| LIVROSOFIA | Componentes Literários.

Oii amores, tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais um livrosofia. Espero que vocês estejam gostando dos temas das postagens. Hoje, vou livrosofar sobre os componentes da narrativa tão importantes na construção do universo dos livros. Esse post será de longe o mais pessoal da categoria porque tenho certeza que esses integrantes se comportam de maneiras diferentes para os leitores.

Quando comecei a ler, eu tinha quatro anos (viva minha mãe!), mas só me tornei uma uma leitora voraz muito depois quando ganhei meu primeiro smartphone aos dezesseis. Foi quando descobri os livros online e posteriormente os digitais. Naquela época, os livros me ganhavam com facilidade pois eram mundos extremamente novos. Mas a medida que os anos foram passando, eu lia cada vez mais de modo que fui mudando meus conceitos e adquiria maior criticidade com o que estava lendo. Não era mais toda obra que me chamava atenção nem toda que me surpreendia. Resgatando o que falei no mês passado, cresci literariamente e os componentes foram ganhando outra proporção ao passo que criei novos parâmetros sobre o que considerava importante em um livro. Meus componentes literários amadureceram junto comigo.

O primeiro ponto que me faz gostar ou não de um livro é a sua narrativa de um modo geral. Esta tem que conquistar provocando minha vontade de continuar lendo. Hoje em dia não tenho mais problemas em abandonar obras pois como sabem a vida é muito curta para ler livros ruins. Já abandonei um par de livros que pareciam ter uma boa história, mas não fluentes por terem uma narrativa fraca ou repetitiva. Não que eu espere que toda leitura seja fácil, mas se não existe ali um real sentimento de ler não o farei. Sempre procuro ir até o fim de leitoras que me estimulem, afinal de contas se eu não amar o que estiver lendo, não faz o menor sentido continuar. Dentro da narrativa, a maneira com o qual o autor irá conduzir a história em termos de escrita também me influência à continuar lendo o livro. Em uma questão de detalhismo, sou do tipo de leitora que gosta de uma execução mais minimalista ou no quesito ambiente, ou no quesito emoção: quando encontro livros que trazem um trabalho maior detalhes é como se eu fizesse parte da história já que consigo me ver dentro dela.

Se o primeiro ponto é a narrativa, o segundo será com certeza a construção dos personagens. Existem variados tipos de pessoas no mundo, mas a perfeita não é uma delas. Se tem uma coisa que me deixa bastante irritada com um livro é a construção de personagens perfeitos. Em uma consideração de obras que li e percebi essa perfeição, posso dizer que em suma maioria acabei não gostando dos livros. A perfeição tira o credível de qualquer obra, o que — mesmo em ficções — é um ponto chave para uma boa leitura. Se não mergulhamos e não acreditamos no que estamos lendo, não faz muito sentido continuar lendo. Por esse motivo, para personagens, algo que ajuda em sua construção é a pré-história que eles carregam. Se todo leitor tem bagagem, obviamente todo personagem também deve ter a sua que é nada mais nada menos que toda sua trajetória de vida até ali. Não importa se um determinado personagem começa a contar sua história aos cinquenta anos, ele precisa ter nascido e crescido em dados momento para ganhar personalidade, afinal de contas ninguém nasce, cresce e morre com as mesmas ideias. Quanto mais um personagem tem sua história de vida trabalhada mais profundo e plausível ele ficará.

Seguramente, a narrativa volta à ser o foco principal dessa discussão quando penso nos motivos do autor. Se todo livro tem uma coisa em comum é que todos têm um motivo para serem escritos. Não estou falando aqui da moral da história ou o ensinamento que o autor quer passar ao fim de tudo — já que considero estas apenas consequências de uma boa narrativa do que algo feito de caso pensado; bons livros falam por si só —, mas sim daquele enorme xis da questão. (Dando um exemplo de um clássico: Qual motivo de Peter Pan? Um(a) autor(a) criou um mundo para falar sobre o medo de se perder a inocência com a chegada da maturidade). Dessa forma, se eu disser que o motivo da história é importante seria um eufemismo. O xis da questão é normalmente uma base que vai guiar todo o caminho traçado pelo autor. É o ponto inicial que vai definir os caminhos com os quais a história poderá ser desenvolvida.

