( Resenha ) Perigo Para Um Inglês – Sarah MacLean – Livro Três

Desde que li o primeiro capítulo de Cilada Para Um Marquês estava ansiosa para ler a história de Seraphina Tabolt, duquesa de Haven. A mais misteriosa das Irmãs Perigosas sempre me cativou e ao conhecer seu íntimo, posso dizer que me Sera deve se tornar uma das minhas mocinhas de época favoritas.

Título: Perigo Para Um Inglês | Título Original: The Day of the Duchess| Autora: Sarah MacLean | Editora: Guttemberg | Páginas:  304 | Ano: 2018 | Avaliação: ⭐ ⭐ ⭐ ⭐ ⭐ | Encontre: Skoob | Saraiva | Amazon

51zmfv4nkhlSinopse: Malcolm Bevingstoke, o Duque de Haven, viveu os últimos três anos na solidão auto-imposta, pagando o preço por um erro, e perdendo, para sempre, um amor. Mas Haven precisa de um herdeiro, o que significa que ele deve encontrar uma esposa até o final do verão. Há apenas um problema – ele já tem uma… Depois de anos no exílio, Seraphina, a Duquesa de Haven, retorna a Londres com um único objetivo – encontrar a felicidade, livrando-se do homem que partiu seu coração. Mas o marido lhe oferece um acordo: ela poderá ter sua liberdade, assim que encontrar uma substituta. Isso significa que terá que passar o verão com o marido que ela não quer, mas que, de alguma forma, não consegue resistir. O Duque tem apenas um verão para estar com a esposa e convencê-la de que, apesar do passado, ele poderá tornar o felizes para sempre, uma realidade todos os dias…

“Sera tinha vindo para conseguir seu divórcio, e iria consegui-lo. Ela iria apagar seu passado. E escrever seu futuro. Uma vida que Malcolm não poderia lhe dar. Uma vida que ela tinha que criar para si mesma.”

Este é o melhor livro da série sem dúvidas e um dos mais vistosos de Sarah MacLean. A história elaborada é complexa e vai muito além do esperado não somente por sua premissa, como também para o gênero. Aliás, se posso afirmar uma qualidade que distingue MacLean das demais, será o dinamismo de suas obras que sempre demonstram a mulher como dona do própria destino desde os primórdios ou sua caminhada para tal. Seus livros são claramente feministas, que sempre trazem para o leitor o amor e o desejo como segundo plano. Nunca estamos falando apenas de um casal, mas da individualidade e a necessidade de estar bem consigo mesmo para funcionar ao lado de outra pessoa.

Em Perigo Para Um Inglês, Sarah MacLean só comprova isso. Seu casal principal não tem a necessidade de apaixonar e autora não faz muito esforço para mostrar como isto aconteceu. Seraphina e Malcom são apaixonados, e sua jornada buscará evidenciar a necessidade que ambos tem de perdoar a si mesmos e um ao outro. A palavra que define esse livro é superar: as perdas, as mágoas, as artimanhas, os erros.

“E se eles tivessem uma chance agora? Mas eles não tinham. Não era possível superar o passado. Superar o modo como eles usaram suas armas um contra o outro. E não havia modo de apagar a mais básica das verdades – a vida que eles nunca poderiam ter porque sua única chance tinha desaparecido na neve fria de janeiro, três anos antes.”

Malcom é aquele tipo detestavelmente metido. Imaginem vocês que MacLean abriu mão do mocinho perfeito, criando um verdadeiro membro da aristocracia londrina. Malcom é metido, antipático, se acha o dono do mundo tendo plena consciência do poder ducal. E talvez eu realmente devesse detestá-lo, mas não consigo. A questão é que Malcom representa a aristocracia de uma maneira realista. E se estamos acostumados à personagens notoriamente perfeitos, mas irreais a um contexto, a chegada de Malcom é impactante, porém que provoca uma reação questionadora.

Além desse fator, é certo dizer que se Malcom não fosse assim, suas motivações seriam inconsistentes para a trama. Criado para ser um duque, o homem sempre havia imaginado que as mulheres só o quereriam por causa do título, até conhecer Seraphina e acreditar que ela o via contrário. Mas quando percebe sua traição, Malcom assume uma posição defensiva de alguém que foi traído afastando-a de modo cruel, mas inegavelmente com razão.

