| ANATOMIA LITERÁRIA | Capa e curiosidades sobre A Vila dos Pecados.

Oii gente. Tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais um Anatomia Literária e se você quiser ver os posts anteriores basta clicar na aba de mesmo nome procurando aqui ao lado na categoria “Bloguices”. Como é mês de Halloween e estou nessas postagens mais trevosas, nada mais justo que fazer um post relacionado a autora brasileira, Soraya Abuchaim, mais conhecida como Dark Queen que têm ganhado leitores com suas histórias sombrias e de muito mistério. Como também sou apaixonada pelas capas de suas obras, o Anatomia Literária de hoje será sobre A Vila dos Pecados, lançamento 2017 da editora coerência.

Vamos começar??

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
A CAPA
•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
image

A capa de A Vila dos Pecados é uma das mais bonitas que tenho na estante. Além de bela por ser bem feita e planejada, a capa possui elementos simbólicos que trazem a tona alguns artifícios do livro em um primeiro momento. Como não falei com o capista, não tenho certeza se entendi os elementos da forma que deveria, mas como uma boa leitora ao a namorar a capa fiquei imaginando respostas sobre tudo que estava ali presente.

O livro possuí uma cor esverdeada mais morta que traz uma sensação de mistério maior à quem à vê. Além disso, o verde escolhido foi uma cor fria e juntamente com as folhagens representam uma floresta que envolve a vila dando a perspectiva de isolamento tão característica de Ponta Poente. O caminho que leva a vila, por sua vez, não é definido por uma estrada remontando a sensação de que é proibido. O caminho esta manchado de sangue que cresce gradualmente a medida que vai se aproximando do leitor, dando a impressão de que cada vez que você se aproxima de Ponta Poente à descobre e seus pecados se tornam mais evidentes. E por fim, mas não menos importante, a vila no centro é pequena, mas de certa forma inexpugnável. Tanto pela aparência de uma cidade rústica de pedras (que eu diria também ser uma alusão ao século XX que se passa a história) como também a forma comm que as casas estão posicionadas bem coladas dando uma aparência de muralha e reforçando assim, a ideia dos segredos e das alianças contra o padre Alfonso (e ao leitor) que existem dentro da vila.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••
CURIOSIDADES.
•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

🔸 A ideia inteira do livro surgiu porque Soraya Abuchaim queria escrever sobre uma vila, ambiente ao qual ela gosta bastante.

🔸 O processo de criação do livro começou com a ideia geral da obra e então partindo para uma esquematização dos capítulos. Mas a autora mudou no meio do caminho de ideia e brinca afirmando que ao finaliza-lo ele jánão tinha mais nada haver com a proposta original.

🔸 A autora colocou no livro alguns elementos relacionados ao clima pois acredita que ele compõe bem a história. Em A Vila dos Pecados sempre que o clima fica mais tenso, mais pesado o clima fica.

🔸 Os elementos importantes na trama são os segredos. Abuchaim disse que gosta de aprofundar sobre o que as pessoas escondem pois isso mexe com ela já que acredita que os seres humanos não são tudo que contam.

🔸 Nesse sentido, Soraya também acredita que o ponto central de seu livro não é o assassino mas sim os fatos que os levaram até ali e suas motivações.

🔸 Soraya Abuchaim disse em uma entrevista (a este blog hehe), que o pecado é relativo. O que pode ser pecado para um, não necessariamente será para outro. De certa forma, cada um sabe o que é ou não proibido.

•••°•°°••°°°••°°••°•••°°°•••°•°°••°°°••°°••°•••

Bem gente, esse foi o Anatomia Literária de hoje e eu espero que tenham gostado. Em breve sairão novos posts especialmente para vocês. Beijos.