( Resenha ) Quando A Noite Cai · Carina Rissi

Minhas sonhadoras Corujinhas, fechem seus olhos e deitem em suas camas pois hoje vamos navegar através de sonhos e descobrir uma história de amor mais forte que a morte.

image

Título: Quando A Noite Cai
Autora: Carina Rissi
Editoras: Verus
Páginas:
Ano: 2017
Avaliação: ⭐⭐⭐
Encontre: Skoob | Amazon | Saraiva

 

Sinopse: Briana Pinheiro sabe que não é a pessoa mais sortuda do mundo. Sempre que ela está por perto algo vai mal, especialmente no trabalho. Por isso é tão difícil manter um emprego. E a garota realmente precisa de grana, já que a pensão da família não anda nada bem. Mas esse não é o único motivo pelo qual Briana anda perdendo o sono. Quando a noite cai e o sono vem, ela é transportada para terras distantes: um mundo com espadas, castelos e um guerreiro irlandês que teima em lhe roubar os sonhos… e o coração. Depois de ser demitida — pela terceira vez no mês! —, Briana reúne coragem e esperanças e sai em busca de um novo trabalho. É quando Gael O’Connor cruza seu caminho. O irlandês de olhar misterioso e poucas palavras lhe oferece uma vaga em uma de suas empresas. Só tem um probleminha: seu novo chefe é exatamente igual ao guerreiro dos seus sonhos. Enquanto tenta manter a má sorte longe do escritório, Briana acaba por misturar realidade e fantasia e se apaixona pelo belo, irresistível e enigmático Gael. Em uma viagem à Irlanda, a paixão explode e, com ela, o mundo de Briana, pois a garota vai descobrir que seu conto de fadas está em risco — e que talvez nem mesmo o amor verdadeiro seja capaz de triunfar…

Não era qualquer olhar, mas aquele que devassa a alma, que não é capaz de fugir nem de esconder nada, pois a intensidade destróitodas as barreiras.

 

Carina Rissi é uma das minhas autoras nacionais favoritas e seus chick-lits sempre me fazem chorar de rir. Quando A Noite Cai é o sétimo livro que leio da autora. Normalmente não costumo comparar obras com semelhantes, mas quando se trata de autores, não consigo evitar comparar a construção de um livro para outro. Por esse motivo acredito que não caí de amores por este livro. Depois de tantas obras lidas da autora e sabendo da sua capacidade de surpreender, eu realmente esperei muitos mais elaboração em certos aspectos e me decepcionei com este livro.

Dona de uma escrita fluída e divertida, Rissi continua me fazendo rir bastante, o que é incomum já que poucos autores conseguem esse efeito. Dosado de maneira correta, existe leveza e dureza nas horas que ambas as coisas precisam acontecer. Por isso, a narrativa do livro  se torna bem construída por dar ao leitor ao leitor aquilo que ele precisa sem nocauteá-lo com elementos desnecessários. Nesse ritmo, ela vai nos apresentando seus personagens que vêm de modo cativante. Em meio a contextos, que variam as situações mais cômicas aos escuros segredos dos personagens, o livro se desenolve de modo rico e criativo não somente pelo humor, mas também por toda mitologia envolvida.

Essa é a diferença entre fantasia e realidade: a vida te frustra a todo instante enquanto a fantasia te entorpece com suaves doses de falsas esperanças.

Contudo, estamos falando de um romance, certo? E por esse motivo acabei não gostando tanto do livro. Apesar de ter amado conhecer Briana e Gael separadamente, juntos não tive o mesmo efeito. Não consegui shippar o casal de modo que não me perdi nas linhas e muito menos soltei coraçãozinhos pelos olhos. Por se tratar quase que um amor à primeira vista, acabei não tendo a emoção de me apaixonar por eles ao mesmo tempo que ambos o faziam. Foi como observar de longe o amor de dois passarinhos: é muito fofo, mas apenas isso. O romance foi a parte mais fraca do enredo, onde senti o muito do mesmo e bem pouca originalidade.

O que mais me agradou no livro, foram os sonhos de Briana e toda mitologia envolta deles. Esta em especial foi muito bem aprofundada onde fiquei de queixo caído com algumas histórias e louca para conhecer a Irlanda (mais um país para lista ☺). E quanto aos sonhos, foram muito bem criados, e para uma história contada em tão poucos capítulos — são oito ou nove que cumprem esse papel —, foram suficientes para não apenas dar mais amparo a história principal como também atiçar ainda mais a curiosidade do leitor.

Quando A Noite Cai foi uma leitura gostosa mesmo se tratando de um clichê. É um livro para quem gosta de romance e drama, mas principalmente de alegrias e boas risadas. É um livro de ficção para todas as idades e claro, para todos aqueles que amam um bom conto de fadas.

Porque eu queria marcar alguém dessa forma. Continuar existindo mesmo depois do fim. E me peguei pensando que os alquimistas não tinham entendido. Não existia um elixir da vida que trouxesse a imortalidade. É o amor que torna alguém imortal.