A partir desse momento, quando Seraphina vai embora, Malcom percebe que pode ter cometido um erro, repensa nos significados das ações e na falta que sua mulher faz. Um sofrimento que perdura, até que Seraphina volta, e ele passa a fazer de tudo para conquistá-la. No obstante, Sera já não deseja sofrer mais.

“Nós sempre gostamos demais um do outro por instantes, Malcolm. Instantes que nunca foram suficientes para compensar o quanto nós nos magoamos.”

No outro lado da moeda, Seraphina também possuí uma personalidade difícil como resultado de suas origens. Entretanto, se Malcom foi criado para ser um rei, Sera não teve uma vida de luxos e apenas ascendeu a sociedade. As Irmãs Perigosas são assim conhecidas por “fazerem” de tudo para conquistar um bom partido. Frutos da plebe, assumem um lugar de destaque quando seu pai compra o título. Tudo isso explicado no Cilada Para Um Marquês.

O que leva Sera a cometer um grande erro do passado é justamente suas origens e as de seu título, pois não acreditava que Malcom realmente se casaria com ela um dia. Mas se Seraphina tinha medo no passado e só desejava ser feliz ao lado do homem que amava, agora ela precisa se livrar das amarras e conquistar algo que acredita que nunca conseguiria com o casamento: sua liberdade.

Seraphina literalmente cresce de uma menina inocente que acreditava em contos de fada, para uma mulher dona de tudo e todos. Não existe mais artimanhas e segredos. Existe a verdade dura do seu sofrimento e de suas perdas.

“– Você me mandou embora! – ela disse, incapaz de não elevar a voz. – Você ficou de pé na casa que poderíamos ter construído um lar, logo depois do nosso café da manhã de núpcias, e me disse para ir embora. – Quando ele abriu a boca para responder, ela percebeu que ainda não tinha terminado. – E você qual a ironia disso? O mundo todo pensa que você me arruinou antes de casar comigo, quando a verdade é que eu só fui arruinada depois. Você arruinou meus sonhos.”

Além disso, existe duas outras coisas que me fizeram dar uma bela suspirada por esse livro. As Irmãs Perigosas, todas reunidas com um objetivo em comum de fazer Malcom sofrer, o que foi bem divertido. E a mitologia que envolve toda a obra. Se você já leu Sarah MacLean deve perceber que sempre é contado a história de alguma entidade grega. Somente nessa obra, percebi como os romances de MacLean são na verdade releituras dessas histórias.

“Órion não temia a cegueira. Só temia nunca encontrá-la. Nunca ter a chance de convencê-la de que eram um para o outro. De que mortal ou não, ele podia lhe dar tudo. O Sol, a Lua, as estrelas.
— Só que ele não podia — ela sussurrou.

Malcolm hesitou ao ouvi-la, e Sera percebeu que a mão dele se crispava no cabo da tocha, que a luz tremulou nesse momento, no corredor sombrio, como se as palavras pudessem manipulá-la.
— As irmãs de Merópe procuraram Artemis, deusa dos caçadores, pensando que se ela mandasse Órion interromper sua busca, ele a escutaria. Elas juraram devoção à deusa, que foi falar com Órion.

Apesar de algumas passagens um tantinho arrastadas, Perigo Para Um Inglês tornou-se uma de minhas obras favoritas. Um romance de belas proporções que resinifica a liberdade e mostra o caminho árduo para o perdão.

26 comentários sobre “( Resenha ) Perigo Para Um Inglês – Sarah MacLean – Livro Três

  1. Amei esse livro! E a sua resenha também.
    Esse foi o primeiro livro que li esse ano, porque queria começar o ano bem e a Sarah Maclean quase nunca decepciona, né? E não deu outra, eu gostei, rs. Eu comecei o livro já com raiva do Malcolm, por causa do primeiro livro, e gostei dele sofrer, rs. Mas achei que a Sarah desenvolveu bem a história do desenvolvimento dele e da Sera, que por sinal, que mocinha!

    P. S. Eu queria que tivesse um livro para cada Irmã Perigosa, só para ver o que cada uma aprontaria mesmo, rs.

    Parabéns pela resenha!
    Bjo
    ~ Danii

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oiie,
    Não conheço os livros da Sarah MacLean e já comecei lendo a resenha de um dos livros da trilogia pelo terceiro volume, hahaha. Pelo que entendi, o Malcom já magoou as três irmãs? :O Não costumo ler Romances de Épocas, mas esse ano consegui ler “O Bosque de Faias” e foi uma experiência muito bacana. ^^

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Jessie Faustino Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.