Partindo disso, chegamos então ao ponto crucial de toda obra. Aquele momento que simplesmente vai definir se eu realmente gostei da obra ou não. Afinal, se toda obra tem os motivos que irão definir o caminho traçado, então todo livro deverá ter um bom porquê para lhe dar fundamento à sua argumentação. O caminho traçado pelo autor ao fim de tudo terá que fazer sentido quando ele enfim juntar todas perguntas que nos fazemos ao ler uma obra (Porquê o casal resolveu ficar junto ou não; porquê aquele personagem decidiu cometer um crime). O porquê de um livro é o ponto onde vamos decidir se aquela obra valeu a pena. Se todo caminho percorrido do começo ao fim fez sentido.

Os componentes literários não são moldes que se adequam a todos os livros. Não posso dizer que a falta de uma ou outra coisa influenciem completamente em minhas leituras. Mas estes são pontos de partida para eu analisar o impacto que aquela obra teve sobre mim em seus mais variados aspectos. Dessa maneira, gosto de pensar que livros são como roupas. Um autor irá desenha-la, planeja-la, corta-la e custurar ela da maneira com o qual achar melhor. Mas ao fim de tudo, será o leitor que escolherá se a aquela obra serviu-lhe ou não.

•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•_•*•_•

Bem amores, esse foi o Livrosofia de hoje. Espero tenham gostado. Mês que vem vou trazer um pouco de História para vocês sobre os gêneros e sua classificação. Lembrando que vocês podem ver os outros posts da categoria através da aba aqui do lado. Mas enquanto isso, deixem comentários sobre os seus componentes literários. Eu ia amar saber o que conquista vocês livros.

Mil beijos. Até o próximo.

44 comentários em “| LIVROSOFIA | Componentes Literários.”

  1. Nossa adorei o post! Comecei a ler com quatro anos também e sempre que podia lia ao menos um ou dois livros por ano. Isso na infância. Agora leio mais do que isso por mês. Concordo que realmente há livros que nos emocionam e nos tocam profundamente, enquanto que outros não surtem o mesmo efeito e o que me agrada na leitura é a forma como os personagens se apresentam no decorrer da história.
    Parabéns pelo post!

    Beijinhos!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Nossa que post lindo e como você escreve perfeitamente. Meus parabens.

    Tem alguns livros que realmente nos toca mais que os outros, acho que é devido a sua história e o que quer passar para nos leitores e também tem a afinidade. Tem alguns personagens que identificamos mais que os outros, diferente dos que não cativam e também tem a contração de toda a trama e alguns autores estragam isso. Um vez eu li um livro que a escrita erã boa e os personagens dariam para ser os melhores que eu já lI, a trama era envo lente, porém o autor começou a estragar e isso começou a me irritar e no fim eu simplesmente odiei o livro e tudo isso porque o autor simplesmente estragou os personagens, foi uma decepcao. Em fim, livros são livros, águas bons e outros ruins e muitos maravolhosos.
    Um beijo.

    http://www.sussurrandosonhos.blogspot. com.br

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ótimo post, Jess.
    Não é todo livro que mexe comigo, tem autor que eu posso contar sempre, que sempre vai me provocar os mesmos sentimentos, mas alguns não… Gosto de obras mais diretas ou dramas bobinhos, mas a escrita do autor faz toda a diferença pra mim… A escrita do autor é fundamental para a minha pessoa, alguns não leio só por causa das experiências anteriores.
    Beijos,
    Keth.
    Blog: http://www.parbataibooks.blogspot.com.br

    Curtido por 1 pessoa

  4. Uaau, que post incrível! Concordo com muitas coisas que vc disse, a narrativa tem que me estimular para q eu continue a leitura. Porem, mais importante q ela, durante a minha leitura, se eu n me conectar com algum personagem eu n consigo continuar lendo a historia. Pra mim perde muito o sentido qnd os personagens n me cativam. E eu tenho um dilema muito grande com essa questao pq ninguem quer personagens perfeitos, mas qnd um personagem faz algo q eu n apoio eu costumo tirar pontos na classificacao do livro, sendo q eu acho q os personagens deveriam errar pq eles deveriam ser o mais reais possiveis, mas msm assim n consigo dar 5 estrelas qnd um personagem faz “uma burrada”. huaahuahaua Confuso ne? Enfim, o livrosofia de hoje foi muito bom, parabens! Talvez me ajude a forma uma opiniao melhor sobre isso no futuro. Bjocas

    Blog: leiacantando.blogspot.com

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oii. Certas atitudes de personagens me incomodam também, mas acho que tem diferença entre um personagem imperfeito e um mau-carater. Principalmente aqueles perfeitos que são sonsos de tão ingênuos e os mau-carater que acabam por se tornar exagerado. Eu entendo, acho que não consegueria expressar os diferentes modos dos personagens. Beijoes.

