( Resenha ) Os Sete Selos – Christian Chostak

Quando surgiu a oportunidade de ler Os Sete Selos, fiquei surpresa com as promessas de singularidade. Por ser um tipo de obra que leio bastante, a fantasia em si não costuma me surpreender. E muito embora o enredo central do livro não tenha feito isso, não posso negar que a narrativa diferenciada de Christian Chostak.

Os Sete SelosTítulo: Os Sete Selos | Autor: Christian Chostak | Ano: 2019 | Páginas: 152 | Avaliação: ⭐ ⭐ ⭐  | Encontre: Amazon
Sinopse: Você pode percorrer toda sua vida e nunca sequer encontrar a real razão para sua existência. Pode ainda ser cético o suficiente para dizer que não existe qualquer tipo de evidência que denote que temos um motivo. Mas ainda sim, há coisas na vida que nos despertam, como um chamado. Uma luz no meio da escuridão que permanece acesa por tempo o suficiente para que você perceba que ali é o caminho; você já teve esta sensação, ao se deparar com uma escolha, geralmente um dos caminhos é mais tentador que o outro, e existem vários motivos para que isso aconteça, talvez seja impulso, desejo ou mesmo propósito. Há quem afirme que todos têm um propósito. Claro ou não, visível ou totalmente imperceptível, existem escolhas que fazemos em nossa vida. Em ‘Os Sete Selos’ há um mundo parecido com o nosso, porém diferente. Com pessoas semelhantes mas distintas. Uma história fantástica singular. De um lado, Crono, do outro Ryu, e com eles, várias escolhas, porém apenas um propósito.

Apesar do pouco número de páginas e da narrativa simplificada, o autor consegue destrincha o enredo de maneira bem satisfatória. Digo satisfatória, porque não posso negar que algumas vezes me senti bastante frustada pelos diálogos infantis entre os personagens que deveriam ter uma mentalidade mais adulta. Contudo, entendo que esse é – normalmente – um problema para autores em seus livros iniciais, por não conseguirem trazer naturalidade as conversações e muito embora os entremeios narrativos sejam excelentes, a parte de interação entre os protagonistas e secundários acaba dando uma sensação ruim.

Curiosamente, e apesar disto, gostei bastante da construção dos personagens, principalmente CronoRyu, muito embora dividam o arco narrativo com secundários durante grande parte da trama. Mas falando especificamente dos dois irmãos, é sempre interessante pensarmos no que torna vilões e mocinhos como tal; são as escolhas, e é isto que Chostak reproduz sobre eles – as escolhas que os levam para caminhos opostos até colocar-los um contra o outro. 

Entretanto, muito embora eu tenha gostado bastante dos personagens e tenha – normalmente  – mais apego a eles, meu ponto favorito neste livro foi a escrita do autor. Apesar de ter achado os diálogos infantis, os entremeios, ou seja os parágrafos, foram  tornaram narrativa diferenciada que retoma aspectos de livros da década passada. Digo isto, porque antigamente era comum que os autores se colocassem como personagens da história que lembravam das coisas, mas apenas se limitavam a contá-la, como por exemplo Desventuras em Série. E achei incrível encontrar esse estilo em Os Sete Selos. Tornou a leitura nostálgica, apesar de nova.

Os Sete Selos é um livro bem interessante com uma perspectiva nova, mesmo que dentro de alguns padrões do gênero. Entretanto, pelos personagens e por toda construção narrativa vale super a pena. Super indico a leitura, princialmente aos iniciantes de fantasia.

30 comentários sobre “( Resenha ) Os Sete Selos – Christian Chostak

  1. Apesar do já mencionado problema com os diálogos, parece ser um livro muito bom! E como uma aspirante a escritora acho que entendo a dificuldade do autor em torná-los naturais, é algo que virá com a prática! Não perdi o interesse na leitura por causa disso.

    Abraços!

    Curtir

  2. Olá! Chegando agora por aqui e já curtindo seu blog!
    Achei bem curiosa a sinopse do livro, mas depois fiquei um pouquinho receosa quando li sua resenha, por conta dos diálogos que você mencionou. Mas acho que vou dar uma chance para o livro. A curiosidade ainda está bem forte!

    Espero voltar mais vezes aqui!
    um abraço!

    Pensamentos Valem Ouro

    Curtir

  3. Oi, Jess!
    Eu não consigo ler qualquer livro da fantasia. Não sei o motivo, mas preciso ficar MUITO interessada antes e é o único gênero que eu procuro saber mais da premissa antes de iniciar a leitura. Esse não me chamou muito a atenção, mas gostei de saber que no final ele foi satisfatório para você.
    Ah, e a capa é linda!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    Curtir

  4. Oi Jéssica!

    Já li uma resenha desse livro e achei a premissa bem interessante. Confesso que quando estou passando por ressaca literária, adoro livros mais curtinhos assim.Faz tempo que não leio uma boa fantasia. Então acredito que ele seja uma boa opção.

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    Curtir

  5. Gosto muito desse estilo de leitura. Não sempre, mas as vezes é bom ler um livro com esses diálogos mais infantis. Ao menos para mim, depende muito da “vibe” que estou no momento, principalmente quando quero ler algo mais leve. Até porque se a trama for bem desenvolvida, isso não atrapalha muito rs Por conta disso, fiquei curiosa em saber como isso foi bem trabalhado em tão poucas páginas.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    Curtir

Deixe um comentário. Ele será sempre bem vindo e respondido. Caso tenha um blog, deixe o link que assim que der eu irei visitar ;-)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.