| Singulares | Tyrion Lannister – Um anão que nasceu para ser um gigante.

Se você ainda não leu não acompanha a série Game Of Thrones, este post conterá spoilers.

image

“Nunca se esqueça de quem é, porque é certo que o mundo não se esquecerá. Faça disso sua força. Assim, não poderá ser nunca a sua fraqueza. Arme-se com essa lembrança, e ela nunca poderá ser usada para magoá-lo.”

Olá pessoas que estão lendo este post. Espero que esteja tudo divino com vocês e que suas leituras estejam indo de vento em polpa. Estou com dificuldades quanto a isso em relação a faculdade, mas como o blog não pode parar estou me organizando melhor para sempre ter posts saídos do forno para vocês. E para dar continuidade a serie de posts sobre os personagens que mudaram minha vida ou que me impactaram de alguma maneira, hoje quero falar sobre um homem inesquecível e que não havia como eu fazer posts sobre personas sem falar sobre ele. Pois Tyrion Lannister é uhm daqueles personagens que nos mostram que a inteligência supera a força e a beleza.

Um rei que mata aqueles que lhe são devotos não é um rei que inspire devoção.
– Tyrion (Serie).

Terceiro filho de Twyn e Joanna Lannister, Tyrion tinha tudo para ser um homem admirado por todos. Herdou os cabelos loiros dos Lannister, tem a inteligência do maior dos sábios e é herdeiro por direito de Rochedo Casterly, a capital da cidade mais rica dos Sete Reinos. Mas o destino lhe pregou duas peças enquanto ainda era um bebê. Sua mãe morreu no parto e o jovem nasceu com nanismo. Por este motivo tanto seu pai como sua irmã Cersei o odiaram e o menosprezaram durante a sua infância, com o rapaz só possuindo afeto apenas de seu irmão Jaime (gêmeo de Cersei). Assim, em meio aos apelidos dados por todos da corte enquanto crescia, Tyrion aprendeu que não precisava ser alto e forte para ser um grande homem mas precisava apenas de livros e uma mente afiada.

image

Durante todos os livros e também na série, o personagem conhecido como meio-homem vê sua vida ser
quebrada ao meio. Tyrion sabe o que é mas principalmente o que não é. Ele fez muito por toda a Westeros. Praticamente evitou conflitos desnecessários e ganhou batalhas importantíssimas para o rei Joffrey, que convenhamos não merecia em nada a ajuda do sábio. Tudo para que? Para ser escarnecido pela população e condenado por um crime que não cometeu. E é nesse ponto que ele dá a grande virada do personagem. Ao se ver jogado na lama por sua família mais uma vez Tyrion se liberta. Eu diria que ele se liberta do amor-consanguíneo que o liga aquelas pessoas deixando de lutar por eles e passando a lutar por si próprio.

Dessa forma Tyrion tem uma característica que muito me agrada: ele é um sobrevivente não por circunstância, mas porque ele decidiu que existem outras coisas ao quais pode se importar para continuar vivendo. A chance de fazer do mundo um lugar melhor ao lado de alguém que tenha a capacidade sentimental e racional para querer fazer um mundo melhor. Assim, mesmo que não tenha uma característica emocional intensa, Tyrion se mostra como um personagem que vale a pena ser dissecado de várias formas pois por variados pontos de vista é possível enxergar as suas motivações e entendendê-las das mais variadas formas.

A Morte é terrivelmente final, ao passo que a vida está cheia de possibilidades.

Por este motivo, Tyrion figura como um dos meus personagens favoritos. Pois sua história é de superação. Sua vida estava fadada ao fracasso e mesmo assim ele consegue dar a volta por cima, de modo que não só se torna um grande homem, mas um gigante.

Pela minha experiência os eloquentes têm razão em tudo, com a mesma frequência que os imbecis.

Beijos. Até a próxima.