      Curtir

  5. Oii, que post mais maravilhoso!!! Adorei a maneira como se expressou, também amo quando os personagens são meio imperfeitos, e quando os porquês gerados em todo o livro são respondidos no fim pelo autor, creio que esse também é o ponto chave da leitura, pq oque ela adianta ser perfeita, se no final deixou lacunas, ou fatos sem explicação.
    Beijos ❤

    Curtido por 1 pessoa

  6. Que grande potencial leitor você tem menina! Parabéns mesmo. Você disse tudo de muito importante sobre o que faz um leitor se prender à leitura de um livro. E adorei as questões levantadas. Com certeza a narrativa é essencial, a condutora . A construção das personagens então , nem se diga. E fico com você quando pontuou sobre personagens perfeitos. Talvez seja este o motivo da minha predileção pelo gênero biografia, autobiografia, pois mostra a pessoa como ela é, com suas qualidades e defeitos, como todo ser humano tem.
    E o porquê de toda a narrativa. Só uma crítica leitura , como você é, que irá se atentar a isto. E diga- se de passagem, o motivo faz toda a diferença. E fique curiosa com a indicação que fez , com a leitura sobre o Peter Pan. Já vou inclui- lo em minha lista. Grande beijo

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oiii Titina. Primeiro, obrigado pela visita e por esse comentário que esta me fazendo rir de orelha a orelha.
      Segundo, Peter Pan é muito bom. Você vai amar. É uma história que faz todo sentido e é muito bem escrita.
      Terceiro, nunca li biografias você acredita? Mas espero ler algumas ano que vem. Quero conhecer as pessoas como elas são.
      Um grande beijo.

      Curtir

  7. Olá, Jess!!!

    Eu AMEI esse post, acho que foi um dos meus favoritos de toda a vida, li tão rápido ele porque não conseguia parar de me encantar com cada parágrafo, você colocou em palavras tudo que acredito e penso. Deve ter sido bastante trabalhoso, mas ficou incrível! Estou sem palavras. Estou adorando o Livrosofia. 😀

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    Curtido por 1 pessoa

  8. Adorei o seu post e me identifiquei com muita coisa que você disse.Acredito que quanto mais lemos, mais descobrimos que tipo de livro queremos ler, histórias e componentes que nos acrescentem de alguma forma. Também não me prendo se não estou gostando da leitura, porém se for parceria não tem jeito, tenho que ir até o fim.

    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  9. Ei! Tudo bem?

    Nossa, que postagem mais sensacional! Amei saber um pouco mais sobre você e como foi seu início literário. Concordo completamente com você na questão do que faz um livro ser bom, principalmente quando você fala sobre a narrativa e a construção dos personagens, este último, pra mim, é o que me deixa mais interessada na história. Se o personagem é muito irreal, não rola; se o personagem que narra é um saco, também não rola. Pra mim, o livro é feito dos personagens e um bom personagem é tudo na obra.

    Beijos!
    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

  10. Olá super curti seu post e concordo com você em alguns aspectos.
    No meu caso eu só abandono um livro quando realmente não dá mesmo, são poucos ,mesmo não gostando da narrativa eu vou até o final, não sou de deixar livros pela metade, até porque eu vou ter um feedback melhor lendo até a ultima página, agora se for um livro com mais de 600 páginas, esquece tudo o que eu disse kkk, detesto livros com muitas páginas e se for ruim largo mesmo.
    Bjocas.

    Curtido por 1 pessoa

  11. Eu tô adorando a série!
    Concordo com a narrativa e a maturidade e realidade dos personagens, mas ainda me deixo levar por histórias fantasiosas tb, fecho o olho para o que não é real e vou até o fim! hahaha
    Mas isso depende mesmo de cada um e acho legal que vc priorize o que realmente te encanta!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

  12. Nossa, que post interessante. Me identifiquei quando você fala sobre ler um livro. De fato compactuo da ideia de que se eu não achei o livro interessante eu não devo continuá-lo, o que para muitos se tornam uma ofensa. Não lhe conhecia há um tempo atras, mas percebi pela sua escrita o amadurecimento que os livros de proporcionaram. Espero chegar um dia lá.

    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário. Ele será sempre bem vindo e respondido. Caso tenha um blog, deixe o link que assim que der eu irei visitar ;-)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.