tenha um blog, deixe o link que assim que der eu irei visitar ;-)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.